Gatos, cachorros e… bebês!

Tem gente que acha que, quando vem um bebê na família, é hora de se desfazer dos bichos. Quanta bobagem! Bebês podem conviver numa boa com cães e gatos, e ainda se tornarem grandes amigos! Mas é importante que os pais tomem alguns cuidados. No depoimento abaixo, Daniele Lima conta como é a convivência do seu filhote Oliver com a bicharada da casa. Leia, pegue as dicas e emocione-se!

Continue reading…

“Gato tem que ser livre para passear” – derrubando um mito

Existe uma crença popular de que os gatos tem que ser criados soltos, livres para passear à vontade. Vamos derrubar este mito?

Os gatos, assim como os cachorros e outros animais, são como crianças e necessitam da nossa proteção. Quando decidimos cuidar de um animal, o bem estar e a segurança dele passam a ser de nossa responsabilidade. E um gato “livre” corre muitos riscos.

Continue reading…

Shantala para bebês de quatro patas

Todo mundo já deve ter ouvido falar de “shantala”, né? Então… para quem não está ligando o nome à pessoa, shantala é uma espécie de massagem para as mães fazerem nos seus bebês. A técnica consiste em tocar, massagear, acariciar todo o corpo do bebê, proporcionando contato e conforto.

Já pensou em fazer isso com o seu peludinho? Filhotes também precisam do contato materno e, se repararmos bem, vamos notar que mamães cachorrinhas e gatinhas costumam lamber e acariciar seus bebês com o focinho.

Continue reading…

Do que seus bichos NÃO precisam

Gatos são gatos e cachorros são cachorros, certo? Hum, parece óbvio, mas tem muita gente que acha que bicho é gente. À primeira vista parece uma linda manifestação de amor da pessoa pelo seu peludo, mas a verdade é que esse comportamento de humanizar cães e gatos costuma ser muito prejudicial para a saúde física e principalmente mental do bichinho.

Continue reading…

Como divulgar um animal para adoção

Qualquer ONG ou protetor pode divulgar um animal para adoção aqui no Amigo. É só fazer assim:

  1. Acesse www.amigonaosecompra.com.br
  2. Clique em “cadastre-se” (no topo, à direita). Você receberá um link de confirmação em seu e-mail e deverá clicar nele para continuar;
  3. Depois do cadastro feito, clicque no botão “Meu perfil / animais” (no topo, à direita) e depois em “Cadastrar novo animal” para publicar os bichos;
  4. Pronto! Agora é só compartilhar a página dos bichos nas redes sociais, para que o maior número possível de pessoas possa conhecê-los!

www.amigonaosecompra.com.br

Veja também:

6 dicas para aumentar as chances de adoção do bichinho

 

Sid, o gato que adora bichos de pelúcia

Perto de minha casa ha uma pet shop. Uma das atendentes, a Theresinha, passa diariamente pelo nosso bairro recolhendo animais abandonados. Ela tem sua casa repleta de lindinhos, e mais uma casa abandonada que herdou, onde deixa os que não cabem mais na sua casa. Ela cuida de todos eles, levando ao veterinario (na SOZED) e alimentando.

Continue reading…

Theobaldo e a mamadeira

Encontrei o Theobaldinho quando fui levar minha filha mais velha ao veterinário. Era um dia nublado, estávamos esperando uma chuva torrencial a qualquer momento, e ele havia sido abandonado em uma caixa de sapatos, em um rio, com mais 2 irmãos. Uma moça os levou ao veterinário pedindo ajuda, pois quando ela os viu não teve coragem de deixá-los mas não podia ficar com eles, pois estava de viagem marcada para o dia seguinte.

Continue reading…

Minie e Totó, os irmãos de leite

Na época eu era bem nova (tinha uns 7 anos), por isso tive que perguntar para minha mãe como a Minie (gata) chegou ate nós. Me recordo de te-la visto pela primeira vez em cima do muro da nossa casa, perguntando a minha mãe ela confirmou, disse tambem que junto com a Minie, tinha outro gato, mas esse era arisco, nao deixava ninguem chegar perto e logo foi embora.

Continue reading…

Rabisco e Rabisca: os cinzentos que deixam a vida mais colorida

“Esses são a Rabisca e o Rabisco. Apesar de ser o mais novo, ele chegou aqui em casa primeiro. Uma amiga do meu namorado, o Amure, encontrou um gatinho cinzento na rua e logo levou pra casa. O problema é que as meninas com quem ela morava não quiseram o gatinho. Aí o Amure, que já estava querendo um bicho há um tempo, topou ficar com ele na mesma hora! Ele também morava em um apartamento com mais três pessoas, mas ali o Rabisco fez o maior sucesso. Por ser cinzento e descabelado, parecia mais um rabisco mesmo, por isso ganhou esse nome. E quando resolvemos morar juntos, na mesma hora eu falei: o Rabisco vem junto!

Continue reading…