Como escolher um peludo pra chamar de seu – parte I

Nosso blog foi abrilhantado com a participação de uma médica veterinária portuguesa, que gentilmente preparou para nós uma série de posts bem detalhada com várias dicas de como escolher um peludo pra chamar de seu.

O post de hoje tem uma super participação internacional, a médica veterinária Drª Joana Prata. Ela é de Porto, Portugal e tem um blog super legal chamado O Meu Animal. Hoje ela vai nos dar ótimas dicas sobre como escolher um peludo para adotar, confira!

Ter um animal como companheiro é bom para qualquer família. Devemos escolher um animal adequado às nossas possibilidades e personalidade.

Antes de começar, devemos pensar qual é o animal que se adapta ao nosso estilo de vida. Em seguida devemos considerar as implicações de ter um animal. E depois de ponderar, como achar um animal perfeito.

Gato ou cachorro?

Os gatos são ideais para pessoas com uma vida ocupada. Os gatos são independentes e requerem menos tempo por parte do dono. Como dormem cerca de 18 horas por dia e se distraem facilmente, conseguem passar bem o dia sozinhos.

Não necessitam de ser sair para passear e adaptam-se perfeitamente a uma vida in door. São muito limpos e não têm um cheiro intenso. Como fazem a higiene pessoal lambendo-se, raramente precisam tomar banhos. E para as necessidades utilizam a caixa de areia, tornando fácil a limpeza.

Os gatos são ótimos companheiros e são afetuosos. Mesmo para as crianças podem ser um ótimo animal de estimação se as ensinarmos a respeitá-lo. Se você chega tarde em casa e tem pouco tempo, o gato será o animal mais indicado.

Os cães são animais mais ligados ao dono. A sua vida gira em torno do dono e por isso requerem mais tempo. Os cães precisam de atenção diária.

Os cães necessitam sair para fazer suas necessidades, passear e para fazer exercícios. Isto requer disponibilidade por parte do dono. No entanto, alguns cães podem ser treinados para fazer as necessidades em um jornal ou tapete higiênico. Os cães têm um odor intenso e necessitam de banhos frequentes.

A vantagem de ter um cachorro é ter um companheiro sempre pronto para a brincadeira. Pode levá-lo consigo para qualquer lado, como para passear ou correr no parque. Está sempre pronto para receber mimos e retribuir, expressando abertamente o seu amor pelo dono. Por outro lado, são mais fáceis de treinar o que pode ser uma vantagem.

Por este motivo, os cães são companheiros perfeitos para quem tem algum tempo para cuidar deles. Mas precisam de donos que fiquem em casa ou vão várias vezes em casa durante o dia. Os cachorros também são ótimos para acompanhar quem faz caminhada ou corrida.

Independentemente da escolha entre gato e cão, o animal vai exigir tempo e atenção. Se achar que não consegue proporcionar uma vida digna ao animal devido à falta de tempo pode adotar animais menos exigentes. Boas opções são peixes e tartarugas, visto que requerem menos tempo por parte do dono.

Filhote, adulto ou idoso?

peludos

Os cachorros e gatos filhotes são adoráveis, o que nos faz querer adotá-los. Mas esta poderá não ser a melhor opção para si.

Um animal filhote requer muito tempo para lhe dar toda a atenção e educação. Os animais pequenos não podem estar muito tempo sozinhos. O filhote adapta-se mais facilmente à família e temos a vantagem de o ver crescer. No entanto, quando não temos experiência prévia podemos ter dificuldade em educar o animal. Por outro lado, não sabemos qual vai ser o seu porte e personalidade quando crescer.

Um animal adulto já tem um porte e personalidade definidas. Já foi treinado previamente e conseguem passar maiores períodos de tempo sozinhos. Exigem menos atenção e tempo por parte do dono. Por isso animais adultos são ideais para pessoas com pouco tempo ou que nunca tiveram animais.

Animais idosos podem ser uma boa opção para quem quer um animal mais calmo e sedentário. Mas é natural que com a idade necessitem de cuidados veterinários mais frequentes.

Macho ou fêmea?

Os machos são mais territorialistas, podendo marcar território, entrar em lutas quando tem acesso a rua ou quando criados com vários outros animais e desaparecer na época do cio. As fêmeas apresentam períodos de cio que aborrecem o dono e podem ficar gestantes. Em ambos os casos, o contato e cruza com animais desconhecidos pode expôr o animal a doenças. Para evitar estes comportamentos e os seus risco poderá castrar o animal que além desses incômodos, evita várias doenças.

Independente de ser gato ou cachorro, os cuidados e a responsabilidades são as mesmas. Animais não são objetos e não devem ser tratados como tal. Converse com sua família, veja se todos estão de acordo em ter um peludo em casa, conversem sobre a preferência entre gatos e cachorros e até façam, caso achem necessário, um teste. Antes de adotar ofereçam lar temporário, se você é novato, veja aqui um depoimento que explica bem o que significa oferecer lar temporário.

Isso é legal, porque você só terá a responsabilidade por um período e se achar que é isso mesmo que quer, pode adotar. Caso ache que foi um equívoco, fique com ele até que consiga um lar definitivo. E veja bem, oferecer lar temporário é um lindo ato de amor também!

Conta pra gente aqui nos comentários, como você escolheu seu peludo?

E aí, gostaram do post de hoje?

 

Fiquem ligados porque esse post tem continuação hein! 😉

Semana que vem a gente volta com mais dicas e cuidados para vocês, até lá! 🐱🐶

 Banner Amigo adotar

Leave a Reply

1 comentário

  1. Pingback: Racismo e preconceito no mundo animal existe!

Next ArticleComo escolher um peludo pra chamar de seu - parte II