Abrigo traz esperança para gatos sem lar

Todos os dias acompanho nas redes sociais os pedidos de ajuda de vários protetores e ONGs que já lotadas, não tem como acolher mais nenhum animal. Vocês também devem ver os pedidos de ajuda tanto financeira como com doações de diversos produtos, entre eles: areia higiênica, papelão, jornais, ração seca e úmida entre outras coisas.

Os protetores não têm conseguido dar conta mesmo não. Algumas pessoas acreditam que eles sempre vão conseguir um lar para os bichinhos, mas a realidade é bem diferente.

Hoje vamos conversar com a Adriana Livieri, mas simplesmente conhecida como Drika. Drika é protetora e coordena um abrigo só para gatinhos. Ela vai nos falar sobre seu dia-a-dia no abrigo e você vai se surpreender. Confira!

Enquanto a gente está cuidando da nossa vida, seja trabalhando, estudando, viajando ou mesmo sonhando alto, o tempo não para. E tempo é tudo para um animal abandonado na rua. Eles não podem esperar, a ajuda precisa ser imediata, urgente. E é esse o trabalho do protetor. Eles salvam vidas. Dão nova chance para aqueles que foram, de certa forma, esquecidos pela sociedade. Se tornam invisíveis para uns, mas nunca para eles.

Vamos conhecer mais sobre o abrigo e sobre a verdadeira realidade de um protetor?

Drika, o que sua família falou quando disse que seria uma protetora?
Eu nunca disse que seria uma protetora (risos), as coisas foram acontecendo. Eu sempre dei lar temporário para ninhadas abandonadas, cuidava e colocava pra adoção. Quando iam pro lar, pegava outra e tudo ia bem, até o dia que resolvi não mais deixar nenhum gatinho na rua, um dia meu marido contou e tinham 88 dentro da minha casa (risos),  foi quando conversamos e chegamos a conclusão que eu precisava alugar um espaço pra eles.

Como surgiu a ideia do abrigo Anjo Gabriel?
Bem, na verdade não foi uma ideia, foi uma necessidade. Lido com gatos há mais de 20 anos, mas somente há 2 anos entrei de cabeça. Cansada de ver gatas prenhas sendo deixadas em uma casa abandonada próximo de onde moro, comecei a castrá-las. Uma vizinha acolhia os que não morriam envenenados e eu tentava conseguir ração, no começo era só do meu bolso, mas os gastos foram ficando cada vez maiores, foi quando comecei a pedir ajuda no grupo que havia criado no Facebook há poucos meses: Só para Adoradores de Gatos e assim minha vida foi mudando.

Por que o nome Anjo Gabriel?

anjo gabriel

Gatinho Gabriel que deu origem ao nome do abrigo.

No início do ano passado recebi um pedido de ajuda para uma senhora que tinha 102 gatos e 36 cachorros passando fome. E foi lá que conheci meu anjinho Gabriel, um gatinho branco, medroso, sofrido e muito mau tratado no cantinho do terreno. Não se via os olhos, dava medo de pegar no colo, pois parecia que ia quebrar. Na época eu não tinha vagas, era tudo muito improvisado, um pequeno gatil que acolhia dos gatos que antes ficavam na rua e um quarto na casa de uma amiga que estava lotado, com o coração sangrando tive de deixa-lo lá.
Mas deixar ele e os outros filhotinhos acabou com meu sono e eu não aguentei, meti as caras e fui lá e peguei todos os filhotes, incluindo ele, que logo naquele dia foi batizado de Gabriel.

Ele se tornou o gato mais lindo do mundo e também meu melhor amigo e companheiro. Aprendi tudo que sei hoje lutando pela vida dele. Infelizmente ele me deixou, uma doença triste, silenciosa e mortal levou meu anjinho.
Mas toda sua história, sua luta, sua vontade de viver (mesmo quando ficou cego), fez com que em meu coração e de muitos que acompanharam nossa luta, o tornasse imortal.
Ele me ensinou a amar, lutar até o ultimo suspiro, ter compaixão, entender os gatos, respeita-los como ser senciente.
Com sua morte, houve toda uma comoção e muitos que acompanhavam e torciam por sua recuperação sugeriram o nome do abrigo, que na época chamávamos de gatil. Eu, claro, aceitei na hora e todos os dias quando chego de manhã cedo no abrigo, olho pra ele que esta estampado em tamanho grande logo na porta e dou meu bom dia, poque ele é meu anjo da guarda.

Quantas pessoas estão envolvidas hoje no projeto?
Eu considero que todos que se preocupam e fazem algo pra ajudar estão envolvidos de alguma forma. Não sei te falar o número exato de pessoas. Tem as madrinhas, as administradoras do grupo, a Valdete que dorme no abrigo pra eu poder dormir com a minha família, minhas filhas que estão sempre lá envolvidas ajudando, os amigos que compram números das rifas que fazemos. Hoje me dedico 24 horas aos gatinhos. Só entro na minha casa para dormir.

O que são as madrinhas?
As madrinhas foram uma forma que encontramos de garantir uma parte da alimentação dos gatinhos.  Todo gatinho que chega eu posto na página do Facebook e sempre peço madrinhas para que possam auxiliar os gatinhos com uma contribuição de R$40,00 mensais. Esse dinheiro é exclusivo para comprar ração. Algumas madrinhas também se propõe a arcar com os gastos de castração e vacinas de seus afilhados, o que ajuda muito.
A responsabilidade da madrinha acaba quando seu afilhado é adotado. O afilhado deixa uma cartinha de agradecimento e a madrinha tem a opção de amadrinhar outro gatinho ou não.

Quantos animais atendem hoje?

gatos na hora do jantar

Hora em que os gatos maiores jantam.

Nós abrigamos cerca de 150 gatos e 2 cachorros, mas existe um trabalho realizado no terreno da Dona Rosa. Na época quase todos os filhotes de gatos do terreno foram doados, restando apenas 18 gatos já idosos e 19 cachorros também idosos.
Apesar de mantermos eles lá com ela, somos nós que levamos ração, remédios, quando necessário levamos ao veterinário, damos banho. Enfim, somando tudo, são quase 200 sob a responsabilidade do abrigo.

Me fale de seus números. Para que as pessoas possam ter uma noção de quantidade, quanto gastam de alimento por mês?

jantar no berçario

Hora do jantar no berçário.

Conforme citei antes, os gastos do abrigo são bem altos! São em média 300 quilos de ração mensal, 600 sachês (somente os filhotinhos e os doentes comem diariamente ), 500 quilos de areia, uma quantidade razoável de jornal, 200 tapetes higiênicos, leite especial para gatos filhotes, latas de suplementos como AD, Recovery e Baby Cat. Em termos de remédios usamos muita Amoxicilina, colírios, soro, gases, algodão, Nutrifull Cat e Promun Cat (que são vitaminas). Fora os de uso esporádicos.

Como consegue pagar as contas do abrigo?
Bem, essa é a parte mais difícil. As dívidas estão cada vez mais altas. Os gatinhos em sua maioria chegam debilitados e acaba que quase todos precisam ir pelo menos uma vez ao veterinário. Não tenho um orçamento, o único dinheiro que posso contar é o das madrinhas dos gatinhos, mas infelizmente esse dinheiro não cobre 50% da alimentação deles.
Eu vivo na corda bamba, tiro de um lugar pra cobrir outro, pego emprestado com amigos, faço apelos nos grupos, na página do Facebook, rifas, vakinhas.com, mas todos os meses fecho com saldo negativo e rezando por um mês melhor.

O que significa ser protetor de animais para você? Pois mesmo com tantas dificuldades, segue tão firme no propósito.

Ser protetor significa proteger, não virar as costas pra nenhum deles, não ter limites (olha a doida dos gatos). Uma pessoa normal consegue passar por um gato doente, fazer carinho e seguir seu caminho, uma protetora, agarra e leva pra casa. Acho que é isso.

 

Como as pessoas lidam com fato de você ser protetora?
Eu quero salvar todos os animais do mundo, mas nem sempre é possível. Recebo cerca de 20 pedidos de ajuda por dia, seja presencialmente, pelo Facebook, Whats App ou por telefone. Mas em sua maioria esses pedidos vem de pessoas irresponsáveis que não castram suas gatas e depois não sabem o que fazer com os filhotes. Eu não consigo ajudar essas pessoas recolhendo esses filhotes, passo orientação de onde levar para castrar e ensino a fazer a divulgação de adoção pela internet. Agora, os pedidos de abandono, maus tratos, animais doentes na rua, tento atender todos. Mesmo que não venham para o abrigo, tento ajudar a divulgar para conseguir lar temporário, as vezes conseguimos ajuda de pessoas que se sensibilizam e acabam se responsabilizando.

Queria que você descrevesse as principais dificuldades que o abrigo enfrenta hoje.
O abrigo era um sonho que aos poucos vejo se tornar realidade, porém com novas conquistas, também vem novos desafios. Aqui os gatos estão bem melhores do que quando ficavam na minha casa ou em lares temporários. Eles tem espaço, tomam sol e tomamos o cuidado de telar todo o quintal, dando assim espaço para que possam circular em segurança pelo terreno. O problema é que essa grande benfeitoria gerou novas contas e acaba que a maior dificuldade do abrigo é conciliar as despesas fixas com as despesas que não esperamos.
Nossa despesa é muito alta e infelizmente a ajuda que conseguimos não cobre metade do valor gasto, acaba que vamos empurrando divididas com a barriga

E quais as dificuldades mais gritantes que você como protetora enfrenta para continuar com o projeto?
As despesas mais gritantes do abrigo são de veterinário. Acaba que em sua maioria os gatinhos chegam debilitados e de nada adianta resgatar se não cuidarmos. No minimo é uma consulta e um hemograma pra pelo menos 90% dos gatinhos que chegam. Ainda temos gatos em tratamentos longos (como a Cristal que chegou no abrigo em dezembro, muito fraquinha e vem em tratamento desde então, já foram 8 internações).
De imediato precisamos quitar a divida do veterinário que é alta e não estou conseguindo manter em dia. Claro que doações de ração, tapetes higiênicos, areia e sache também é essencial.

O espaço está aberto para visitações?
O abrigo é aberto à visitas de quarta a sábado.
Para visitar, basta a pessoa entrar em contato no telefone 11 95160-4587 e marcar o melhor horário. É possível ainda contato via email: adrianalivieri@hotmail.com, ou ainda visitar a página do abrigo www.facebook.com/abrigoanjogabriel.

Houve algum caso que mais te chamou atenção, além do gatinho Gabriel?

gato

Antes e depois do gatinho João Pedro.

Muitos tocaram meu coração, claro que alguns se tornaram especiais de uma forma que dói falar sobre eles, principalmente aqueles que lutaram muito e não conseguiram como o César, Samuelzinha, Tico, Mikael, são guerreiros que já não estão entre nós, mas em sua curta trajetória tocaram não só a mim, como as pessoas que ajudaram em seus tratamentos, rezaram por eles e sentiram a dor da perda junto comigo.
Tem também os finais felizes, como a Piratinha por exemplo, que seu resgate foi muito dramático. Ela foi despejada junto com o lixo em um lixão, estava quase morta, olho furado, completamente desnutrida e hoje está no Rio de janeiro, vive bem e é feliz com sua adotante.
Tem ainda o João Pedro, um gatinho com a face comida pela sarna, hoje esta em Florianópolis com sua adotante, completamente curado e se tornou um dos gatos mais lindos já visto.
E não posso deixar de lembrar do Chorão, deixando na minha calçada em uma manhã de frio, tinha menos de 10 dias, consegui fazer com que ele sobrevivesse e hoje é um gatão lindo, mimado e muito amado por sua adotante la em Curitiba.
São tantos, acho que ficaria horas lembrando de cada um deles… Vicky, Maria, Moti, Benjamin…

Como você lida com a perda? Imagino que nem todos que você acolhe, devido ao estado crítico, você consiga salvar. Que sentimentos isso te traz?
Nada é tão triste e cruel do que perder um bebê. Eu costumo falar que sou a pior protetora do mundo, porque não consigo me acostumar com a perda, não consigo deixar de derrubar lágrimas cada vez que algum gatinho cumpre sua missão. Infelizmente muitos não conseguem. A trancos e barrancos, me endividando cada vez mais, todos que chegam no abrigo tem todo o tratamento necessário pra se recuperar, nunca perdi um gatinho porque não foi atendido como se deve. Acho que essa é a única coisa que me mantém de pé.

Eu me lembro de todos que se foram, seus rostos, seus nomes, seus olhares de agradecimento. Muitos morreram em meus braços, tento acalmar meu coração falando pra mim mesma que essa era a missão deles e cabe a mim respeitar a vontade de Deus. Todos eles me ensinaram algo e sou grata à todos. No fim, eles fazem mais por mim do que eu por eles.

O trabalho que a Drika faz não é solitário não. Exstem centenas de protetores, ONGs e abrigos espalhados por todo o mundo, mas por que os animais de rua não tem fim? Porque não estamos fazendo nosso dever de casa! Castração é a única solução! Não há lares para todos! Você não pode ter um gato ou cachorro, macho ou fêmea e não castrá-lo. Adoção é um ato de amor, mas é responsabilidade também. Para endereços de castração gratuita ou com preço reduzido, acesse aqui e aqui.

Se você for adotar, tenha em mente que mesmo se mudando, mesmo que seu animal adoeça, quando ele ficar velhinho e precisar de cuidados especiais, você deverá ficar com ele. Animais não são brinquedos! Precisamos de adotantes, mas acima de tudo, precisamos de adotantes responsáveis, que vejam os animais como eles são: seres que sentem fome, dor, sentem alegria, saudade, amor, mas são dependentes de nós e sempre serão.

Se você é essa pessoa responsável e tem o coração cheio de amor, entre em contato com a Adriana e adote! Ou veja aqui no nosso site o animal sem lar mais perto de você e adote. Caso você seja dessas pessoas responsáveis mas que simplesmente não tem espaço ou mesmo não querem adotar, por favor ajude um abrigo. Como viram, as despesas são grandes e para manter o abrigo de pé com qualidade para os animais, toda ajuda é sempre bem-vinda, seja ela em dinheiro ou mantimento.

Não espere pelo outro, faça sua parte!

Gostaria de parabenizar a Drika pelo lindo trabalho que realiza e a todos os protetores desse nosso Brasil! A gente sabe o quanto é difícil, mas a força e garra de vocês tornam esse nosso mundo melhor! Vocês protetores, realmente fazem a diferença!! 👏👏👏👏

Visitem o abrigo, ajudem, adotem!

E aí, você já adotou um gatinho? Deixe aqui nos comentários como foi essa experiência!

Espero que tenham gostado do post de hoje.

Semana que vem a gente volta com mais dicas e cuidados para vocês, até lá!🐱

 Banner Amigo adotar

Leave a Reply

8 Comentários

  1. Sil Albuquerque

    Na verdade nunca pensei em adotar um gato, apesar de amá-los mt eu tenho uma poodle que é nossa bebê, além de 3 filhos humanos. Minha tia mora ao lado da minha casa e sempre acolheu e cuidou de animais abandonados, hj ela tem 19 gatos e 8 cachorros, eu e meus filhos sempre íamos brincar cm eles. Mas em dezembro de 2014, meu sobrinho infelizmente se divorciou e eu me dispus a ficar temporariamente cm o gato dele, o My Yellow, pois ele voltou a morar na casa dos pais onde tem uma cachorra grande e que não aceita outros animais. Falo sempre que na separação do meu sobrinho eu fiquei cm o bem mais precioso, o My Yellow! 1° ele fez amizade cm o meu marido que não era mt de gostar de gatos, depois pegou confiança em todos de casa e nos adotou como sua família.
    Passados 6 meses, minha filha ficou sabendo de uma pessoa q estava doando filhotes e fomos buscar mais 1, voltamos cm 2!! Kkkk…
    Minha filha queria o sialata e meu marido se apaixonou pelo frajolinha mal humorado! Colocamos o nome de Paul Walker no sialata, por causa dos olhos azuis e Vin Diesel no frajolinha nervoso! Kkkk…
    4 meses depois, andando pelo centro da cidade, ouvi um gatinho miar desesperadamente, fui procurando até encontrá-lo mt assustado, miava de medo por estar sozinho, seus irmãos foram adotados, tirados do abandono, ele por ser pretinho ninguém queria, miava de fome, de sede. Qdo me viu, parece que pedia: “Me leva p a casa, cuida de mim!”
    Coloquei o pretinho dentro da blusa e o trouxe de moto p nossa casa. Era pele e osso, tinha no máximo uns 40 dias. Seu nome? Roman Pierce (tbm do Velozes e Furiosos kkkk), mas como o miadinho dele parecia uma buzina, eu o chamo quase só de meu Buzininha ou Buzi! Costumo falar que Buzina é só para os íntimos! Ah!! Qdo cheguei em casa, tirei uma foto dele e mandei p o meu marido, ele me falou que teríamos que doar, pois já tínhamos 3 gatos e 1 cachorrinha, a Penélope, pensei que qdo ele chegasse em casa eu conseguiria fazê-lo mudar de idéia, mas bem precisou, pq o pretinho assustado “escalou” as calças e depois a camisa dele e foi dormir em seu ombro. Passados alguns minutos perguntei p ele se realmente teriamos que doar o Buzininha, ele falou: “De jeito nenhum! Meu gato vai ficar aqui em casa!”
    Papi foi literalmente adotado pelo nosso pretinho básico!
    Estão todos castrados, comem ração específica e de boa qualidade, saché 2 vezes ao dia, mas o mais importante de td, recebem mt amor e carinho da família toda!!
    Estão cd dia mais lindos!
    Além de cuidar deles, procuro ajudar abrigos e protetores sempre que possível, pois sei que a luta deles é árdua!
    Conheci o Abrigo Anjo Gabriel através do Facebook e me apaixonei pelo trabalho da Drika e sua equipe, tenho 2 afilhadas lá, a Glória e a Jordana, ainda não as conheço pessoalmente, mas vi pelas fotos que são lindinhas. Deixo aqui registrada a minga profunda gratidão por td que o Abrigo faz aos gatinhos vítimas de abandono e maus tratos!
    Que o Criador abençoe suas vidas!!
    Bj!

    • Fabiana Xavier

      Que lindo depoimento Sil!!! ❤
      Realmente, eles nos escolhem. Nos conquistam, enchem nosso coração de amor e fica impossível deixá-los ir depois.
      Fico muito feliz em ler histórias como a sua, me enche de esperança, aquece meu coração! Obrigada por dividir com a gente!!!
      Bjs

  2. Rosana Lima

    Olá. Preciso de um conselho ou ajuda. Percebi que há alguns dias tem um gato se abrigando em meu quintal. Então descobri que a vizinha da casa da esquina se mudou e abandonou o gato na rua. Não é possível imaginar que alguém possa fazer isso com um animal de convívio. Minha mãe não tem simpatia por gatos, apenas cães, e eu passo o dia todo no trabalho. Dei leite hoje para ele, coloquei um paninho porque está frio, e vou comprar ração amanhã para ele, que nos olha entristecido pela janela da porta do quintal da frente. Não posso ficar com o animalzinho, onde posso pedir que o recolham? Ele é bonito, cor cinza.

    • Fabiana Xavier

      Olá, Rosana!

      Primeiramente, gostaria de parabenizá-la por sua atitude e preocupação. Muitas pessoas o ignorariam por não serem os donos e você está aqui buscando ajuda!
      Bem, o ideal é retirá-lo dessa situação de rua: tente conseguir um lar temporário com um amigo ou parentes. Ao mesmo tempo, você pode cadastrá-lo em nosso site: http://www.amigonaosecompra.com.br.
      Nesse link tem dicas de como encontrar um bom adotante: http://site.amigonaosecompra.com.br/como-escolher-um-bom-adotante/.
      Indicar um abrigo que possa acolhê-lo é muito complicado porque os abrigos estão sempre lotados. Muitos nem aceitam mais animais por não terem condições de cuidar.

      Vamos ficar na torcida para que eles consigam um lar.

      Um abraço!

  3. Maisa

    Oi, pessoal.
    Alguém pode me ajudar?
    Tenho um gato muito lindo e grande. O problema que é um gato com vontade própria, pois me acorda todos os dias a partir das 3 horas da manhã… não perdoa sábado e domingo. O problema que eu sou professora e acordo às 6 horas de segunda a sexta.
    Ele é super companheiro, mas não gosta de colo.
    Tenho enfrentado brigas com o marido, pois não gosta do animail, mas também não o maltrata.
    Está madrugada eu acabei batendo nele e chorei pois ele não entende o que fiz!
    Moro em apartamento e sei que gato é noturno. Assim, ele quer chamar a atenção para brincar e preciso descansar. Tenho sono leve e não consigo dormir mais após acordada. Depois em sala, vejo que me irrito.fácil com os alunos por causa da noite mal dormida.
    Estou escrevendo com dor em meu coração… chorando, pois tive uma gata que ficou comigo.durante 14 anos e morreu. Depois de seis anos, peguei o Nino e já faz 6 anos.
    Mas não tenho mais estrutura e preciso doar. Ele está castrado, pesa uns 6 a 7 quilos e vacinado. Sua cor é linda! Um veterinário disse que ele é exótico.
    Preciso doar e achei esse lugar confiável. Estou disposta a contribuir uma quantia por mês para a entidade na manutenção do trato.
    Ajudem-me,.por favor, pois já perguntei se alguém gostaria de me ajudar, mas só ouvi não.
    Hoje cheguei a pensar em dar uma injeção para matá-lo, uma vez que jogar na rua pode acontecer de ele ser pego para ser maltrato de forma cruel.
    Porém ficaria com essa culpa no meu coração.
    Perdoem-me a franqueza.
    Obrigada

    • Fabiana Xavier

      Olá, Maisa!

      Vamos lá, você apontou várias situações. Então vou responder de acordo com cada ponto, ok?

      1- “Ele é super companheiro, mas não gosta de colo.”
      Isso é algo muito comum nos gatos. Eles têm uma personalidade muito própria, costumo dizer que são humanos peludos. Alguns não gostam de colo, carinho e o contato físico fica restrito de acordo com o seu humor do momento, não de acordo com nossa vontade. Mas isso não significa que ele não a ame.

      2- “Tenho enfrentado brigas com o marido, pois não gosta do animail, mas também não o maltrata.”
      Ele participou do processo de adoção ou foi algo definido somente por você? A gente sempre aconselha que a adoção de um animal seja conversada em família e somente deve ser feita quando todos estiverem de acordo. Um animal muda a rotina e traz responsabilidades que antes não existiam e quando não há um acordo pode sim causar esse tipo de confronto.

      3- “Está madrugada eu acabei batendo nele e chorei pois ele não entende o que fiz!”
      A violência nunca é solução para nada nessa vida. Eu sei que você disse que se arrependeu e se sentiu mal. Mas quando você estiver sentindo que vai perder o controle (em qualquer situação na vida):
      * Respire fundo e conte até 10 (pode ser precise fazer mais de uma vez). Inspire expire lentamente;
      * Beba água gelada (eu aprendi essa dica com uma neurologista e funciona viu?)
      * Tente meditar (feche os olhos e pense em coisas que te tranquilizam, coisas boas e positivas. O tempo é variável, pode ser 3min ou 5min).

      4- “Moro em apartamento e sei que gato é noturno. Assim, ele quer chamar a atenção para brincar e preciso descansar.”
      Sim, no geral os gatos têm hábitos noturnos, mas não é regra. Eu tenho uma de 2 anos e dorme a noite inteira. Normalmente essa agitação é mais comum com filhotes, mas pode acontecer com os gatos adultos também.
      Muitos são os motivos para isso acontecer: falta de brinquedos, ansiedade, problemas de saúde, entre outros. Abordamos com mais detalhes os motivos nesse link: http://site.amigonaosecompra.com.br/6-motivos-pelos-quais-seu-gato-te-acorda-durante-a-noite/

      5- “Mas não tenho mais estrutura e preciso doar.”
      Você pode colocá-lo para adoção em nosso site: http://www.amigonaosecompra.com.br

      6- “Estou disposta a contribuir uma quantia por mês para a entidade na manutenção do trato.”
      Nós não temos abrigo, apenas disponibilizamos o site para que os próprios donos possam encontrar uma nova família para eles.

      7- “Hoje cheguei a pensar em dar uma injeção para matá-lo, uma vez que jogar na rua pode acontecer de ele ser pego para ser maltrato de forma cruel.”
      Nenhum médico veterinário vai sarificar um animal são por ele ser agitado. É proibido por lei e além de anti-ético, ele pode ter o CRMV cassado. Também gostaria de lembrar que abandonar um animal na rua é crime, passível de multa de e sujeito a prisão. Como professora, você tem um papel importantíssimo na sociedade, por favor, não seja um exemplo do que não fazer. Não estimule que as crianças achem que é normal abandonar um animal porque ele não quer mais.

      Seu gato, depois de 6 anos com você, com certeza vai sentir sua falta. Apesar de agitado ele sente amor, carinho e dor. Vai sofrer com essa separação, mas não se compara aos mau-tratos da vida na rua.
      Ele é de sua responsabilidade, eu entendo que você não queira mais ficar com ele. A nossa vida não é eterna planície, coisas acontecem no caminho, eu compreendo isso (até, temos um depoimento da Marianna que precisou doar o cachorro Marshall, confira aqui: http://site.amigonaosecompra.com.br/nao-posso-mais-ficar-com-o-pet-o-que-fazer/#more-4566) mas justamente por ser da sua responsabilidade, você deve cuidar de um novo lar para ele e não abandoná-lo na rua. Lembre-se que ele é irracional e não faz nada de propósito para te irritar.
      Mas também não se sinta culpada por doá-lo. É possível que ele encontre um novo lar onde possa ser feliz e possa recomeçar a vida. Assim como você, que vai poder descançar depois de um dia de trabalho e dormir até mais tarde nos fins de semana.

      A gente pode levar essa conversa para o nosso grupo no facebook: https://www.facebook.com/groups/amigonaosecompra/
      Temos vários amigos, pessoas do bem, que podem te ajudar com experiências próprias.

      Desejo boa sorte e me coloco a disposição, caso queira continuar com a vonversa.

      Um abraço!

  4. Pingback: Papo sério: defenda a causa animal

  5. Val

    Olá, me chamo Val, eu estou sem saber o que fazer, preciso de ajuda estou com 4 gatos faz um tempo que encontrei na rua dei vacina cuido, dois pretos lindos e e duas Malhadinha s,são muitos tranquilo e carinhoso. preciso me mudar com urgência e não posso levar os gatos e não quero e nem posso deixá-los na rua de novo, já Falei com tanta gente pra ver se fica eu dou a ração.mas ninguém quer cuidar estou desesperada.por favor alguém poderia ajudá-los

Next ArticleA história de Milk, o gato surdo