7 Dicas incríveis para aproveitar o verão com seu cachorro

Já dizia Marina Lima: “Vem chegando o verão / O calor no coração / Essa magia colorida / Coisas da vida…” 🎵🎵🎵

Bom, estamos quase chegando no outono, é verdade. Mas o que não podemos esquecer é que na maior parte do país temos dias quentes, muito quente, o ano inteiro!

Estamos em fevereiro e no Rio de Janeiro, as temperaturas têm chegado perto dos 40ºC. Houve dias inclusive, em que a sensação térmica chegou nos 55ºC! 🥵

Com um clima tão quente assim, alguns cuidados precisam serem tomados, não somente com a sua saúde, mas com nossos amigos peludos também.

Todos os cachorros merecem cuidados especiais no verão. No entanto, os idosos e os cães braquicefálicos (de focinho “achatado” como Pug, Shih Tzu, Buldogue, etc.) precisam de atenção especial pois sofrem muito mais com o calor.

Os braquicefálicos, por possuírem o focinho achatado, têm mais dificuldade para respirar, comprometendo a liberação de calor, que nos cachorros é feita principalmente pela respiração. Isso poderá causar o aumento da temperatura corporal que, se não controlada, pode acabar em desidratação, paradas respiratórias, desmaios, convulsões e outros.

Já os cachorros idosos, por serem mais sensíveis, podem sofrer também com o aumento da temperatura corporal. Por isso, é importante ficar sempre atento. Bom, então vamos conferir as nossas dicas?

Dica 1: Qual a frequência dos banhos

Por mais que os animais sejam considerados filhos por muitos de nós, suas necessidades higiênicas são bem diferentes das nossas. Banhos em excesso podem sim fazer mal aos cães.

Entre os problemas está a infecção de pele por fungos. Veja a frequência você pode dar banho no seu bichinho:

Animais de pelo longo: banhos podem ser dados a cada 15 dias durante o ano todo. Não esqueça de secar bem, após os banhos.

Animais de pelo curto: banhos podem ser dados a cada 15 dias no verão.

Filhotes: o primeiro banho do animal deve ocorrer em casa. Banhos em pet shops somente depois que o filhote receber todas as vacinas.

A frequência de banhos pode ser alterada de acordo com a indicação do médico veterinário de cada cachorro também.

Dica 2: Ofereça muita água

Seu cachorro certamente não vai te pedir água, ao menos não de forma tão clara. Por isso, é importante incentivar que seu cachorro beba bastante água, pois o calor pode deixá-lo desidratado. Uma dica é espalhar potes de água por vários lugares da casa e trocar a água mais de uma vez ao dia, mantendo-a sempre limpa e fresca.

Os bebedouros do tipo fontes também são opções interessantes, pois fazem a água circular, mantendo-a sempre limpinha para o peludo. Você também pode encher uma garrafa pet de água e congelar. Depois, retirar do plástico e oferecer ao bichinho. Além de servir de brincadeira, o gelo será uma fonte de hidratação.

Dica 3: Use filtro solar

Os animais também precisam usar protetor solar para evitar o aparecimento de doenças causadas pela exposição excessiva ao sol, como o câncer de pele.

O produto deve ser específico para cachorros. Para uma melhor proteção, aplique o protetor 30 minutos antes do peludo sair ao sol em partes do corpo que não têm pelo como no focinho, nas orelhas, na barriga e nas patas. Não se esqueça de reaplicar a cada duas horas. Isso vale para os passeios na rua, na praia e até quando o peludo está relaxando no quintal.

Dica 4: Escolha o melhor horário para passear

Tente tirar os seus sapatos ao meio dia e pisar no asfalto. Tá quente? Se você pode queimar os pés na rua, os cachorros também podem sofrer queimaduras. Por isso, o ideal é programar os passeios para o início da manhã e/ou final da tarde (antes das 10 horas e após às 18 horas). O calor, nestes horários, é menor.

Além disso, por não serem capazes de transpirar como nós, é bom evitar que a temperatura do corpo suba muito, causando mal-estar e a hipertermia, que é a elevação da temperatura corporal.

Se o cachorro ficar muito ofegante, para evitar o aquecimento do corpo, borrife água no dorso e nas patinhas. Isso ajudará a resfriar o animal. Não esqueça de levar água para oferecer durante os passeios. Caso ele fique muito ofegante, interrompa o passeio e leve-o para casa. E claro, essa recomendação de antes das 10h e após às 18h, pode variar de acordo com a sua cidade. Aqui no Rio de Janeiro, por exemplo, eu indicaria antes das 9h e após as 19h.

Dica 5: Cuidado com os parasitas

As pulgas e carrapatos fazem a festa no verão. O aumento da umidade nesta época do ano ajuda a proliferar insetos e outros parasitas que podem incomodar o seu cachorro e causar doenças. Por isso, garanta que seu cão esteja adequadamente protegido contra pulgas e carrapatos (antipulgas e carrapaticidas). O uso de repelentes próprios para pets também é indicado para evitar picadas de mosquitos.

É importante consultar o médico veterinário sobre o melhor produto para o seu amigo, pois a dose pode variar de acordo com o porte do animal.

Dica 6: Tosar ou não tosar seu cachorro

via GIPHY

pelo do animal tem uma finalidade importante para a regulação da temperatura corporal, proteção da pele e até para o reconhecimento e a reprodução da espécie.

A tosa higiênica, que é feita na barriga, patas e regiões “íntimas”, pode ser uma boa opção para dar uma refrescada nos cães. Outra alternativa é uma tosa completa com uma lâmina mais baixa, para que possam se sentir mais confortáveis nessa estação.

Responsáveis pelos animais que tenham casos de dermatites devem evitar a tosa, para não ocorrer a piora do quadro. Já algumas raças como Pastor Shetland, Border Collie, São Bernardo, Samoieda, Bernese Montanhês e Husky Siberiano possuem a chamada “pelagem dupla”. Trata-se de uma subcamada de pelo mais curta, próxima ao corpo, localizada abaixo da camada de pelos fofa que é visível.

Essas duas pelagens têm uma função especial: combinadas, criam uma espécie de camada de ar que protegem o animal do calor e do frio extremos.  Esta proteção promove a manutenção térmica e, por isso, os responsáveis destes animais devem evitar tosá-los por completo. Por isso, sempre peça orientação do veterinário antes de decidir pela tosa completa.

Dica 7: Check-up antes e depois das férias

Vai viajar com seu cachorro? Então saiba que a visita ao veterinário antes de ir viajar é fundamental, para que o peludo possa estar protegido das possíveis doenças existentes no local. Também é importante uma avaliação clínica e laboratorial do animal semanas após ter retornado de viagem. Ainda mais se o destino foi a algum foco de determinada doença.

Esse cuidado com o seu melhor amigo peludo no verão, é essencial! Fique atento!

Agora que você já conferiu nossas dicas, pode curtir tranquilamente o verão com seu melhor amigo! 🙂

Ah, na hora de fazer a mala, não esqueça de colocar aquele petisco gostoso pro seu amigão. Você encontra tudo na Botica Pets com entrega para todo Brasil.

Mas me diz aí, você toma mais algum cuidado além desses que eu citei? Me conta nos comentários!

Até a próxima! ☀️

Leave a Reply

Next ArticlePesquisa afirma que donos de cachorros vivem mais