Como mudar de casa com seus pets

Se mudar nunca é tarefa simplista, mas a mudança vem sempre repleta de novas oportunidades. Um nova chance de recomeçar, conhecer pessoas, fazer amigos, descobrir um novo restaurante favorito, um café, um parquinho… Eita, muita coisa boa!

Mas a questão é: como se mudar tendo um bichinho?

Encontrando um novo lar

Para ser bom pra você, precisa ser bom para ele também. Você não está pensando em se mudar e deixar seu amigo pra trás, não, né?

É fundamental verificar com o novo inquilino se ele aceita animais, se não aceitar, você precisará encontrar um lugar mais adequado para viver com ele.

Lembrando que A Constituição Federal nos garante o direto de usar nossos lares como bem entendermos, o que inclui ter animais, mesmo em condomínios, e nenhuma lei ou regra local pode se sobrepor à Lei Maior. Clique aqui para saber mais detalhes sobre a legislação. Mas cabe a você decidir se vai querer comprar essa briga na mudança ou não.

Importante: a nova casa precisa ter telas e não deve ter rotas de fuga.

Processo da mudança

Casa em perído de mudança é uma loucura total. São caixas e mais caixas! A gente já não sabe onde estão as coisas e as vezes embala o que ainda precisa usar. Seja lá por onde quiser começar, as coisas do seu melhor amigo devem ficar por último.

Deixe que ele tenha os brinquedos, caminha, comedouro e bebedouro até o último momento. Preferencialmente, leve com você. Assim que chegar na casa nova, ele vai precisar das suas coisas, tudo com o seu cheirinho.

Pré-mudança

Antes do dia da mudança, é importante fazer uma consulta com o veterinário. Hoje em dia a sedação já não é mais tão indicada, mas cada caso precisa ser analisado isoladamente.

É comum eles sentirem enjoo e existem medicamentos específicos para cães e gatos. Nenhum pode ser prescrito sem uma consulta com um especialista, não automedique seu melhor amigo!

Além disso, se a viagem for de ônibus ou avião, existe uma série de exames e atestados que precisarão ser apresentados na compra da passagem e no momento do embarque. Se a mudança for para o exterior, as exigências são ainda maiores.

Dia da mudança

Eis que o grande dia chega! 😬

Se você tiver um cachorrinho, levante um pouco mais cedo e faça um passeio demorado. É bom que ele se exercite bem antes de ficar algumas horas em transporte.

A alimentação deve ser moderada, como forma de diminuir os enjoos ou mesmo, um possível vômito.

Se forem viajar de carro, faça pequenas paradas em locais com pouco movimento. Isso vai ser bom para que, no caso dos cães, possam esticar um pouco as patas.

MUITA ATENÇÃO: tenha sempre os cachorros na coleira. Evite o susto de ele fugir por se assustar com o movimento do local. Placa de identificação é de uso obrigatório tanto para cães, quanto para os gatos! Se não se sentir seguro para fazer o pit stop, não faça. A segurança SEMPRE deve vir em primeiro lugar.

Chegando na casa nova

Se para nós o dia da mudança é desgastante, imagina pro animalzinho que não faz a menor ideia do que esta acontecendo?!

Se você tiver um gatinho, deixe que ele escolha um lugar seguro para se esconder. Dê tempo a ele. Gatos são metódicos, não gostam de mudanças e normalmente demoram para se adaptar a uma nova rotina ou lugar. Não é incomum ele não querer comer por um tempo. Quanto é esse tempo? 1 dia, ok. 2 dias atenção. 3 dias, procure um veterinário.

No caso de ele perder o apetite, ofereça o sachê favorito dele. Gatos precisam comer proteína para obter Taurina. No caso da perda de apetite, pegue um pedacinho de carne magra, cozinhe com bastante água e pitada de sal (não pode pôr temperos: alho e cebola, por exemplo, são tóxicos para eles). Cozinhe ao ponto da carne desmanchar. Ofereça essa carne e/ou caldo de carne para ele.

Sobre a Taurina, se vocês quiserem, podemos fazer um texto só sobre o assunto. O debate é grande: cozinhar ou não a carne? Tem muita coisa envolvida com esse tema. O importante é que saiba que essa sugestão não vai substituir a ração ou uma consulta com o veterinário, mas pode abrir o apetite dele.

No mais, dê tempo. Deixe uma caixa para ele se distrair. Afiar as unhas é terapêuto para os gatos. Faça carinho, brinque com ele e dê atenção. As coisas vão se ajustar.

Com os cachorros a adaptação costuma ser mais fácil. Assim que você o soltar na casa nova, é provável que ele corra por todos os cômodos para conhecer. Deve cheirar as caixas e fazer uma festa! Possivelmente, não vai ter perda de apetite devido ao novo lar. Mas mesmo assim, é bom ficar atento a possíveis mudanças comportamentais.

No começo, tudo pode parecer assustador. Mas tenha calma, vai passar e as coisas vão se ajustar. Mas se no meio do caminho você precisar de alguma dica extra, vem cá no nosso grupo do Amigo Não se Compra no Facebook. Tem um montão de gente bacana se apoiando!

Mas me conta aí, já se mudou? Como foi o processo de levar seus bichinhos?!

Até a próxima! 🧳

Leave a Reply

Next ArticleJá pensou quanta diferença você faz?