animais cancer de mama

Saiba tudo sobre o câncer de mama nos pets

Um dos tipos de câncer que mais afetam as mulheres são o de mama e colo de útero, temos até o Outubro Rosa, que é justamente um mês voltado para os cuidados femininos. Nesse mês são realizadas várias campanhas para alertar e lembrar as mulheres de realizar seus exames preventivos. Quanto mais cedo diagnosticado a doença, mais chances temos de uma cura.

Mas você sabia que os pets também podem ter câncer de mama? Isso mesmo, tantos machos quanto fêmeas podem ser acometidos por essa doença. Veja como evitar, diagnosticar e tratar o câncer!

Em São Paulo existe uma rede de hospitais veterinários chamado Pet Care,  eles observaram que os tumores de mama correspondem a 53% de todos os casos de câncer em cadelas e 17% em gatas atendidos pela equipe de Oncologia da rede.

Isso é muita coisa, gente! Esses dados só em uma rede de hospitais, já imaginaram quantos casos temos em todo o país? É preciso estar atendo a todas as mudanças dos seus pequenos. Quando forem brincar com seus peludinhos apalpem como fazem ou deveriam fazer com seu próprio corpo. Vejam se ao tocar eles reclamam de algum incômodo, se sentem algo diferente. Observem se há um caroço ou um nódulo.  É preciso realizar todos os exames periódicos solicitados pelo médico veterinário, pois como disse Marcelo Quinzani, diretor clínico do hospital Pet Care, “é no disgnóstico precoce da doença, quando não há sinal de desconforto ou dor que precisamos agir. Quando o tratamento é precoce, as chances de cura aumentam em 90%.”

O diagnóstico de câncer de mama se faz pela observação de nódulos, pólipos ou aumento de volume no tecido mamário. “Isso pode acontecer pela observação visual ou pela palpação das mamas em um exame feito pelo próprio dono no ambiente doméstico ou por um especialista no consultório médico”, explica o veterinário. Apenas com o passar do tempo e crescimento do nódulo podem ocorrer dor, feridas na pele e presença de secreção de leite e/ou secreção escura nos mamilos.

 

As 3 principais causas do câncer nos pets

cat

Existem três fatores principais envolvidos no aparecimento de tumores em gatas e cadelas:

1- O uso de anticoncepcionais

Existe uma relação direta com a doença, sendo fortemente contraindicados. É muito comum as pessoas comprarem esses medicamentos em casas de ração, pet shops e lojas do gênero. São normalmente vendidas sem prescrição e costumam ser baratos. Existem os comprimidos e as injeções, sendo a última a mais comum. Esses medicamentos reduzem os estímulos sexuais do animal e alguns incômodos como os sangramentos das cadelas no período de cio.

Há quem aplique quando o animal já esta no cio ou até mesmo quando as fêmeas já estão grávidas. No caso de já estarem gestantes é comum que os fetos morram no útero e o tutor só vai observar quando houver uma infecção grave, colocando assim, até a vida do próprio animal em risco.

Além de todo o perigo citado acima, o uso de anticoncepcionais podem causar câncer de mama, tumores no útero e ovários, infecções uterinas, predisposição a doenças endócrinas, podem provocar resistência insulínica provocando assim diabetes, dentre outros problemas como ausência de pelos ou descoloração do mesmo no local.

2- A não castração

Estudos já confirmam que a castração precoce é o procedimento mais indicado na prevenção do tumor. “Sabe-se que a castração antes do primeiro cio diminuiu para 0,5% a chance de desenvolver tumor de mama em cadelas. Se a castração for realizada entre o primeiro e segundo cio, a chance aumenta para 8% e, depois do segundo cio, para 26%”, explica Quinzani.

Além desses altos índices de possibilidade de câncer, a castração também evita os filhotes indesejados e muitos animais abandonados.

Existem vários lugares que realizam castração gratuita ou a preço reduzido, você pode conferir os endereços aqui e aqui. A gente já até mostrou o passo a passo de como foi a castração da minha gatinha Ruby, pra quem quiser conferir e ver como tudo acontece de forma simples e segura, basta clicar aqui.

A castração é sempre um ato de amor! Se você ama seu peludinho castre! Evite doenças! Evite animais abandonados!

3- Obesidade

O controle de peso também ajuda na prevenção de diversos cânceres. Se seu pequeno tem tendência a engordar, siga essas dicas:

  • Procure primeiro saber o motivo do ganho do peso, para isso vá ao veterinário;
  • Realize os exames solicitados pelo médico;
  • Não dê seu alimento ao seu pet. A ração é o alimento mais completo que existe para seu peludinho;
  • Se necessário troque a ração. No mercado existem dezenas de tipos de ração: light, para animais obesos, castrados e etc. Converse com seu médico e veja qual a melhor para o seu pequeno;
  • Caso faça muita questão de oferecer petiscos ao seu cachorro e não queira um industrializado, listamos aqui 25 petiscos naturais que você pode oferecer ao seu cão. Os petiscos naturais não substituem a ração.

Para mais informações sobre obesidade animal, os riscos, como evitar e tratar, basta ler ou relembrar esse post aqui.

 

Diagnóstico e tratamento

No caso do câncer, o tratamento é sempre cirúrgico. Os pets realizam exames pré-anestésicos que incluem:

  • Exame de sangue;
  • Exame do coração;
  • Raio-x de tórax;
  • Ultrassom de abdômen.

Após todos esses procedimentos, é realizada a cirurgia da cadeia mamária acometida (total ou parcial), exame histopatológico (biópsia) do nódulo removido cirurgicamente, seguido ou não de quimioterapia. “A necessidade da quimioterapia vai depender do resultado obtido na biópsia, que definirá se o tumor é maligno e, se for, qual o seu grau de malignidade”, explica o veterinário. “Como a incidência de nódulos malignos nas mamas nas cadelas é de 50% e, nas gatas, é de 80%, recomenda-se a retirada de todos os nódulos de mama para avaliação”, completa Marcelo.

Ainda segundo o especialista, o tratamento correto e completo da doença é importante para que ela não se espalhe pelo corpo do pet, através de metástases para os gânglios, pulmão, fígado, rins, ossos, coração e pele.

Quimioterapia

As consequências da quimioterapia em animais são diferentes do tratamento em humanos. “Normalmente eles não perdem pelo – depende da raça e da droga utilizada – e são raros os casos de algum mal-estar considerável”, explica Quinzani.

A quimioterapia pode envolver medicação oral, injetável, diluída em soro ou a combinação de todas essas possibilidades, dependendo do exame histopatológico (grau de malignidade), idade do animal e presença de outras doenças. O número de sessões e frequência depende do protocolo adotado e a maioria recebe medicação uma vez por semana durante três a seis meses. “Na quase totalidade dos casos o animal não precisa ser anestesiado e recebe as medicações sem trauma”, completa o veterinário.

Radioterapia

O tratamento é realizado através da radiação ionizante capaz de destruir ou impedir que as células do tumor aumentem, curando o animal ou fazendo com a doença seja controlada.  Segundo o Dr. Quinzani, aqui no Brasil ainda não temos um centro de radioterapia para cães e gatos mas ele já adianta que em 2016 o Hospital Pet Care irá inaugurar o primeiro do país.

 

3 perguntas sobre câncer de mama:

Pra gente fechar a matéria, fizemos um bate-bola com Dr. Marcelo Quinzani:

cachorro

1- A probabilidade entre cães e gatos de desenvolverem câncer de mama é a mesma?

As cadelas não castradas apresentam uma probabilidade de 50% de desenvolverem tumor de mama. Já as gatas tem uma probabilidade de somente 25%.

2- Sabemos que tanto os machos quanto as fêmeas podem ter câncer de mama. Qual a diferença de proporção entre os casos e por quê?

Nas fêmeas sabemos que os hormônios sexuais (estrógeno e progesterona) assim como os pituitários (hormônio de crescimento e prolactina) tem ação nas células do tecido mamário com estimulação da atividade proliferativa e secretória. Assim é esperado que as fêmeas que apresentam uma quantidade maior de tecido mamário que os machos, assim como a conjunção de todos esses hormônios, apresentem uma probabilidade maior de desenvolver câncer de mama.

3- E nos machos, existe algum fator que estimule o surgimento do câncer?

As fêmeas não castradas têm na produção de hormônios (prolactina, estrógeno e progesterona) os estímulos necessários à atividade proliferativa e secretória do tecido mamário e consequentemente aumenta o risco do aparecimento de células tumorais. O anticoncepcional, por se tratar de hormônios sintéticos (progesterona e estrógeno) tem essa mesma ação. Já nos machos a falta desses hormônios, e o menor número de células de tecido mamário são os fatores atenuantes ao surgimento do câncer mamário.

 

O câncer é uma doença muito séria e a prevenção ainda é a melhor solução. Então você, tutor de algum peludinho que está lendo esse post, corre lá e agende seus exames! Sendo mamãe ou papai de algum bichinho, você também precisa se cuidar! Não tenha medo! A campanha termina agora em Outubro, mas se toque o ano inteiro!!

Se cuide e cuide do seu peludinho também. Eles não podem se apalpar mas você pode! Todo mês, tire um dia para brincar e fazer um carinho com olhar clínico e se notar algo diferente, corra já para o veterinário!

Gostaria de agradecer ao Dr Marcelo Quinzani, médico veterinário do Hospital Pet Care que nos auxiliou no post de hoje.

Tem alguma experiência para dividir com a gente? Ficou com alguma dúvida? Gostou do post? Escreva nos comentários para a gente, vamos amar ler!

Espero que tenham gostado do post de hoje, semana que vem a gente volta com mais dicas e cuidados para vocês! Até lá! ✨

Este não é um publipost!

Fonte:

http://www.petshopauqmia.com.br/2010/05/os-perigos-do-uso-de-anticoncepcionais-em-caes-e-gatos/

 Banner Amigo adotar

Next Article6 formas de fazer uma renda extra com os pets