Eu não gosto de animais… e daí?

Nem todo mundo gosta de samba. Tem gente que não gosta de bolo de chocolate, outros detestam legumes e filmes de terror? Aí nem pensar! Há também os que não gostam de animais! Parece impossível não gostar de animais né? Mas isso acontece e estou descobrindo que há mais pessoas nesse grupo do que eu imaginava. Mas e aí, qual o problema em não gostar de bicho?

Um dos problemas de não gostar de bicho é ter que conviver com ele. Mas o que isso tem a ver com o nosso tema? Bem, tenho visto um crescente número de pessoas que adotaram um animal por impulso e/ou não consultaram todos a respeito de ter um novo membro em casa. Isso definitivamente causa um transtorno em toda a família e muitas vezes acaba em abandono ou devolução ao abrigo.

Pelo que observei, na maioria dos casos a pessoa que não gosta de animais não gosta do latido do cachorro, dos pelos dos gatos que voam pela casa, do cheiro do xixi ou das fezes… e limpar a caixa de areia, nem pensar! Há também o trabalho extra de lavar tudo com mais frequência que quem não gosta de bicho não quer ter, sem contar o dinheiro gasto com saúde e alimentação.

No dia a dia essas pequenas coisas se tornam grandes e muitas vezes acaba pesando pra quem cuida sozinho do animal. No fim, é muito comum a desistência e devolução do bichinho, ou pior: o abandono na rua à própria sorte!

Mas vamos combinar, ninguém é obrigado a gostar de animais. Mas o que não pode em hipótese alguma é maltratar.

Então, pra ajudar a galerinha que convive com quem não gosta de animais, fizemos uma pequena lista do que pode e não pode pra ajudar nessa convivência:

O que pode

  • Conversar com todos da casa antes de adotar um animal;
  • Exigir que o animal seja tratado com respeito;
  • Respeitar a opinião da pessoa que não gosta de animais;
  • Respeitar o espaço do outro.

 

O que não pode

  • Achar que quem não gosta de animal é obrigado a dividir tarefas como trocar a água ou limpar xixi e as fezes;
  • Abandonar o animal na rua (lembre sempre: uma vez adotado ele passa a ser sua responsabilidade, então, se por algum problema você não puder ficar mais com ele deve ser o responsável por encontrar um novo lar e jamais deixá-lo à própria sorte na rua).

Os animais são pequenas bolas de pelos que nos ajudam a aliviar o estresse, ansiedade, melhoram quadros depressivos… e, sim, nos tornam pessoas melhores. Muitas pessoas dizem que não gostam de animais porque simplesmente nunca conviveram com um. Mas isso também não é motivo para “enfiar goela abaixo” um animal em suas vidas. Para quem nunca conviveu com um animal ou tem preconceito, muito comum com os gatos, o legal é apresentar o animal com calma.

Se você quer converncer alguém que mora com você a gostar de animais, aqui vão algumas dicas: visite um abrigo de animais abandonados, ofereça lar temporário a um peludo, se ofereça pra ficar com o bichinho de alguns amigos enquanto eles saem de férias. Dessa forma a pessoa que diz que não gosta pode constatar se realmente não gosta ou diz que não gosta porque nunca teve um peludo por perto.

Porque até os brutos amam os animais

Vou dar um exemplo muito prático e pessoal: eu sempre tive gatos, desde criança. Já meu marido cresceu com cachorros e nunca gostou muito… Mas a mãe dele gostava, então, só cabia aceitar, rs.

Quando a gente se casou eu queria muito um gato, mas ele nem pensar. Cresceu com cachorros e odiando gatos! Então nunca adotamos um. 😱  Até que um belo dia resgatei uma gatinha arisca de 2 meses da rua. Ele não queria, me deu 24h pra me livrar do gato. Não dei a pobrezinha. Aí ele pegou e deu para o vizinho que cuidava de animais e encaminhava para adoção. Já imaginaram o que aconteceu aqui né? Rs (casal é tudo igual, gente). No dia seguinte, eu estava trabalhando e ele só me mandou uma foto da gatinha. ❤ Ele a chamou de Ruby, comprou caminha, brinquedos e fez questão de levar ao médico. Fizemos todos os exames e demos as vacinas (isso na primeira semana dela aqui em casa). Na segunda semana já telamos toda a casa para ela ficar protegida. Não esqueçam, tudo isso vindo do homem de que detestava gatos.

Conclusão: ela dorme com ele até hoje, os dois brincam de pega-pega pela casa, ele a adestrou pra sentar e dar a patinha, enfim, são grandes amigos.

Muitas vezes é puro pre-conceito de quem nunca conviveu com um animal. No meu caso, foi um resgate e eu não tinha como deixar a pobrezinha na rua. Eu até pensei em encaminhar para adoção (shhhhiiiiiii), mas bati o pé só pela resistência dele (mas não contem pra ele hein, é nosso segredo!)

Mas se você for adotar de um abrigo, pense, converse, e dê um tempo. Em todo caso, se a pessoa não quiser adotar pense muito, mas muito mesmo. Porque no final das contas o trabalho vai ficar exclusivamente para você e depois não poderá cobrar do outro sobre a sua decisão absoluta.

Respeite a opinião do outro assim como você gosta de ter a sua opinião respeitada.

Banner Amigo adotar

Leave a Reply to Maria Cancel Reply

10 Comentários

  1. Ronaldo

    Então, a gente pode e deve respeitar a opinião do outro, mas também pode opinar. A meu ver, as pessoas que maltratam os animais ou, simplesmente, aquelas totalmente indiferentes a eles, são, a meu ver, incompletas do ponto de vista humano. Falta alguma coisa nelas: uma sensibilidade a mais, um amor maior à vida, respeito à natureza, integração com a natureza, compaixão pelos seres inferiores, curiosidade, etc. E tudo isso demonstra uma falha, uma limitação. A natureza é um todo. Eu, por exemplo, gosto da natureza, em geral: animais, plantas, seres humanos, minerais, etc. Não é melhor assim?

    • Maria

      Não necessariamente incompletas. Eu tive um poodle lindo, meu filho de 4 patas por 18 anos. No final , sofreu muito, problemas neurológicos, ficou cego, batia a cabeça na parede, ficava rodando e muitas vezes encostado na parede, não dormia, só chorava, fazia as necessidades na caminha dele , eu dormia no chão ( coloquei um colchenete ao lado dele ), ele não comia e água só com a seringa ; tomava tantos remédios, para oxigenacão, calmantes, 40 gotas de Dipirona e ainda não dormia, e eu ouvia ele chorando baixinho , ficou tão doente que a veterinária insistiu na eutanásia ; sofri tanto ( pq na hora não cai a ficha), depois misericórdia , que dor, que arrependimento, que saudades, tive uma depressão e precisei de psicólogo. Então jurei nunca mais ter ninguém para não sofrer. Gosto muito, mas não quero mais.

    • Ana

      Assim como tem pessoas que não gostam de crianças, tem as que não gostam de animais, mais isso não quer dizer que seja incompleta. Incompleta é a pessoa achar que todos são obrigados a gostar de animais.

      • Ana, eu não gosto de crianças, muito menos animais. Sou contra maltratar ambos. Quem não gosta, fica longe deles assim como eu faço. Obrigado por saber que existem pessoas “normais” que não gostam de bichos!

        • Mauro Costa

          Pefeito…infelizmente quem não tem um pet, um gay e um afrodescendente na família, hoje não está enquadrado na família criada pela tv globo.

  2. Thiago

    Eu por exemplo não gosto de cachorros, tem cheiro forte demais, entre outras coisas, gosto de gatos mas tenho uma alergia danada aos pelos, passarinhos não nasceram para viver em gaiolas. E nem por isso me falta nada, sou feliz desta forma, quem acha que falta algo em alguém por não gostar de animais está terrivelmente enganado e se enganando, pois ninguém é obrigado a ter filhos ou casar para ser feliz! Cada um é feliz de sua forma particular e respeitar isso é o mais importante!

  3. sandra

    Sabe esse negocio, de vc abrir a boca e expor sua opinião é complicado, eu estava chateada, pois não gosto de cachorro, tenho pois minha familia optou em ter, mais eles só optaram quem limpa toda sujeira sou eu,mais não maltrato a bichinha, brinco, de vez em quando mais não gosto de cachorro, e hoje em dia vc dizer que naõ gosta de cachorro, é como essa opnião acima, vc é julgado(a) por não ter coração, ser ruim, é como falaram ai tem gente que não gosta de criança e ai, eu não gosto mais não maltrato, mais não gosto, gosto é de bicho de pena tinha uma maritaca que amava (o nome dela era lúlu) mais morreu. mais cachorro naõ gosto mesmo, mais não maltrato.esse assunto me deixou melhor ( as vezes as pessoas falam tanto que se vc não gostar de cachorro que vc não tem coração( que se vc deixar isso entra dentro de vc e vc passa acreditar e se culpar por isso.

  4. Mauro Costa

    Não dá para imaginar a quantidade de internação em HPS por sexo com animais…Para mim quem beija a boca de um cão que lambe o pênis, pode e com certeza faz sexo oral com o mesmo…Tenho certeza que pessoas usam o animal no lugar de filho, irmão e cônjuge…É a falta de capacidade de se relacionar com quem tem opinião própria.

  5. juliana

    Oi , meu nome é Juliana, eu tive um Gato, que falava que ele era a realização de um sonho… ele viveu oito anos e faleceu nos meus braços. Ganhei ele quando estava sendo gerado na barriga da mamãe dele… Que ajudei com Ração forte e vitaminas, até ele nascer e vir para casa depois de 2 meses.
    Antes dele chegar meu marido pegou uma filhote de Cachorra. Que quando ela chegou, eu só disse uma coisa… Pode entrar com o cachorro desde que , ele nunca domine a nossa casa e nem você…
    Passou se alguns anos , tivemos que mudar de um apartamento , por causa da cachorra… Nossos custos aumentaram, enfim, nessa situação eu já fiquei chateada, princialmente, porque passeios longo e viagens já não podia mais por causa dos animais, mas o Gato era só colocar bastante ração, a caixinha de areia bastante água e poderíamos , sair… mas já que assumimos essa responsabilidade ok!!!
    Todos os dias quando meu esposo chegava do trabalho eu ia recebe lo com um bj e um abraço no portão…
    Até o dia que a cachorra entrou no nosso meio , e ele deu um passo para trás e disse: Não chegue perto de mim porque ela não quer…
    Para mim esse dia foi um dos piores dias da minha vida, deste dia em diante eu não fui a mesma…
    Antes eu gostava de assistir programas de animais , e isso nunca mais ocorreu, Pior, nunca mais a minha casa foi a mesma, nunca mais eu fui a mesma…
    Eu não maltrato, até cuido para que o quintal esteja limpo, já dei Edredom meu, comprei varias vezes cobertor novo, não deixo faltar água…
    Mas o que me incomoda é que depois disso , eu deixei de gostar de cachorro, porque essa situação fez com que eu me sentisse inferior a cadela dele.
    Na verdade , acho que não é de cachorro que não gosto, não gostei dessa situação, e não gosto mais dessa cachorra, a ponto de eu simplesmente colocar em risco o nosso casamento…
    Já fiz terapia, para conseguir lidar com essa situação, mas a cada dia fica mais pesado… E eu acredito que está complicado … Então eu vim buscar na internet, se eu tenho direito a não gostar desse animal… porque sou punida cada vez que falo a verdade… Todos querem que eu goste… mas eu não gosto… Eu não maltrato… eu até cuido… mas não gosto… Eu posso? Eu tenho esse direito?

  6. Macgyver

    Eu gosto de gatos e de hamsters tenho dois. Mas se tem um animal que eu detesto é cachorro. Não maltrato, mas não gosto e nuunnca terira um. Meu problema com cachorro é o latido. Bicho chato dos infernos. A vizinha chata aqui do lado tem cachorros e os demônios latem o dia inteiro, a noite se calam mas as vezes latem de madrugada com algum barulho. A dona não leva para passear, não cuida direito, as vezes bate neles. Os bichos vivem estressados e latem para cada sombra que passa perto do portão do lado. Como conseguem conviver assim? Polícia se chamar faz nada. Seria melhor que não tivessem esses bichos. O pior é que muita gente é assim. As vezes antes de dormir chego à janela, e a única coisa que eu escuto são os latidos no horizonte. Um late, outro passa a latir também, e fica esse coral do inferno. É triste!

Next ArticleSocorro: meus cachorros só brigam!