Resgatei um animal. O que fazer?

Antes de mais nada, parabéns por se importar e tomar uma atitude para ajudar um ser indefeso. O animal abandonado sofre como nós sofreríamos, e você está prestes mudar a vida dele!

 

O primeiro passo

Os animais resgatados geralmente estão famintos, então dê ração e água a ele. Se não tiver ração, pode dar um pouco de arroz ou carne não temperada que você tenha em casa mesmo. Depois, logo que puder, leve-o a uma Clínica Veterinária para checar a saúde do animal. Se ele estiver com alguma ferida ou problema visível, leve-o diretamente para o veterinário.

 

Existe algum abrigo ou ONG aonde eu possa levar o meu animal?

Infelizmente, não! Os abrigos existentes além de estarem lotados estão sempre precisando de ajuda, pois o abandono de animais é muito maior que as adoções. Além disso, jamais leve ou chame a carrocinha. Normalmente as carrocinhas não recebem animais entregues por munícipes. E as que recebem, muitas vezes, acabam matando os animais em poucos dias (você pode saber mais sobre as carrocinhas aqui). Então, o ideal é você abrigá-lo em sua casa até que consiga um lar definitivo para ele. Separe um espaço no quintal ou um cômodo dentro de casa para que ele possa ficar seguro e abrigado e, caso você já tenha outros animais em casa, evite deixar o recém-chegado em contato com eles.

 

Eu não tenho onde deixar esse animal. Aonde posso levá-lo?

Tente ver com algum amigo, parente ou vizinho se eles poderiam abrigar o bichinho temporariamente até ser adotado. Também há clínicas, pet shops e hoteizinhos onde o bichinho pode ficar hospedado até ir para a nova casa. O importante é deixá-lo em um lugar seguro e depois partir para a divulgação. Para pagar os custos com hospedagem, tratamento e ração, uma dica é tentar fazer uma vaquinha entre seus amigos e parentes. Pode-se também fazer rifas.

 

Onde e como divulgar o animal para adoção?

Você pode divulgá-lo aqui no Amigo. É só você se cadastrar e depois divulgar fotos e informações sobre o animal. Feito isso, você poderá compartilhar esse link no Twitter, Facebook ou em qualquer outra rede social. Você também pode divulgar aos seus amigos através de e-mail. Aproveite e veja algumas dicas para aumentar as chances de adoção.

Dica: Para evitar que a divulgação continue ocorrendo mesmo depois que ele foi adotado, evite fazer diferentes postagens em páginas do facebook, twitter, e-mail etc. No lugar disso, divulgue sempre o mesmo link da página do animal aqui no Amigo, tanto por e-mail quanto nas redes sociais. Assim, quando o animalzinho for adotado, é só atualizar a informação aqui no site e pronto, as pessoas saberão que não precisam mais divulgar. Isso é importante porque cada divulgação de um bicho já adotado desvia a atenção dos animais que ainda precisam de um lar.

Onde mais posso divulgá-lo?

  • Distribuir cartazes em lugares de bastante movimento (supermercados, pet shops, padarias, farmácias, bancas de jornal, ponto de ônibus etc.)
  • Anunciar em jornais do bairro ou em rádios locais
  • Distribuir cartazes em eventos como manifestações pelos direitos dos animais e em feirinhas de adoção

 

O que deve constar no cartaz?

  • Foto do bichinho
  • Dados do animal (nome, raça, sexo, idade, porte, cor, temperamento, saúde)
  • Seus contatos (nome, telefone, e-mail e região em que você mora)

 

Escolhendo a futura família do animal

Um animal não é um objeto que pode ser descartado. Ao adquirir um animal, a pessoa deve ter a responsabilidade de analisar se poderá ficar com ele até o fim da vida, proporcionando bem estar, alimentação, abrigo e assistência veterinária. Converse com a pessoa interessada, pergunte que experiência ela teve com animais anteriores, tente perceber as intenções da pessoa que pretende adotá-lo. Veja mais detalhes sobre como conseguir um bom adotante.

 

Fonte: http://www.pea.org.br/cuidados/resgate.htm

Leave a Reply

Next ArticlePor que adotar?