Eu não gosto de animais… e daí?

Nem todo mundo gosta de samba. Tem gente que não gosta de bolo de chocolate, outros detestam legumes e filmes de terror? Aí nem pensar! Há também os que não gostam de animais! Parece impossível não gostar de animais né? Mas isso acontece e estou descobrindo que há mais pessoas nesse grupo do que eu imaginava. Mas e aí, qual o problema em não gostar de bicho?

Um dos problemas de não gostar de bicho é ter que conviver com ele. Mas o que isso tem a ver com o nosso tema? Bem, tenho visto um crescente número de pessoas que adotaram um animal por impulso e/ou não consultaram todos a respeito de ter um novo membro em casa. Isso definitivamente causa um transtorno em toda a família e muitas vezes acaba em abandono ou devolução ao abrigo.

Pelo que observei, na maioria dos casos a pessoa que não gosta de animais não gosta do latido do cachorro, dos pelos dos gatos que voam pela casa, do cheiro do xixi ou das fezes… e limpar a caixa de areia, nem pensar! Há também o trabalho extra de lavar tudo com mais frequência que quem não gosta de bicho não quer ter, sem contar o dinheiro gasto com saúde e alimentação.

No dia a dia essas pequenas coisas se tornam grandes e muitas vezes acaba pesando pra quem cuida sozinho do animal. No fim, é muito comum a desistência e devolução do bichinho, ou pior: o abandono na rua à própria sorte!

Mas vamos combinar, ninguém é obrigado a gostar de animais. Mas o que não pode em hipótese alguma é maltratar.

Então, pra ajudar a galerinha que convive com quem não gosta de animais, fizemos uma pequena lista do que pode e não pode pra ajudar nessa convivência:

O que pode

  • Conversar com todos da casa antes de adotar um animal;
  • Exigir que o animal seja tratado com respeito;
  • Respeitar a opinião da pessoa que não gosta de animais;
  • Respeitar o espaço do outro.

 

O que não pode

  • Achar que quem não gosta de animal é obrigado a dividir tarefas como trocar a água ou limpar xixi e as fezes;
  • Abandonar o animal na rua (lembre sempre: uma vez adotado ele passa a ser sua responsabilidade, então, se por algum problema você não puder ficar mais com ele deve ser o responsável por encontrar um novo lar e jamais deixá-lo à própria sorte na rua).

Os animais são pequenas bolas de pelos que nos ajudam a aliviar o estresse, ansiedade, melhoram quadros depressivos… e, sim, nos tornam pessoas melhores. Muitas pessoas dizem que não gostam de animais porque simplesmente nunca conviveram com um. Mas isso também não é motivo para “enfiar goela abaixo” um animal em suas vidas. Para quem nunca conviveu com um animal ou tem preconceito, muito comum com os gatos, o legal é apresentar o animal com calma.

Se você quer converncer alguém que mora com você a gostar de animais, aqui vão algumas dicas: visite um abrigo de animais abandonados, ofereça lar temporário a um peludo, se ofereça pra ficar com o bichinho de alguns amigos enquanto eles saem de férias. Dessa forma a pessoa que diz que não gosta pode constatar se realmente não gosta ou diz que não gosta porque nunca teve um peludo por perto.

Porque até os brutos amam os animais

Vou dar um exemplo muito prático e pessoal: eu sempre tive gatos, desde criança. Já meu marido cresceu com cachorros e nunca gostou muito… Mas a mãe dele gostava, então, só cabia aceitar, rs.

Quando a gente se casou eu queria muito um gato, mas ele nem pensar. Cresceu com cachorros e odiando gatos! Então nunca adotamos um. 😱  Até que um belo dia resgatei uma gatinha arisca de 2 meses da rua. Ele não queria, me deu 24h pra me livrar do gato. Não dei a pobrezinha. Aí ele pegou e deu para o vizinho que cuidava de animais e encaminhava para adoção. Já imaginaram o que aconteceu aqui né? Rs (casal é tudo igual, gente). No dia seguinte, eu estava trabalhando e ele só me mandou uma foto da gatinha. ❤ Ele a chamou de Ruby, comprou caminha, brinquedos e fez questão de levar ao médico. Fizemos todos os exames e demos as vacinas (isso na primeira semana dela aqui em casa). Na segunda semana já telamos toda a casa para ela ficar protegida. Não esqueçam, tudo isso vindo do homem de que detestava gatos.

Conclusão: ela dorme com ele até hoje, os dois brincam de pega-pega pela casa, ele a adestrou pra sentar e dar a patinha, enfim, são grandes amigos.

Muitas vezes é puro pre-conceito de quem nunca conviveu com um animal. No meu caso, foi um resgate e eu não tinha como deixar a pobrezinha na rua. Eu até pensei em encaminhar para adoção (shhhhiiiiiii), mas bati o pé só pela resistência dele (mas não contem pra ele hein, é nosso segredo!)

Mas se você for adotar de um abrigo, pense, converse, e dê um tempo. Em todo caso, se a pessoa não quiser adotar pense muito, mas muito mesmo. Porque no final das contas o trabalho vai ficar exclusivamente para você e depois não poderá cobrar do outro sobre a sua decisão absoluta.

Respeite a opinião do outro assim como você gosta de ter a sua opinião respeitada.

Banner Amigo adotar

Leave a Reply

Next ArticleSocorro: meus cachorros só brigam!