Como socializar seu gato

Socialização é o processo de desenvolver a confiança em seu gato e adaptá-lo às pessoas e aos outros animais da casa. Um gato que não é socializado pode ficar tímido, desconfiado, assustado ou agressivo. Já um gato bem socializado tende a ser amável, confiante, afetuoso e bem comportado. É especialmente importante socializar seu gato se você tem filhos pequenos, para que eles não sejam arranhados ou mordidos durante as brincadeiras.

Ao escolher um gato, aquele que demonstra um comportamento amigável e desinibido será mais fácil de socializar. Gatos mais velhos, que não tenham sido socializados, vão requerer muito mais tempo e esforço para treinar, mas também não é impossível fazê-lo.

Se adotar um filhote, a socialização provavelmente será mais fácil se você adotar dois. Eles farão companhia um ao outro quando você não estiver por perto, e terão uma tendência menor a desenvolver o tipo de comportamento destrutivo que surge com o tédio. Muitos abrigos têm pares de gatinhos muito ligados um ao outro, que precisam ir para a mesma casa.

Seu sucesso em socializar seu gatinho vai variar dependendo da personalidade inata e do perfil genético dele, e da quantidade de socialização que ele receber até as nove semanas de idade.

A socialização não precisa tomar muito tempo. Quanto mais contato melhor, mas mesmo sessões curtas de 15 minutos a cada dia vão ajudar a ganhar a confiança do seu gato e a colocá-lo com tranquilamente na sua casa.

Habituação e localização também ajudarão a fazer do seu gato um animal de estimação bem melhor. Habituação é o processo de fazer seu gato se acostumar com estímulos como sons, cheiros e paisagens. A localização acostuma seu gato a lugares da sua casa ou do seu ambiente de trabalho. Freqüentemente são trabalhadas juntas, como parte do processo de socialização.

 

Como socializar um gato

Pegue seu gato

Gatos que não tenham sido propriamente socializados podem ser desconfiados ou amedrontados. Eles podem demonstrar isso com mordidas e arranhões. A chave para dominar esse medo é acostumar seu gato a pegá-lo, para que ele saiba que nada ruim acontecerá enquanto ele estiver em seus braços. Comece devagar. Acaricie-o em áreas onde eles gostam de receber carinho – como no alto da cabeça. Então, pegue-o, afague suas patas com as pontas dos dedos, vá para a barriga, para a cauda e para as costas. Enquanto o toca, fale com ele suavemente e com calma, em voz baixa. Se ele ficar agitado, pare e deixe-o em paz. Se ele começar a ficar agressivo enquanto brinca, diga-lhe um firme “NÃO!” e coloque-o no chão.

Após a sessão de “toques”, dê-lhe um petisco. Continue fazendo isso várias vezes por dia, estendendo o tempo das sessões a medida que seu gato for ficando mais confortável com você. Estenda as sessões para incluir carícias nos pés e nos dedos, incluindo a exposição das unhas. Abra a boca dele e passe seus dedos pelas gengivas. Faça carinho nas orelhas. Esses exercícios vão ajudá-lo a ganhar um “bom gatinho!” futuramente, quando ele for adestrado, examinado pelo veterinário, tiver os dentes escovados ou as unhas cortadas.

Gritar com seu gato ou machucá-lo irá apenas aumentar seu medo e desconfiança. Sempre se aproxime e pegue-o com calma, e fale em voz baixa e tranqüila.

 

Brinque com seu gato

Gatos são predadores por natureza, e instintivamente precisam caçar e matar, mesmo que seja só um ratinho de brinquedo com catnip. Descubra é qual o tipo de brinquedo favorito de seu gato, e programe brincadeiras várias vezes ao dia. Isso pode reduzir a quantidade de comportamentos predatórios (ataque a tornozelos, etc.) que seu gato apresenta, e vai ajudar vocês dois a criar um forte vínculo.

Assim como nas sessões de toque, você não deve reforçar maus comportamentos. Se ele atacá-lo durante as brincadeiras, diga-lhe “NÃO!” e encerre a sessão.

 

Apresente seu gato a estranhos

Tenha certeza de que seu gato tem sua confiança antes de apresentá-lo a estranhos. Antes de deixar que outras pessoas o segurem, esteja certo de que elas manterão um tom de voz baixo e calmo, pelo menos até que ele esteja confortável com elas. Deixe o gato vá até elas, e não force a interação. Pode levar algumas visitas até que ele se sinta confortável com pessoas que ainda não conhece.

 

Se seu gato não socializar

Seja paciente

A socialização demora mais com uns gatos do que com outros. Alguns podem ser socializados em 95% dos casos, mas ainda podem atacar com dentadas e arranhões de tempos em tempos. Outros podem ser inerentemente antissociais.

Seja compreensivo e paciente, e respeite o tigre dentro dele. Continue a reforçar bons comportamentos e a desestimular os comportamentos indesejados. Às vezes o processo inteiro leva anos, mas ao final você será recompensado com um companheiro que enriquece sua vida de maneiras que você nunca esperou.

 

Esse texto é um artigo do site norte-americano Catster, traduzido especialmente para o Amigo Não se Compra pela voluntária Ana Carolina Pontes Maciel. Leia aqui o texto original.

 

Leave a Reply

4 Comentários

  1. Pingback: Como socializar seu gato « Blog da Lista Gatos

  2. Pingback: Conheça Kevin Richardson, adestrador de… leões! | Amigo não se compra

  3. Pingback: SOCIALIZAÇÃO | Enciclopédia do gato

  4. Pingback: 10 passos para deixar seu gato mais feliz

Next ArticleDepoimento: "Ela correu para o meio da rua brincando com um outro cachorrinho"