Projeto traz nova vida a animais que não podem andar

apresentaçãoHoje nossa matéria será bem diferente do costume. Vamos conversar com a Vânia Gomes, moradora de Fortaleza/CE, Babá de Animais e uma das responsáveis pelo Projeto Cadeirinha de Rodas para Pets, também conhecido como Rodapet.

Vânia, que ainda se emociona ao falar dos animais, e seu amigo Marcos realizam um projeto para auxiliar as pessoas que têm um animalzinho que sofreu algum acidente, violência, maus tratos ou que por alguma doença ficaram com alguma deficiência e não conseguem mais andar.

antes e depois

Antes e Depois das cadeiras de rodas – em PVC e em alumínio

Marcos entrou no projeto trazendo gás e muitas ideias: antes, eram todas feitas em canos de pvc mas com a criatividade dele, agora são produzidas em alumínio que é mais leve e melhora a mobilidade do animal. Ele criou vários modelos de cadeiras e confecciona pessoalmente cada uma delas. Segue o antes e depois das cadeiras:

Se dividindo entre trabalho, família e os animais, muitas vezes atravessa a madrugada e fins de semana para que um animal possa andar e ter uma vida digna. Marcos e Vânia acreditam que todo animal merece uma vida feliz com um lar repleto de amor e alegria independente de sua situação física.

Nossa entrevista com Vânia:

E assim começamos nossa entrevista! Gostaria de saber como surgiu a ideia do projeto?
Como sou babá de animais, cuidei de um cãozinho que tinha hérnia de disco e não conseguia andar. Fiz ele usar a cadeirinha de cano pvc e ele andou novamente. Depois uma amiga encontrou um cãozinho de rua, que também iria precisar de uma… ela pensou, idealizou o projeto e me chamou pra fazer parte. Eu aceitei e um tempo depois, ela deixou o projeto, enquanto eu fiquei.

Vocês tem algum lucro confeccionando essas cadeiras?
Não. Eu tenho a minha profissão, Babá de Animais e o Marcos tem a dele. Nosso sustento vem do nosso trabalho. Com o projeto nós só recebemos lambidas e sorrisos!


amigo

Hoje vocês contam com algum parceiro para ajudar na confecção das cadeiras de rodas?
Não. Como a grande maioria não tem condições de pagar o material e nem nós podemos custear de próprio bolso todas as cadeiras de rodas, pedimos doação no Facebook, fazemos rifas e para as pessoas que doam dinheiro a gente vai dando satisfação do processo de confecção das cadeirinhas. Para quem mora longe a gente passa a conta da esposa do Marcos, porque não tenho nem conta em banco! Quando a gente consegue fazer a cadeirinha e doamos, fazemos um vídeo ou pedimos para o proprietário do animal fazer um vídeo ou foto e a gente envia para todos que se envolveram nas doações e postamos no Facebook.

Como funciona pra quem tem um animalzinho cadeirante?
Até pouco tempo atrás, a gente fazia tudo e doava de próprio bolso, mas eram pessoas só aqui de perto. Com o tempo os pedidos foram aumentando muito e não tivemos como tirar de próprio bolso tantas cadeiras de rodas. Tem gente do Brasil todo que faz encomenda.

Cada cadeira tem um custo e a gente não tem ajuda do Governo e nem de nenhuma empresa. Então a gente repassa o valor do material ou, se a pessoa quiser, a gente passa a lista e ela mesma compra, que a gente monta a cadeirinha com o material que ela nos entrega. Agora, existem pessoas que não tem nem o dinheiro do material (a grande maioria, para falar a verdade) aí a gente faz rifa, pede no nosso Facebook pra quem puder ajudar e o Marcos ainda faz algumas casinhas de cachorro para vender. Com esse dinheiro a gente soma tudo e faz a doação. Mas tem aquele momento em que nem assim a gente chega ao valor, então acabamos tirando do próprio bolso, parcelamos no cartão e assumimos a conta.

Conta pra gente como o Marcos entrou no projeto?
Um dia o Marcos apareceu pedindo uma cadeira de rodas para um cachorro do vizinho dele, nós fazíamos até então em cano de PVC mas o cachorro não andou, empacou mesmo. Certa vez nós ganhamos uma cadeirinha de alumínio e eu levei a cadeira para o Marcos experimentar no cachorro do vizinho dele.
Foi muito emocionante pois quando colocamos ele na cadeira de rodas de alumínio o cachorro saiu correndo, isso impactou muito o Marcos!
Tempos depois ele adotou o Fênix Veão, estava muito machucado, debilitado, não andava mais. Ele falou que ia comprar o material ia olhar a cadeira que ganhamos e ia fazer outra igual para o cachorro dele e assim ele o fez. Ele é muito inteligente e sagaz! Depois disso ele entrou no projeto, fez grandes mudanças, melhorou muito a vida dos animaizinhos cadeirantes e não saiu mais.

Fenix Veao

Antes e depois do Fênix Veão, cachorrinho do Marcos que ama praia.

O cachorro do Marcos também foi adotado e estava muito machucado, mas após tratamento e com a cadeira, ganhou nova vida.

Todas essas cadeiras de rodas são produzidas por vocês mesmos?
Sim, o Marcos entra com toda a mão-de-obra e se divide entre o trabalho diário e as confecções das cadeiras. Às vezes ele trabalha durante o dia e faz as cadeiras durante a madrugada emendando no fim de semana.

Há quanto tempo existe o projeto?
1 ano e 6 meses mais ou menos. Nesse período ajudamos mais de 200 animais cadeirantes.

O tamanho da cadeira varia de acordo com o tamanho do animal. Como fazem para tirar essas medidas?
Hoje nós produzimos diversos tipos de cadeiras de rodas. O Marcos foi vendo a necessidade de cada animal e inventou alguns modelos como cadeira para apoio frontal (em diversos modelos), cadeira de apoio de quatro patas, cadeira de apoio de traseiro e agora temos um modelo extra grande feita especialmente para um Dog Alemão. Pretendemos usar um modelo parecido para uma porquinha chamada Olívia, que pesa uns 60 quilos e está com dificuldades para andar.

Então devido aos vários modelos que produzimos, o Marcos faz um vídeo usando seu cachorro cadeirante como modelo e envia para a pessoa ensinando como tirar as medidas de forma correta. Quando a pessoa está perto, a gente faz questão de ir pessoalmente tirar as medidas para evitar erros na construção das cadeiras.

collage

Alguns exemplos dos modelos das cadeiras.

Vale lembrar que, para tiramos essas medidas, tivemos ajuda de um Veterinário especialista em reabilitação animal, Dr Alison André Ximenes, que nos ensinou como acomodar coluna em relação a altura do animal, apoio de corpo, patas, enfim, todos os aspectos que tornem a cadeirinha confortável e funcional.

Quais as funcionalidades da cadeira de rodas?
Além de andar, ela ajuda a evitar feridas que normalmente ocorrem quando o animal passa muito tempo sentado ou deitado. Também auxilia na hora do banho, na hora da comida, nas necessidades fisiológicas, evita que o animal entre em depressão e melhora a musculatura das patas não doentes.

Como é quando vocês chegam com a cadeira para o animal?
Quando a gente chega na casa deles, normalmente estão deitados num canto isolado, deprimidos, não querem comer, tem os olhos tristonhos. Quando a gente coloca ele na cadeirinha, quando ele percebe que aquilo ali vai devolver a mobilidade dele, parece um passe de mágica! Eles ficam tão felizes que não há uma só vez que a gente faça isso e não se emocione.

Cat amigo

Antes e depois de um gatinho.

Segue um exemplo de uma cachorrinha que só ficava deitada, sem nenhuma perspectiva. Chegamos com a cadeira e hoje ela até passeia na rua com sua dona.

dog

Antes e depois de uma cachorrinha que só vivia deitada até ter a cadeirinha.

Essas cadeiras de rodas são apenas para cachorro?
A grande maioria é para cachorro sim, mas fazemos também para gatos, vamos fazer para a porquinha Olívia e uma vez íamos tentar fazer para um coelho, mas a dona dele nos pediu a cadeira e não deu mais notícias. A gente quer ajudar, não importa a espécie! Mas de forma geral, os cachorros se adaptam mais às cadeiras que os gatos.

Até quantos quilos essa cadeira que vocês fazem suporta?
A gente só faz cadeiras em alumínio, mas dependendo do peso do animal a gente vai mudando o material. Para os mais pesados o alumínio tem que ser mais resistente. Dependendo do tamanho, usamos pneus de bicicleta e os assentos são todos confeccionados em cabo de aço.

Qual a durabilidade dessas cadeiras?
Não sei te informar com exatidão mas desde que estamos fazendo cadeiras em alumínio, faz cerca de 1 ano e pouquinho, nunca tivemos nenhuma reclamação.

Algum cuidado especial na manutenção dessa cadeira?
Na verdade não. Pode lavar com água e sabão, usar bombril. O Marcos inclusive leva o cachorro dele na praia, ele até entra na água com a cadeira, passa em pedra, buraco, areia, barro, sobe degraus. É super leve e dá liberdade para o animal.

Existe alguma coisa que te deixa triste nesse trabalho?
No trabalho em si não. O que me entristece são pessoas que tem condições de custear o material e mentem se dizendo carentes. A gente mobiliza meio mundo, muitas vezes pagamos de próprio bolso e quando a gente vai entregar a vê que a pessoa mora numa mega casa, com um carro importado na garagem e às vezes ainda nos pedem para esperar pois a dona está no salão. Mas mesmo assim, a gente faz a entrega, afinal a cadeira já está pronta e o animal não tem culpa né?

O que importa é que a gente está de consciência tranquila, a gente não enganou ninguém. Fazemos a nossa parte e acreditamos em um Deus justo.

Por outro lado, a gente recebe pedido de pessoas altamente carentes que prometem que vão nos pagar, pois não aguentam ver seus bichinhos sofrendo. Mas a gente vai lá tirar as medidas, e vê que ela mal pode se sustentar. A gente não pensa duas vezes e faz doação. São por essas pessoas e pelos animais que a gente junta força todo dia pra continuar com o trabalho.

Algum caso curioso pra contar pra gente?
Houve um caso de um cachorro que foi atropelado e a família dele não tinha tempo nem condições de cuidar. O cachorro estava ficando deprimido e passava algumas necessidades. Uma vizinha que acompanhava a situação pediu o cachorro para ela e os antigos donos cederam. Um grupo de amigos se reuniu e ajudaram a comprar alguns medicamentos, fraldas e a cadeira. Hoje ele vive alegre em um lar repleto de amor.

Neguim1

Antes e depois do Neguim, resgatado por sua vizinha, agora sua nova tutora.

Houve algum caso que te emocionou mais?
Teve um cachorrinho chamado Boca, ele hoje está com suspeita de câncer e está num abrigo, mas na época da doação, assim que colocamos a cadeira nele ele saiu correndo em disparada, chegou na metade do caminho, parou, voltou, me deu uma lambida e saiu correndo de novo. Eu chorei tanto, me marcou profundamente. Até hoje quando lembro dessa história, eu choro.

dog

Antes e depois do cachorrinho Boca, que saiu correndo em disparada depois de receber sua cadeirinha. Foto tirada no exato momento em que ele volta para agradecer.

Como faz para ajudar ou ser parceiro do projeto?
A gente não entende muito de tecnologia, então só temos o Facebook para contato. Mas recebemos muitos pedidos de ajuda vindo de todo Brasil onde 90% são de pessoas carentes. Precisamos de toda ajuda possível. Seja com doação de material, alguma loja que queira ser parceira ou até mesmo em dinheiro para compra do material. A gente nem leva em consideração mão de obra, luz, tempo, nada. Só o material das cadeiras já estaria bom.

Espero que tenham gostado da nossa entrevista, deixem sua opinião ou depoimento aqui nos comentários pra gente!

Quem quiser ser parceiro ou quiser ajudar o projeto pode nos enviar um e-mail ou deixar mensagem aqui, ou no Facebook que encaminharemos direto para Vânia em prol do projeto.

Amigo não se compra, se conquista! Esses seres tão puros e adoráveis são feitos apenas de amor e só transmitem carinho.

“Até que tenhas amado um animal, uma parte de tua alma estará adormecida.”
Anatole France

Não esqueçam do motivo de termos duas mãos, uma é para receber, mas a outra é para doar!

Abraços, até semana que vem!😉

Leave a Reply

19 Comentários

  1. Quero agradecer a Fabiana Alvarez e toda a sua equipe deste site, pelo carinho, respeito e seriedade, com a sua forma de abordar o assunto do nosso projeto. Ficamos (Eu e Marcos) emocionados e nos sentimos estimulados a continuar nessa luta tão solitária e ao mesmo tempo, tão bonita, de proteção e cuidado com os animais. Vânia.

    • Fabiana Xavierr

      Fico muito feliz que tenham gostado da matéria! Vocês são guerreiros e merecem todos os nossos aplausos!!

    • Eliza D'Ambrosio

      Gostaria de saber como faço para entrar em contato. Meu cachorro tá quase sem andar, tenho problema de coluna e fibromialgia e não sei o que fazer pois não tenho dinheiro mais para custear nem meus remédios direito. Por favor respondam a esse email. Grata. Eliza

  2. Gracimara Chaves Souza

    Fiquei muito emocionada quando li essa reportagem, parabéns Marcos e Vânia pela dedicação ao confeccionar as cadeiras de rodas para os animais, vcs são anjos que Vieram para esse mundo para amenizar o sofrimento desses animais. Obrigada por existirem! Que Deus os abençoe e os recompensem por tanto trabalho e dedicação.. Desejo a vcs muita saúde e muitas doações em dinheiro para q esse projeto continue ajudando os necessitados. Um grande abraço . Entrarei em contato

  3. Kharla

    Excelente abordagem. Parabéns pela escolha do tema. Vânia e Marcos, parabéns pelo trabalho!

    • Fabiana Xavierr

      Acho que ainda falta muito pra acabar com certos preconceitos de adoções especiais, o Marcos e Vânia estão aí para mostrar que eles amam e dão carinho como qualquer outro animal.
      Obrigada pelo carinho, a equipe agradece! ☺

  4. Pingback: Amigo Não se CompraEutanásia animal, quando a decisão vem do coração

  5. Marcia

    Como faço para encomendar uma cadeira para o meu cão?

  6. eu queria entrar nesse grupo também pois eu amo animais eu quero cuidar deles quando eu vejo animais de rua e começo a chora de tanta pena foi então que eu pensei ser veterinario e cuida de cada animal de rua

  7. Carlos Indenburg Alves de Oliveira

    Ola tenho um cao que levou uma queda e vive deitado sem levantar nem andar ha alguns meses, e um sofrimento, moro em Fortaeza, tenho condicoes de custear o valor da cadeira mas nao consigo encontrar o endereco de quem fabrica essas cadeiras, preciso muito dessa cadeira, me ajudem a encontrar o endereco desse projeto, da Vania Mesquita baba de animais ,agraceco muito.

  8. Alexandre de carvalho fernandes

    Boa noite!

    Tenho uma basse que teve uma lesão causada pelo peso da barriga dos filhotes e hoje se arrasta como faço para obter um suporte desse com rodas para ela?

  9. Pingback: 6 motivos para comemorar o Dia Internacional da Mulher

  10. Michele possari

    Boa noite…. Gostaria de saber… Como faço para adquirir as cadeiras,..pois preciso de duas cadeiras…..queria saber tbm qual o valor cobrado é de é um tamanho de de para adaptar ao tamanho do animal…… Muito obrigada! Sou de Campinas…

Next Article6 Dicas de limpeza incríveis pra você que tem um pet