Como escolher um bom adotante

Você resgatou aquele cão ou gato, cuidou dele até ficar saudável e agora quer garantir que ele seja feliz para o resto da vida, certo? Então estamos aqui pra te ajudar!

Não dá pra garantir 100%, mas separamos 8 dicas que vão facilitar a escolha de um adotante que dê ao bichinho o carinho e os cuidados que ele merece:

 

1) Faça uma entrevista com o candidato à adoção.

Pergunte por que ele pretende adotá-lo, se já tem ou teve outros animais, se possui recursos financeiros pra arcar com um eventual tratamento. Veja aqui algumas boas perguntas a se fazer.

 

2) Observe o modo como a pessoa trata o animal.

Se pega com cuidado, se parece ter nojo, se expressa carinho. A linguagem não-verbal muitas vezes mostra se a pessoa está sendo sincera.

 

3) Peça ao adotante que assine um Termo de Responsabilidade

Clique aqui para baixar um modelo. Se ele se recusar a assiná-lo, desconfie!

 

4) Peça documento e comprovante de residência do adotante.

Essa medida garante que as informações do Termo de Responsabilidade estejam corretas, e realmente fazem o adotante se sentir mais comprometido.

 

5) Se possível, visite o local onde o bicho irá viver.

Assim você pode ver se há espaço e ambiente apropriados. Caso o ambiente seja inapropriado, explique ao adotante o que ele precisa adaptar (espaço, higiene do local, segurança) para garantir o bem-estar do bichinho. Se o adotante se negar a receber sua visita, desconfie! Ele pode estar querendo adotar um animal para rinhas, procriação e venda (especialmente os de raça), rituais etc.

 

6) Antes de doar, providencie a castração do animal.

Ou, se o animal ainda não estiver na idade certa, o adotante deverá se comprometer a fazê-lo quando chegar o momento. Se o candidato à adoção desejar um animal não castrado, explique a importância da esterilização. Caso contrário, ele poderá deixar a gata ou cadela terem filhotes, o que invariavelmente aumenta o número de animais abandonados. Ou pior: ele pode estar buscando animais para procriar, atividade que comumente implica maus-tratos.

 

7) Tenha cuidado especial com pedidos para filhotes de gato preto.

Eles são comumente usados em rituais religiosos, especialmente os não-castrados. Parece exagero, mas até as ONGs e CCZs evitam doar animais às vésperas de sexta-feira 13, porque o risco realmente existe!

Cartaz de conscientização sobre gatos pretos

 

8) Faça um acompanhamento dos animais adotados.

Ligue periodicamente para saber como foi a adaptação do animal, se está bem de saúde e se o animal foi castrado ao atingir 6 meses (no caso dos que foram doados com menos idade).

 

Se você está achando que todas essas dicas são um exagero, acredite: não são! Casais que desejam adotar uma criança humana são avaliados por mais de 1 ano até estarem aptos a ser pais adotivos. Então, gastar algumas horinhas pra garantir uma boa família para o cão ou gato não custa nada, né?

Fonte: http://www.institutoninarosa.org.br

 

Leave a Reply

8 Comentários

  1. Pingback: Perguntas para entrevistar um adotante | Amigo não se compra

  2. Luciane Paraiso Rocha

    Gostaria de divulgar essas dicas pelo face, como faço. gostaria de divulgá-las assim na íntegra e não somente o site. Por favor consertem o arquivo com as perguntas tentei acessá-lo e não consegui.
    Obrigada pela atenção.

    • admin

      Oi Luciane, obrigada por avisar! O link já foi corrigido.

      Obrigado também por ajudar a divulgar essas dicas, elas são muito importante principalmente para os “resgatantes” de primeira viagem… :o)

  3. Alvaro Ferreira

    Oi professora Luciane, boa tarde.
    Preciso de um HELP!
    Agradeço contato.
    Abç.
    Alvaro L. Ferreira
    Graduando/História/UFES
    af1340@hotmail.com

  4. Pingback: Resgatei um animal. O que fazer?

  5. Pingback: Não posso mais ficar com meu cachorro. O que fazer?

  6. Daniela

    Olá, meu nome é Daniela, tenho uma vira-latas adulta com uns cinco anos de idade.
    Estou desesperada porque não tenho mais condições de ficar com ela.
    Antes que me julguem, eu estou tentando fazer o que posso, mas sem êxito.
    Eu era casada quando adotamos a Preta, ela era novinha, mas o destino não foi tão feliz assim.
    Quando me divorciei, vim pra casa de minha mãe( que é casa alugada e com muitas pessoas vivendo dentro), também não tinha espaço, Preta ficou com meu ex marido por 6 meses, depois ele não a quis mais e como nosso relacionamento não estava bem eu tive que pegá-la novamente.
    Nesse tempo minha mãe conseguiu alugar uma casinha com um espaço a mais então eu pude ficar tranquila por um bom tempo.
    Mas agora a casa em que moramos a dona pediu pois irá vendê-la, então mais uma vez minha mãe alugou uma pequena casa sem espaço.
    Estamos para nos mudar Sexta-feira 30/06/17 e ninguém quer ficar com ela.
    Não sei o que fazer, não quero abandoná-la, mas não sei o que fazer. Me ajudem por favor.
    Moro aqui em Recife.
    Se alguém tiver como adotá-la vou me sentir Félix, pois realmente estou desesperada.
    Preta é uma cadela muito animada, gosta de brincar como qualquer cão e é carinhosa tbm.
    Ela nunca pariu

    • Olá, Daniela!

      Realmente é uma situação muito complicada, mas gostaria de salientar que abandono de animais é crime passível desde pagamento de cesta básica a prisão.
      Há alternativas, como você está com a posse da cadelinha é responsável por ela. Então deve ser a responsável por encontrar um novo lar. Você pode divulgá-la aqui no nosso blog: http://www.amigonaosecompra.com.br. Há também a opção de conseguir um lar temporário até que consiga um lar definitivo, você também pode hospedá-la em um hotelzinho para animais ou mesmo combinar com uma babá de animais um preço especial até que ela consiga um lar definitivo.
      Vamos ficar na torcida por vocês.
      Um abraço!

Next ArticlePerguntas para entrevistar um adotante