Dicas para cuidar do seu cão

Você sabe tudo sobre seu amigão? Confira aqui todos os cuidados de que ele precisa!

Adaptação do cãozinho:

Quando receber um novo cãozinho em sua casa, prepare um lugar quentinho e confortável, que pode ser uma caixa ou uma caminha. Se puder, coloque objetos com o cheiro do lugar em que ele estava anteriormente, como um paninho, para que ele não estranhe muito o local. E se for um filhote, coloque um relógio enrolado em um tecido, pois o tic-tac vai imitar o coração da mãe dele, deixando-o mais calmo. Uma garrafa com água morna (MORNA, não quente!) envolta em uma toalha também ajuda.

Alimentação:

Deixe sempre ága fresca para seu cão, longe do sol. Evite dar restos de comida, pois só a ração tem os nutrientes de que seu cão precisa em uma dosagem equilibrada. A ração não precisa ser misturada com água, leite nem comida. Para saber a quantidade certa, confira na embalagem da ração. Em todos os casos, não deixe a ração disponível por mais de uma hora, mesmo que o cão não tenha comido tudo. Se o cão não quiser comer, retire a comida, mas leve-o ao veterinário caso ele recuse três refeições seguidas.

Casinha:

Coloque a casinha ou caminha de seu cão em uma área coberta, protegida do sol e da chuva – mesmo que a casinha do cão já tenha seu próprio telhado.

Higiene:

Escove o pêlo do seu cão diariamente. Nos casos dos cães de pêlo longo, considere tosá-los, principalmente no verão. Dê banhos apenas quando ele estiver sujo, pois banho em excesso pode ressecar sua pele e pelagem. Use sempre produtos próprios para cães, de preferência com cheiro suave, pois o odor forte incomoda e prejudica o faro dos peludos.

Brincadeiras:

Cães adoram brinquedos de morder: ossos de borracha, plástico ou náilon. Não dê a ele objetos que soltem lascas ou pedaços que possam ser engolidos. Os filhotes precisam ainda mais desses brinquedos, porque o crescimento dos dentes os incomoda. Por isso mesmo, não deixe ao alcance do filhote sapatos, chinelos e afins.

Um cãozinho ou dois?

Ter mais de um cão pode ser uma ótima ideia, pois além de ser mais uma companhia para a família, ele será também companhia para o outro cão. Para que eles não briguem, seja sempre igualmente atencioso com ambos e dê comida em locais separados. Caso eles não se relacionem bem entre si, peça a ajuda de um adestrador, pois ele o ajudará a identificar o motivo do problema. Neste post falamos sobre como é ter dois ou mais animais.

Socialização:

Para acostumar seu cão a outras pessoas e animais, passeie sempre com ele, desde filhote. Sempre que ele tiver atitudes indesejadas como rosnar ou pular nas pessoas, repreenda-o com um firme “não”.

Treinando seu cão:

Não dê ao cão sobras da sua comida, nem o alimente com o que você estiver comendo. Nunca grite nem bata em seu cão pois isso pode tornar o cão agressivo. Quando ele fizer algo de errado, diga um firme e severo “não”. No mercado há manuais que mostram como educar seu cão. Comprar um desses e seguir as dicas pode ser excelente para a convivência do cão com você e sua família.

O cão sozinho em casa:

Para que seu cão não fique ansioso sozinho em casa, treine-o. Pegue suas chaves e saia por 2 ou 3 minutos. Vá aumentando esse tempo gradualmente. Ao deixá-lo sozinho, deixe um rádio ou tv ligada, pra que ouça vozes de pessoas e fique mais calmo. Veja aqui dicas para lidar com um cãozinho entediado ou que late muito.

Passeios:

Ao passear com seu cão, seja educado. Limpe o cocô do seu cão e encurte a guia dele quando passar por outras pessoas na calçada. Lembre-se de que a forma como seu cão se comporta interfere na maneira como as outras pessoas acabam vendo os cães em geral. Passeie sempre no início da manhã ou no fim da tarde para que seu cãozinho não sofra com o calor excessivo.

Passeando de carro:

NUNCA deixe seu cão sozinho dentro do carro. Os vidros do carro funcionam como uma estufa, deixando a temperatura em seu interior vários graus acima da temperatura externa, o que pode ser fatal para o seu cão.

Viagem:

Cães não devem ficar períodos longos sozinhos. Além disso, ele pode ser um ótimo companheiro de viagem. Antes de viajar, verifique se o hotel aceita animais e, principalmente, mantenha seu cão disciplinado. Muitos estabelecimentos não aceitam animais porque tiveram experiências ruins com donos mal-educados. Este post explica o que fazer caso você precise viajar sem seu cão.

Coleira e identificação:

Mesmo que seu cão nunca saia de casa, coloque uma plaquinha em sua coleira com o nome e seu telefone, incluindo DDD. Isso é muito, MUITO importante! Mesmo os cães mais caseiros podem ficar assustados com barulhos e fugir sem rumo pelas ruas. Também há outras maneiras de identificar seu cãozinho, como microchip ou coleiras com GPS.

Cuidados veterinários:

Cães adultos devem ser vacinados anualmente, além de serem vermifugados com frequencia. Filhotes devem receber esses cuidados com uma frequencia ainda maior. Em caso de qualquer alteração no apetite, pelagem, olhos ou comportamento do seu cão, leve-o ao veterinário. Aliás, mesmo que esteja tudo bem, leve seu cão ao veterinário para um check-up anual.

Castração:

Uma ninhada gera de 6 a 10 cachorros, em média. O que você pretende fazer com todos esses filhotes? Para evitar abandono e maus-tratos na rua, castre sua cadelinha! Além de evitar a gravidez indesejável, a castração evita a gravidez psicológica e reduz os riscos de alguns tumores. Nos machos, ela evita fugas, demarcação de território (ou seja, xixi nos seus móveis), tumores e agressividade por excitação sexual. Saiba mais aqui.

Plantas:

Tire do alcance do cão (ou melhor, nem tenha em casa) plantas venenosas como comigo-ninguém-pode, azaléia, copo-de-leite, entre outras. Aqui tem uma lista com várias plantas que podem ser tóxicas para os bichos.

 

Gostou dessas dicas? Então imprima um miniguia pra você! Clique aqui para baixá-lo.

E quando pintar alguma dúvida, pesquise, questione, leia, converse com o veterinário. Nuca perca a chance de melhorar a qualidade de vida do seu bichinho.

Veja também a lista de livros sobre cães e gatos que nós preparamos pra você!

 

Fontes: PremieR – Manual do filhote – Cães, Guia de cuidados com seu cão – Purina ProPlan.
Este post foi revisado pela veterinária Claudia Kantz.

Leave a Reply

24 Comentários

  1. Pingback: Cuidados com a alimentação do seu amicão | Valente – Adoção de Cães

    • Fabiana Xavier

      Olá Ismael,
      Ficamos muito felizes que você tenha gostado!

      Um abraço!

  2. Muito boa as dicas. Quando vamos receber um amigão em casa muita das vezes com nosso entusiasmo não levamos em conta tudo que deve ser feito para que nosso cachorro viva uma vida feliz e saudável do nosso lado.

    • Fabiana Xavier

      Olá Allan,

      Verdade, mas vale a pena cada tarefa que realizamos para deixar nosso peludinho mais feliz!

      Um abraço! :)

  3. Pingback: Como cuidar você mesmo do seu cachorro

  4. eu gostei
    dessa vez vou segui-las quando ter um cão ,mas hoje eu vou adotar um ,mas vai ser uma
    femea de verdade.

    • Fabiana Xavier

      Olá Luana,

      Ficamos muito felizes em saber que você gostou do post! :)

  5. Lizy

    Adorei o texto muito bem escrito. Também sou protetora de animais e já adotei assim como ajudei muitos cães a serem adotados.
    Acho importante sites como esse instigando que amigos não se compram, ao mesmo tempo que é um site que também ensina como cuidar dos pequenos.
    Eu acho que falta apenas um adendo sobre o cuidados com os cães na época de inverno. Muitos donos esquecem que cachorro também sente frio. Em especial alguns SRD cujo o sub pelo não é denso e os pequenos tremem de frio literalmente.
    Eu particularmente protejo meu SRD com roupinhas no inverno, algumas eu comprei nesse site: http://www.lojadocaomigo.com.br/roupa-de-cachorro-inverno ,fica a dica.
    Mas cada dono de cachorro precisa ter em mente que o mais importante na hora de cuidar dos pequenos é observar seu amiguinho eles também enviam diversos sinais quando não estão bem, quando precisam de atenção, etc.
    Parabéns pelo site.

    • Fabiana

      Olá, Lis!

      Que legal saber que você gostou!
      Continue acompanhando nossas dicas. :)

  6. Jose Cunha

    Olá, boa tarde.
    Tenho um yorkshire mini, e a semana passada fui viajar com a minha esposa e não pudemos levá-lo connosco. Tivemos de o deixar com uma amiga que vive na mesma casa que nos, mas em outra divisão da casa. No entanto ela ficou também cuidando de uma outra cadela e os dois cachorros se deram muito bem. Agora após essa cadela ter ido embora para a sua casa, o nosso Marvin fica o dia todo chorando, querendo ir para essa outra divisão da casa, já quase não brinca connosco. Não sabemos o que fazer… levamos ele para ver a outra cadela de vez em quando, ou será melhor tentar fazê-lo esquecê-la? É que está a ser uma situação difícil para nós ve-lo sempre a chorar, sem a alegria que estávamos habituados a ver…
    Obrigado

    • Olá, Jose!
      Eu consultei nossa médica veterinária voluntária, Drª Letícia, para te dar essa resposta.
      Ela nos informou que é muito comum essa situação. Ela indica você adotar um outro cãozinho para fazer companhia para ele.
      Todo animal que passa muito tempo sozinho pode desenvolver depressão ou mesmo ansiedade. É mais comum do que se imagina. Agora que ele sabe como é legal ter um amiguinho pra brincar e fazer companhia não quer ficar sozinho.

      Um abraço! :)

  7. Maria Helena

    Eu adorei as dicas meu tio tem uma cadela que teve filhos daí eu pedi pra minha mae e ela deixou já estou pesquisando pra quando ele chegar em casa esteja tudo prontinho pra ele principalmente a do paninho do local de anteriormente pra deixar ele mais calmo. Mas vai demorar +ou – 1 mês pra ele vim ele tem que ficar um pouco com a mãe dele. Valeu ótimo site.

  8. O seu site tem uma página de contato? Eu estou tendo
    dificuldades em localizá-lo, mas, eu gostaria de
    mandar um email. Eu tenho um pouco de ideias para seu blog, você pode
    estar interessado em ouvir. De qualquer forma, grande site e estou ansioso para vê-lo desenvolver ao longo do tempo.

  9. otiiimooooooo artigo, amei de mais,
    vou anotar cada dica e começar a usar cada uma delas, afim de cuidar melhor dos meus cachorrinhos e ter mais conhecimentos para escrever novos artigos em meu blog, abraços

    • Fabiana Xavier

      Olá!

      Ficamos muito felizes com seu feedback! Toda semana postamos uma matéria fresquinha, fresquinha! Continue acompanhando nosso blog!

      Um abraço!

  10. Pingback: Dicas para cuidar do seu cão – Pet Shop

  11. Adote um cachorro
    É vantajoso adotar cães adultos, já que sua personalidade já está formada. Os cães adultos são perfeitamente capazes de ser ensinados e compreender o reforço positivo – como ganhar recompensas quando fazem algo certo. E com uma vantagem: filhotes são hiperativos, enquanto os adultos têm maior foco e podem prestar mais atenção.

    Todos os animais merecem uma oportunidade.

Next ArticleTelas em apartamentos