Eutanásia animal, você sabe a hora certa de dizer sim?

Muitas vezes queremos que nossos peludinhos sejam eternos, pois nos trazem tanta alegria e é tão bom tê-los por perto que a vontade é essa mesma. Só que eternidade não existe para nada e ninguém e eles infelizmente envelhecem como mostramos nesse post e/ou adoecem. É a lei para todo ser vivo: nascemos, crescemos, procriamos ou não, envelhecemos e morremos. 

Existe um momento muito delicado nesse processo que vamos falar hoje, que é a eutanásia animal.
Segundo o Dicionário Online Aurélio, eutanásia é:

  • Morte sem dor nem sofrimento
  • Teoria que defende o direito a uma morte sem dor nem sofrimento a doentes incuráveis
  • Ação que põe em prática essa teoria

Mas como nada nessa nessa vida é tão simples como contam os livros, gostaria que conversássemos sobre os vários aspectos desse processo.

O que é a eutanásia?

dog

Eutanásia é quando a vida do animal é interrompida de forma indolor e assistida por um médico veterinário.

Primeiro o animal é anestesiado e sedado, depois que ele esta completamente inconsciente ou dormindo como costumam dizer de forma popular,  é aplicada uma injeção na veia com medicação que faz o coração parar. Só é confirmado o óbito quando o médico veterinário constata que não há mais sinais vitais e isso inclui sinal neurológico e cardiovascular.

Essa é a forma mais utilizada nas clínicas hoje em dia. Todo o processo é muito rápido e dura cerca de 30 minutos.

Quando o processo deve ser autorizado?

A eutanásia serve para pôr fim em um processo extremamente dolorido onde não existam mais recursos e chance de sobrevivência do animal. Falando de forma mais simples, é aquele momento em que nem os medicamentos aliviam mais a dor e todos os recursos de cura já foram esgotados.

Eu sei muito bem que é um momento extremamente difícil mas é preciso se colocar no lugar do animal. Se fosse você ali sofrendo, tomando um monte de medicamentos sem chances de sobreviver, por quanto tempo gostaria de ficar assim?

As vezes somos tão egoístas e dependentes que não nos colocamos no lugar do outro e por esse motivo alongamos uma dor desnecessária e cruel. A morte para uns é o processo mais cruel da vida mas para outros pode ser um momento de alívio da dor.

De acordo com a Lei, a Resolução N° 1000, de 11 de maio de 2012, a realização da eutanásia em animais está restrita a situações em que não há possibilidade de outras medidas alternativas, devendo apenas ser indicada pelo médico veterinário, quando:

I – o bem-estar do animal estiver comprometido de forma irreversível, sendo um meio de eliminar a dor ou o sofrimento dos animais, os quais não podem ser controlados por meio de analgésicos, de sedativos ou de outros tratamentos;

II – o animal constituir ameaça à saúde pública;

III – o animal constituir risco à fauna nativa ou ao meio ambiente;

IV – o animal for objeto de atividades científicas, devidamente aprovadas por uma Comissão de Ética para o Uso de Animais – CEUA;

V – o tratamento representar custos incompatíveis com a atividade produtiva a que o animal se destina ou com os recursos financeiros do proprietário.

Esta última situação divide opiniões médicas e normalmente é negada, quanto aos recursos financeiros do proprietários forem insuficientes para o tratamento. Em alguns Estados existem os Hospitais Veterinários Gratuitos, a maioria das Faculdades de Veterinária também oferecem tratamento a preço popular ou gratuitos, fora as ONGs e alguns protetores que muitas vezes se sensibilizam com determinados casos e ajudam no tratamento.

Quando o processo é negado pelo médico veterinário

  • Casos onde o animal por algum motivo precisa realizar alguma amputação não dá direito ao proprietário de pedir a eutanásia, pois o animal ainda pode ter uma boa qualidade de vida. Uma prova do que estou falando é uma matéria que fizemos onde mostramos como os animais que perderam algum movimento podem viver bem usando cadeirinhas. Você pode conferir nossa matéria aqui.
  • Casos onde há tratamento não são autorizados pelos médicos ainda que solicitado pelo proprietário.
  • Agressividade animal não justifica a eutanásia pois existem métodos de controle desse tipo de comportamento.
  • Solicitação por motivo de mudança e o dono não poder levar o animal também não são considerados.
  • Animais idosos também será negado se o motivo for apenas a idade.

Depoimento

Certa vez eu estava com minha gatinha na clínica e tinha uma senhorinha segurando um embrulhinho no colo, era uma poodle. Em conversa ela me disse que a cachorrinha dela tinha 16 anos, não latia mais, era surda, cega, fazia as necessidades numa frauda, não andava mais e nem comia ou bebia água sozinha. Fora isso, a cadelinha era saudável.  Fiquei pensando se fosse minha, o que teria feito? Afinal, são 16 anos de convivência, mas ao mesmo tempo aquela cachorrinha estava em estado vegetativo. Eu sinceramente não gostaria de viver assim, mas a decisão nunca é fácil mesmo.

Eu já passei por isso com um gatinho que adotei da rua. Ele chegou em minha casa com esporotricose, quem acompanha nosso blog já conhece a história dele, pra quem é novo, pode conferir aqui tudo sobre a esporotricose, enfim, ele passou por maus bocados com essa doença e depois de se recuperar ficou doente de novo e foi diagnosticado com leucemia. Ele já estava com a doença em estágio bastante avançado e vivia internado para tomar medicação na veia. Em casa tínhamos que dar mais um monte de comprimidos, até que um dia o médico falou pra gente: “Olha, no estágio em que ele se encontra ele não vai aguentar nem a primeira sessão de quimioterapia. Ele esta passando mais tempo internado do que em casa, já pensaram em interromper o sofrimento dele?”

Eu estava com minha mãe e aquelas palavras vieram como uma facada em nossos corações. A resposta foi tão simples: Não, nunca pensamos nisso. Não autorizamos, pois no final das contas não queríamos ser as responsáveis pela morte do nosso amigo que sempre foi tão guerreiro e forte.

O veterinário começou a dar medicamentos para aliviar a dor e ainda assim ele sofria muito. Em menos de uma semana após essa conversa com ele, ele nos chamou e falou novamente sobre o assunto e acabamos autorizando.

Foi horrível, obviamente nos sentimos culpados mas ao mesmo tempo sabemos que ele não estava mais aguentando e não haviam mais recursos. Não quisemos assistir o processo, mas eu sinto que de certa forma fiz o certo pois ele estava sofrendo muito e não tinha mais chances.

Hoje o que guardo dele são momentos de suas artes, sua força e coragem de lutar fortemente por sua vida e do carinho que sempre nos deu.

Isso é uma coisa que vou guardar sempre no meu coração. Eu sei que tem pessoas que vão ler esse post e vão falar que já passaram inúmeras vezes por um triste momento como esse e sei também que vão lembrar com carinho de cada peludinho que já passaram por sua vida.

Sejam responsáveis, procurem clínicas e médicos veterinários sérios. Busquem mais de uma opinião e vão saber o momento certo de dizer não e sim.

A escolha de um médico veterinário

É muito importante estar atento sobre quem esta cuidando do seu peludinho. Em todas as profissões existem os bons e maus profissionais. Antes de começar o tratamento do seu amigo pegue referências com amigos sobre profissionais e clínicas. A internet também é ótima para isso, busque a opinião das pessoas em sites.

Digo isso porque uma das funções do veterinário é esclarecer sobre a doença. Ele não pode fazer nada sem sua autorização, mas em alguns lugares acabam fazendo.

Ele precisa te deixar informado sobre todo o processo da doença. Vai te explicar o que é, como funciona o tratamento, quais medicamentos e exames estão disponíveis no mercado, tempo de sobrevida, qualidade de vida que o animal terá e conforme a doença for avançando ele tem por obrigação te deixar informado sobre o estágio que estão.

No momento em que não houver mais opções ele vai falar com você sobre a eutanásia, mas vai caber a você decidir pelo sim ou não.

Já ouvi alguns casos onde o médico foi dando falsas esperanças sobre uma cura que não existia. A pessoa gastou muito e o animal sofreu o que não precisava.

Eu sei que é complicado, mas se você esta passando por uma situação assim não existe forma mais fácil de decidir o que fazer do que se colocando no lugar do outro. As vezes precisamos ser um pouco menos egoísta e permitir que o outro vá.

Isso não quer dizer que você deixou de amar, mas que ama tanto que permite que seu peludinho não sofra mais e tenha paz.

Eles não falam nossa língua mas nós sabemos exatamente o que eles sentem, por isso digo, sejam honestos e permitam que tenham uma partida digna e menos dolorida possível.

Na dúvida do que fazer, deixe seu coração decidir mas não esqueça: se coloque no lugar e tome a decisão que gostaria que tomassem por você.

E você, já teve que tomar uma decisão difícil como essa? Conta pra gente como foi!

Espero que tenham gostado do nosso post de hoje!

Semana que vem a gente volta com mais dicas e cuidados para vocês, até lá! 😇

 

Fontes:

  • http://www.dicionariodoaurelio.com/eutanasia
  • http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/pecao/2013/04/26/
    interna_pecao,436331/o-dilema-de-fazer-ou-nao-a-eutanasia-do-animal-de-estimacao.shtml
  • http://idmedpet.com.br/bem-estar-caes-e-gatos/eutanasia-nos-pets-um-topico-de-discussao.html

 

Leave a Reply to Daniel Meyer Cancel Reply

137 Comentários

  1. Pingback: Meu pet morreu e agora?

  2. Marta

    Já! Foi horrível! E agora me vejo em situação semelhante. Meu amigo Paco de 15 anos,está com os dois rins prestes a parar totalmente de funcionar. O veterinário que o assiste deu 2% de chances em caso de internação e decidi trazê-lo pra casa
    para passar seus últimos dias comigo. Só que também falou que vai passar por um processo muito doloroso é que quando chegar essa hora, para levá-lo e fazer eutanásia.
    Estou vivendo um pesadelo horroroso, sem me desgrudar dele. Foi dado 3 dias de vida, hoje é o segundo, estou angustiada e com muito medo.

    • Amanda

      Estou passando hoje por isso, problema renal também … como foi o último dia dele ?

      • Fabiana Xavier

        Olá Amanda,

        O seu peludinho é um gatinho? Houve alguma mudança no quadro? Como você está?

        • Regiane

          Regiane Pedroso eu passei por isso no último dia 26/12,meu Billy de 17 anos estava em sofrimento optei pela paz e descanso dele, confesso que estou sofrendo muito pelo processo que acompanhei até traze lo para enterrar em casa…mas sei que ele está sem dor…a saudade que sinto é como um punhal….

          • Erica

            Regiane, tb acabei de passar por isso, ontem dia 29/12 tivemos que optar em permitir que meu filhinho descansasse. Um lhasa de 12 anos com varias complicações de saude, perdeu a batalha pra uma pancreatite mto seria. Não aguentava mais ver o sofrimento dele… sem comer, e olha que era a coisa que ele mais gostava, comer e passear, mas nada mais lhe dava prazer, apenas mta dor.
            Ontem a tarde autorizei o veterinario a fazer a autanasia. Não ta sendo fácil, o vazio da casa dói demais… mas sei que ele está sem dor agora. E sou grata pelos 12 anos de muito amor, companheirismo e alegrias.

        • Eliana Pereira

          Meu cachorro se foi, hoje, pela eutanásia. Como foi difícil aceitar esta separação. Decidimos hoje de manhã, pois ele estava sofrendo muito. Ele tinha quase 16anos.já não comia e nem bebia água.seu corpinho já estava com escaras, pois ele não se levantava mais.ficava em uma posição, só.Foi difícil tomar esta decisão, pois me sinto o pior dos seres humanos.Como superar essa dor e essa culpa??????

    • Fabiana Xavier

      Puxa Marta,

      Apesar de não poder mensurar a dor que está sentindo, eu sinto muito!
      Nessas horas é que a gente se pergunta por que eles vivem tão pouco, né? São tão companheiros e nos acostumamos a tê-los por perto em tantos momentos da nossa vida que se torna até difícil seguir em frente. São membros da família, nossos filhos peludos.

      O que posso dizer nesse momento tão difícil é, pense que agora ele não terá mais dor e estará brincando num céu só de cãezinhos, cheio de ossinhos free. Tenho certeza que ele partiu sabendo que foi muito amado e que você fez tudo o que estava ao seu alcance para que esse momento fosse o menos dolorido possível.

      Meus sentimentos. 🙁

    • Fabio

      Muito triste os rins do meu poodle de 18 anos parou e ele estava sofrendo muito, o sono já não estava dando resultado e quarta-feira dia 11/10/17 foi feita a eutanásia pra livrar do sofrimento mas a sensação de culpa é muito grande e a saudade e maior ainda.

      • Fabiana Xavier

        Olá, Fabio!

        Compreendo seu sentimento, mas acho que a decisão que tomou foi muito digna. Ele pode partir sem dor e sabendo que sempre foi muito amado por você.
        Eu sei que não é algo fácil, que é dolorido, mas acredite, um dia essa dor toda vai passar e ficarão as boas lembranças dos momentos que passaram juntos.

        Um abraço!

    • Monique

      Estou passando por isso nesse momento z minha cachorra tem apenas 8 anos, e está com problema renal crônico, o tratamento nao fez efeito, ela nao come mais, só vive no soro e vários medicamentos, mal levanta. A veterinária já sugeriu a eutanásia, como é difícil isso… tô perdida!

      • Lorrana

        Sei como é..Meu cachorro tava com Câncer E os remédios não fazia efeito..E ele não fazia sua necessidades maisBarriga tava enorme e doendo a todo momento, e as pernas também muito inchadas,Ele já não andava mais,só chorava.. essa doença Maldita fez meu Amorzinho sofrer tanto..Fomos em dois veterinários e todos não deram esperanças pra gente..hoje Tivemos q optar pela Eutanásia, ou ele viveria sofrendo até a morte, muito triste ver ele daquele jeito..coração dói demais

    • Iveli haimoff

      Olá Marta , que coincidência, meu Paco um labrador de 16 anos , está sem andar , ficou paralisado primeiro das patas traseiras e agora de uns dias para cá as da frente não estão ajudando mais , mas ainda consigo carregá-lo com uma toalha colocada na parte traseira dele . Ele faz xixi e coco deitado , bebe água e come deitado . Não se movimenta mais , não posso sair do lado dele que começa a chorar . Não sei o que fazer. Me sinto egoista. Quando vejo o estado dele e me coloco no lugar dele. Não gostaria de ficar assim . Porém não consigo tomar a decisão maxima . O veterinário fez exames e ele não constatou nada além da velhice . O que eu devo fazer? Abraços boa sorte com seu Paco Iveli

      • Danielle

        Estou na mesma situação.
        E a decisão mais difícil mas devemos pensar no bem estar dos nossos caes. Estou com um Labrador de 14 anos com artrose e agora com demencia e nao vejo mais brilho nos olhos dele.
        Fico pensando qual sentido prolongar essa situação e aguardar que meu melhor amigo definhe na minha frente.
        Ate quando e qual seria o limite…

        • Jaquelina

          Estou com o
          Mesmo problema minha cachorra tem 12 anos , estar com demência , é cega e tem artrose e com nódulos na mama , não
          Come nem bebe sozinha , um veterinário recomendou a eutanásia , ela troca o dia pela noite , estou a dias sem dormir direito , já chorei tanto , ela já toma gadernal e pra ela dormir à noite estou dando Rivotril , não sei o que fazer , tenho medo de me arrepender da autanazia de me sentir muito culpada .

    • Susana Pereira Couto

      Poxa são 1:10 da manhã minha cachorrinha tb sofre com o rim tem 14 anos, estou no dilema de dizer sim ou ñ para eutanásia , fico de olho nela e seus movimentos .

    • Eliane

      Hoje meu dia está muito triste ! Já chorei e meu coração está em pedaços! Nossa Keite depois de 10 anos apareceu mancando levei em dois veterinários e o prognóstico foi o mesmo! Câncer na perna já em estado avançado! Foi descoberto um tumor na mama ! Fiquei sem chão! Aquela cadelinha tão amada e feliz começou a definhar! Acordava gemendo de dor ! Até conseguir se mexer era muito dolorido! Conversamos com o veterinário e resolveu fazer o procedimento! Foi tão ruim é uma dor que não se explica! Boa querida,Voa sem dor para o infinito!

  3. Fabi

    Minha gata está internada e hoje pela manhã o veterinário nos informou sobre a FELV e o PIF. Disse que ela pode ter uma sobrevida a base de corticoide e outros remédios, que não é garantido, que precisa de atenção e precisa ficar longe dos meus outros gatos.
    Uma gata, que se acostumou a andar pelo quintal inteiro, adora a varanda, vai ter que ficar enclausurada dentro de um espaço minúsculo, entediantes pelos momentos que ainda restam?!!
    Eu saio as 07h00 da manhã e volto as 23h00 pra casa, ela vai ficar sozinha o dia inteiro, ontem eu vi o quanto ela estava sofrendo, ela não dormiu a noite inteira, só respirava forte e ficava intacta, imagino que pela dor. Ontem levei ela para o veterinário manter internada e sabendo da possibilidade, já tinha praticamente certeza do que eu queria pra ela, eu queria que ela ficasse em paz, sem dor, tranquila. De ontem para hoje, ela levou medicação, visitando ela vi ela miando, pedindo carinho, querendo ir para casa… Parece que resta uma esperança, não sei mais o que fazer, sinto que estou abandonando, não quero que ela ache isso.
    Não quero ver ela sofrer, não quero deixar ela ir, eu queria que fosse diferente.
    Estou dividida!! :C

    • Fabiana Xavier

      Oi, Fabi!

      Essa é uma decisão muito difícil mesmo. Siga seu coração e faça o que você acha que vai ser melhor pra ela. Amar, é também saber deixar ir.
      Converse com o veterinário, veja as chances, talvez consultar outro para confirmar.
      Sei o que está passando, pois já estivesse nessa situação. Não é fácil mesmo. Dói. É triste, mas você precisa se preparar para se despedir.
      Tenho certeza que sua gatinha sabe que você a ama e faz tudo para que ela fique bem ou faça uma passagem sem dor.

      Nos mande notícias.
      Um abraço!

  4. ELIZETE APARECIDA GOMES

    ESTOU PASSANDO POR ESTA SITUAÇÃO. TENHO UM CACHORRO SRD, FOI CONSTATADO SINDROME DA CAUDA EQUINA, UM PROBLEMA NA ULTIMA VERTEBRA DA COLUNA. ELE COMEÇOU TRATAMENTO COM PREDNISONA, A MELHORA FOI IMEDIATA. MAS COM 10 DIAS, ELE COMEÇOU A CAIR, E CONVULSIONAR. FICOU 8 DIAS INTERNADO. ESTA EM TRATAMENTO, MAS ESTA CEGO, TUDO DEPENDE DE NOS, NAO ANDA, ESTA TODO MACHUCADO PORQUE SE BATE PARA LEVANTAR. ESTOU DESESPERADA POIS JA GASTAMOS MUITO COM ELE, TRATANDO COM ESPECIALISTA E NAO TEMOS MAIS CONDIÇÕES DE ASSUMIR MAIS DIVIDAS. AINDA SE TIVESSE CHANCE DE TER ALGUMA QUALIDADE DE VIDA, MAS NAO HA GARANTIA. ELE ESTA SOFRENDO. MEU CORAÇÃO ESTA DILACERADO.

    • Fabiana Xavier

      Olá, Elizete!

      Passei por uma situação semelhante a sua. Adotei um gatinho da rua e o chamei de Romeo. Fiquei com ele apenas por 15 dias. Ele era o gato mais carinhosos que já vi na vida! Quando o levei ao veterinário para tomar as vacinas, ver castração e fazer os exames comuns, foi constatado que ele tinha câncer em estágio avançado e poderia contaminar minha outra gatinha.
      Foi muito difícil também. Eu já o amava muito e tinhámos muitos momentos bons juntos. Mas sabe, Elizabete, amar é também saber dizer adeus. Eu tenho certeza que ele sabe que você o ama muito e fez tudo o que podia.
      Infelizmente ele precisa ir, mas é o destino de todos nós. Faz parte do nosso ciclo.
      Força, querida! Se permita chorar, ficar triste depois as lembranças não vão mais doer, apenas deixar saudade.

      Espero que fique bem.
      Um abraço!

    • Liliane

      meu cachorrinho théo que resgatamos das ruas ja chegou em casa cm sinal de maltratos e convulsões constantes ele está connosco a um ano e oito meses demos as vacinas e mesmo assim a uma semana descobrimos que ele está cm sinomose ele ja não anda mais dependente de tudo e não tem garantia que volte a andar é de partir o coração visto q ele amava correr no corredor de casa e ganhar beijos na cabeça também estou nesse dilema do que fazer ele ja sofreu tanto no passado não quero que sofra agora q tem um lar …eu o amo muito

      • Eduardo

        Oi Liliane!
        Estou na mesma situação com meu filho Max descobri a cinomose canina depois de ele ter várias crises convulsivas no fim de semana ficou internado longe de casa daí em diante aparentava estar bem mas a doença está progredindo ele não é o mesmo arteiro amoroso estou com meu coração despedaçado

  5. Thais

    Estou passando por um momento muito difícil e doloroso 🙁 minha gata que tanto amor, que esta comigo e meus avos a 16 anos, sempre nossa companhia nos momentos bons e ruins, foi diagnosticada com neoplasia maligna no olho, e infelizmente pela idade e pelo estágio o veterinário nos indicou optar por fazer ela parar de sofrer e ir embora… Apesar da ferida estar bem feia, ela ainda me espera chegar da faculdade, deita na minha barriga e ainda ronrona e pede carinho. Estou me sentindo uma assassina, é muito difícil tomar a decisão o que devo fazer??

    • Olá, Thais!

      Entendo sua dor, mas infelizmete não posso te ajudar com essa decisão. O único conselho que posso te dar nesse momento tão dolorido é: siga seu coração e faça o que você acredita que será melhor pra ela.

      Um forte abraço! <3

  6. Pri

    Oi gente.
    Tenho um Cocker de 17 anos, ele está com disfunção cognitiva (Alzheimer) há quase um ano. Comecei um tratamento paliativo com sedativos, e clonazepam, pois ele fica extremamente agitado, chora muito e gira em torno de si mesmo muitas vezes sem os remédios.
    Fiz os exames no final do ano passado e apesar da idade, os órgãos estavam funcionando muito bem. Por isso resolvi continuar o tratamento.
    Mas chegou uma hora que até mesmo os remédios estão deixando de fazer o efeito que faziam. A dose hj é altíssima. As vezes até acho que ele não vai levantar mais, e que chegou a hora de fazer a eutanásia, mas ele nos surpreende e mesmo caindo, ele tenta andar e fazer o que fazia antes. Estou com uma dúvida muito grande, não sei se chegou a hora. Não sei se tenho que esperar, não sei se faço hoje. É uma situação de escolha que não desejo a ninguém.
    E pra complicar mais, tenho outro cachorra que está bem desgastada com toda situação…Mas que tbm ama ele… Difícil…

    • Oi, Pri!

      É uma decisão muito difícil mesmo. Difícil e dolorida! Mas infelizmente ninguém pode tomar essa decisão por você. O único conselhor que posso dar nesse momento tão difícil é: siga seu coração e faça o que você achar melhor para ele.
      Pergunte-se: vale a pena fazê-lo sofrer mais? Qual o nível de dor dele? Qual a opinião do médico veterinário? É possível amenizar a dor? Há chances de cura ou tratamentos alternativos que possam melhorar o quadro?
      Acho que são questões que podem te ajudar na decisão, mas independente disso, siga seu coração.

      Um forte abraço!

      • Daniel Meyer

        Nível de dor ?? Como assim!!!!! Se fosse fácil saber se o bichinho está sentindo dor….seria muito mais fácil tomar uma decisão.
        Ainda mais quando a agitação pode ser por dor ou simplesmente pelo estado de alzheimer.

    • Cris

      Oi Pri, estou na mesma situação que vc. Tenho uma cocker de 17 anos que começou apresentar os sintomas de SDC no fim do ano passado, e só tem piorado gradativamente apesar de todas as medicações que ela toma (Revimax). Ela agora começou a vocalizar muito, chorando até quando anda (geralmenente girando em torno dela mesmo) e caindo muito pq ela tem artrose avançada. Troca a noite pelo dia, não pode mais ficar um minuto sequer desasssistida pq cai toda hora e chora para que alguém a levante. Temos que deixá-la diariamente em um day care para que não fique sozinha em casa. Tem sido bastante duro para todos, sempre alguém tem que ficar com ela a hora que for. Nem dormir direito temos conseguido mais.
      O que vc decidiu fazer? Estamos com a mesma dúvida, é muito doloroso pensar em fazer uma eutanásia, até porque ela não tem nenhum problema de saúde mais grave, só está surda e quase cega, mas os exames estão ótimos apesar da idade. Mas não sei até quando podemos aguentar essa situação, e também não sei se é justo com ela pq percebe-se que ela não tem mais qualidade de vida. Está sempre desorientada, inquieta, sem saber o que fazer. Díficil.

      • samantha

        Olá Cris e Pri, sei bem o que estão passando, tenho um cocker de 16 anos (ainda tenho, pois amanhã dia 14/11/2017 decidimos pela eutanasia), que momento dificil e doloroso, estou sofrendo muito e o que me fez porcurar alguns relatos na internet, o meu teve um derrame no inicio do ano, antes do derrame ele ja sofria com a sindrome degenerativa do cao idoso, latia o tempo inteiro mas ainda estava bem, após o derrame o deixou totalmente cego, surdo e com muita dificuldade de andar, mesmo assim continuamos com o tratamento paleativos, ele sofria com convulsões e após o uso continuo do gardenal melhorou, ele vivia rodando em volta de si mesmo e não atendia mais os chamados. É uma fase muito triste. Eu tinha pra mim que levaria essa situação até o fim em que a morte dele chegasse naturalmente, mas a 3 dias cedi, vou sacrificar meu cãozinho, ele parou de andar, nao se levanta mais, faz todas as necessidades nele mesmo se nao tiver sendo assistido por alguem no exato momento para que erga ele do chão, ele passa dia e noite tentando levantar e não consegue, emagreceu muito mesmo comendo (comida que temos que dar na boca pois nao mastiga mais), esta com 7,5 kilos para um cão que tinha 14 kls, a veterinaria nos disse que ele teria que começar fazer visitas diarias no veterinario para tomar soro para hidratação, enfim eu cedi, amanhã darei Adeus ao meu primeiro pet que ficou 16 anos ao meu lado…espero que ele me perdoe um dia, mas nao consego levar a diante essa situação, eu o amo mas não consigo.

    • Eliane

      Meu yorkie sofria desta mesma doença , começou fazer tratamento mas não surgiu efeito já estava afetando outros órgão ele tinha 13 anos ,gemia muito com dores começou a ter diarreia perdeu peso já estava com dificuldades para andar

      Não podia assistir sem fazer nada tomei uma decisão que foi a mais difícil da minha vida para aliviar o sofrimento dele fiz a opção da eutanasia conversei com o veteriano porque ele ficava praticamente dopado eu não queria isso era muito egoísmo da minha parte.
      Ele foi sacrificado chorei muito por ele e choro até agora é um luto que vai demorar a passar ele era lindo muito bem cuidado.
      Acho que demorei muito pata perceber a sitiacao dele com estas crises e se agravou e nao poderia aumenta mais a dose do remedio porque ele tinha sopro.
      Lutei muito , mas eu não tinha escolha.
      Estou com vazio enorme no peito e me sentindo culpada por não ter percebido isto antes talvez tivesse uma chance de prolongar mais um pouco a vida dele.
      Nem sei se um dia vou conseguir me perdoar, mas a intenção foi aliviar a dor dele.

  7. Cristiane

    Adotei um gato de rua, coloquei nome de RENATO.Depois de alguns meses ele começou a salivar muito, levei ao vet, foi diagnosticado com a leucemia felina, então iniciamos o tratamento…foram se meses e não tinha melhora, ai começou a aparecer feridas pelo corpo e não cicatrisavam.O veterinario falou sobre a eutanasia. mas naõ tive coragem..contuei. com remedios pomadas injeçãoes e ele vivia com o corpo enfaixado, para não juntar bichos, eu fazia cutativos todos os dias.Mas qd foi segunda feira rompeu um vazinho de sangue das feridas..aí na terça tomei a decisaõ, minha filha o levou..Agora eu estou me sentindo culpada e choro tda hora pq parece que o vejo em todos os cantos da casa, dói muito, la no fundo da alma..espero que tudo isso um dia passe..Eu o amava demais e sinto muitas saudades

    • Olá, Cristiane!

      Eu passei por situação semelhante a sua. Eu sei que é dolorido e lembro do Romeo até hoje e já faz mais de 2 anos.
      Mas sinceramente, eu acredito que você fez o melhor. Essa doença não tem cura, só tratamento, mas chegou a um estágio que seria só dor até o fim. Nesses casos não há o que fazer. Alongar a dor dele só ia fazê-lo sofrer mais.
      Acho que você deu a ele chance de um descanso digno.

      Um dia, toda essa dor vai passar e você terá apenas as boas lembranças.

      Um abraço!

      • cristiane

        Muito obrigado pelas palavras de conforto…bjs

        • Isabela Quinelato Fernandes

          Passei pela mesma situação ontem… perdi minha Mel, poodle de 16 anos com insuficiência cardíaca, lesão hepática, lesão renal, água nos pulmões, pneumonia, já não comia mais e bebia água na seringa. Minha última tentativa foi dia 18/04. Ficou internada 2 dias e não houve melhora. Quis levá-la pra casa mas a noite foi horrível e o dia seguinte pior ainda. Optei pela eutanásia e acompanhei todo o procedimento, fazendo carinho na minha companheira todo o tempo. A saudade é imensurável mas não posso dizer que me arrependo… Agora ela descansa sem qualquer dor ou sofrimento. Te amarei pra sempre meu anjinho da guarda ❤️

  8. Diana

    Estou passando por isso no momento… Meu cachorrinho está com leucemia, e por conta disso seus órgãos estão parando…. Ele tem 12 anos e não anda e nem come sozinho mais. Só o olhinho que mexe… Estou péssima… Queria muito que meu “bebê” ficasse mais um pouquinho comigo!!! Já levei em dois veterinários e os dois me indicaram a eutanásia, pois ele não tem condições de sobreviver a uma quimioterapia. 🙁 meu coração parece que não vai suportar….

    • Olá, Diana!

      Eu já passei por uma situação assim, mas a dor de cada um, é também única. Eu posso imaginar sua dor, mas não consigo mensurar o que você sente.
      Infelizmente, um dia eles se vão e deixam um buraco em nosso peito. Mas acredite em mim, um dia essa dor dará lugar a saudade e lembranças dos bons tempos que passaram juntos.
      Que seu coração receba o conforto que você precisa! _/\_

      Faça parte do nosso grupo no Facebook e troque experiência com pessoas que também já passaram por uma situação semelhante a sua: https://www.facebook.com/groups/amigonaosecompra/

      Um forte abraço!

  9. Cláudia

    Alguém pode me ajudar? Hoje recebi a notícia q minha gata está com um tumor no coração e outro no fígado. Tratamento só terapia alternativa com ozônio. Ela praticamente não se alimenta ( só comida pastosa na boca) e não bebe água. To totalmente perdida

    • Fabiana Xavier

      Olá, Cláudia!

      Qual a opinião do médico a respeito do caso dela? Você chegou a ir em um segundo especialista? Eu sei que esses momentos são mesmo difíceis, mas eu costumo me colocar no lugar do outro, tipo, se fosse comigo e não tivesse cura e eu estivesse sentindo dor, o que gostaria que fizessem?
      É muito difícil dizer adeus, mas infelizmente esse momento vai chegar um dia. Se eu pudesse te dar um conselho seria: torne o menos dolorido possível. Eu tenho certeza que ela sabe que você a ama e o quanto esse momento também está sendo difícil para você. Ela também vai ter amar por saber que ficou ao lado dela até o fim.

      Desejo que seu coração seja preenchido de conforto e amor. _/\_

  10. Adriana

    Faz dois meses que descobrimos IRC no meu shih tzu de 3 anos apenas. Ficou internado por vezes, tentamos fluidoterapia, tudo, mas ele não respondia. Um mês atrás consegui que ele passasse com os mlehores veterinários da USP. Atendimento excepcional. Mas infelizmente ele não responde ao tratamento. Hoje está magro, só come e bebe através de seringas. Os veterinários ficaram muito decepcionados, mas o prognóstico é muito ruim. Não se tem mais o que fazer…só esperar….Por enquanto toma remedios, não sente dor, mas não o deixarei sofrer ainda mais. Todo esforço que fiz foi muito cansativo pra ele. Eu o queria saudável, mas essa doença é devastadora. Que Deus me permita ter forças quando chegar a hora da decisão. Estou sem chão.

    • Olá, Adriana!

      Sinto muito por todo esse sofrimento. A gente sabe que eles, assim como nós, não são eternos. Mas o fato é que nunca estaremos preparados para dizer adeus.
      Vou ficar aqui enviando energias positivas, desejo de paz interior e uma passagem sem dor para ele.
      Os animais são muito sensíveis e tenho certeza que ele sabe do seu amor por ele. Ele sabe que fez tudo que estava ao seu alcance para que ele ficasse bem.

      Um forte abraço!

  11. MIRIAM

    ESTOU PASSANDO NOVAMENTE POR ESTE PROCESSO. TIVE QUE SACRIFICAR MEU GATO C 18 ANOS QUE TEVE LEUCEMIA FELINA. AGORA PASSO ISSO C CHICO DE 20 ANOS. ESTOU RELUTANTE MAS ACHO QUE E O MELHOR, MAS NAO CONSIGO .AINDA NAO DESAPEGUEI

    • Fabiana Xavier

      Olá, Miriam!

      Eu também já passei por isso com um gatinho chamado Romeo. Eu o resgatei já adulto mas estava com leucemia em estágio avançado.
      A decisão nunca é fácil e é sempre dolorida, mas a gente precisa pensar no melhor para eles. O quanto ele está sofrendo? As vezes permitir a eutánasia pode ser sim um ato de amor.
      Eu te desejo força, luz e que você consiga sentir saudade e não tristeza.

      Um forte abraço!

  12. Francieli

    Estou passando por isso com a minha cadelinha que tem 13 anos, gente como dói, ela ja estava com alguns comprometimentos por ser idosa, sopro cardíaco, hernia de disco, andava de vagar, a alguns anos atras levamos a um veterinário para retirada de um tumor de mama, o mesmo fez um serviço mal feito retirando apenas a mama afetada, e o certo seria retirar todas, e agora descobrimos e o câncer se espalhou.. ela não anda direito, tenho que dar comida e água na boca, esta tomando remédio injetável para dor… minha irmã é veterinaria e ja me disse que ela não aguentaria a quimioterapia, mas como dói 🙁 eu sei o que tem que ser feito, mas quem está preparado para aceitar 🙁 🙁 🙁

  13. Cris

    Resgatei o meu gato a um ano atrás, ainda filhote. Em menos de um mês ele desenvolveu sintomas da leucemia felina, levei no veterinário e ele ficou curado. Dez meses depois descobri que ele tinha dois tumores, um na coluna e outro na região sacral. Já são dois meses então de indas e vindas no veterinário, a veterinária disse que não tem cura, ele já tomou até morfina diretamente na coluna, mas seu estado tem piorado cada vez mais, não defeca porque o tumor está comprimindo o intestino e urina apenas se eu o estimular. Até anteontem ele ainda dormia, bebia e pedia para comer, mas já não está mais assim. Nem carinho mais ele pede. Não quero ver mais ele sofrer, já fiz e faço de tudo por ele, sempre o amei demais. Ele é muito especial pra mim e só de pensar que eu posso decidir pela eutanásia dele, me dói a alma, me sinto uma assassina, a culpa toma conta. Tá sendo difícil, não paro de chorar.

    • Olá, Cris!

      Compreendo total sua situação, até porque já estive nela. Mas pense se vale a pena ele passar por tanto sofrimento sendo que já é certo que não há cura?
      Não estou aqui querendo definir o que você deve ou não fazer, mas pense no tanto de sofrimento que ele está passando. Eu entendo a eutanasia, nesse caso, como um ato de amor. Dar alívio e paz para o seu gatinho.
      Eu sei que não é fácil. Eu sei que dói. Mas as vezes amar é também saber dizer adeus.
      Fique na paz.

  14. RAQuel

    Tenho um gatinho de 19 anos e ele já está cego, sem querer comer… muito magrinho! Acho que não ficará vivo até o Natal! Gostaria de saber a hora certa de dar um adeus! Nao quero vê-lo sofrer…. meu coração está sofrendo… não sei o que fazer!

    • Zélia

      Estou sofrendo muito também! Adotei um cão há um ano e agora ele apresentou babesia e erliquiose, deixou de comer e andar. Iniciamos tratamento há um mês e agora, no finalzinho, quando começou a se recuperar, comendo e andando, bem ativo, surgiram várias feridas no corpo (tem 4 dias). Levei ao vet e disseram ser leishmaniose (fiz o exame e na sexta pego o resultado). A médica disse que em caso positivo bem possivelmente ele não resista ao tratamento já que a imunidade está baixíssima e me aconselhou a considerar a eutanásia. Gente, estou pra morrer de tanto sofrimento! Não sei como vou olhar pro meu bichinho hoje quando chegar em casa, sabendo que vou entregá-lo… Só Deus para me dar paz!

      • Fabiana Xavier

        Olá, Zélia!

        Sabemos o quanto essa decisão é difícil! Vamos torcer para o resultado dar negativo.
        No mais, desejo paz e que deus acalme seu coração.

        Abraço apertado!

    • Fabiana Xavier

      Olá, Raquel!

      Infelizmente essa é uma pergunta que não tenho como responder. Somente você e seu médico é que podem tomar essa decisão baseaos no quadro clínico dele.
      É um momento difícil e dor, eu sei. Mas acredite em mim, com o tempo a dor diminui e ficam só as boas lembranças e a saudade.

      Força e paz!

      Um abraço!

  15. Sylvie

    Texto EXCELENTE c/ analise mais sensata que ja li sobre o tema. É como penso tambem, baseada na razao( razao x paixao) e conhecimento cientifico atual (a emoção,deixemos para depois), bom senso e humanismo. Na duvida, SEMPRE pense 1° no gato- não em vc- pois ele depende totalmente de nosso bom senso e responsabilidade. Libertar, quando se faz necessario, é ato humanitario e prova de amor incondicional. Deixar emoções ou crenças predominaram é de certa forma lavar as maos transferindo a responsabilidade de uma decisão que na verdade so cabe a vc, tutor.

    • Fabiana Xavier

      Olá, Sylvie!

      Ficamos felizes que tenha gostado do texto! E é bem isso mesmo: o bem-estar do animal precisa sempre vir em primeiro lugar. Por mais difícil que seja, é preciso que o tutor assuma a responsabilidade e faça o que é melhor para o animal e não para ele.
      Já passei por isso, sei que dói. Mas também penso que é melhor do que prolongar uma dor que não terá tratamento, nem fim.

      Um abraço!

  16. Daniela

    O meu cachorro foi diagnosticado com tumor em novembro e com a quimio com a imunidade baixa os cotovelos dele esta no osso não anda mais não está comendo faz mais de uma semana , as necessidades faz deitado, pouca reação não abana mais o rabo, emagreceu muito está muito triste, e minha tristeza cada vez maior de ver o sofrimento que ele está passando e pensar no passado dele q já foi muito triste, estou pensando em eutanásia amanhã, não aguento mais ver o sofrimento dele, não sei o q fazer!!

  17. Sonia

    Estou a viver essa situação terrível agora. Tenho uma gata, a minha Susie Blue, que começou a emagrecer nas últimas duas semanas… Os rins deixaram de funcionar e na ecografia foi detectado linfoma. A terapia passaria por quimioterapia, mas sem os rins estarem a funcionar nem vale a pena tentar.
    Ela só come forçada, não brinca, está tão fraca que quase não se mantém em pé. Vivia atrás de mim, a minha sombra, agora quase não sai da cama. Começou a fazer as necessidades na cama… A veterinária deu uma semana de vida.
    Resolvi hoje ter aquela conversa com a veterinária. Quero entender se a minha gatinha tem dores, se está num estado de desconforto constante. Se sim, vou optar pela eutanásia. Se não há hipótese de melhoria, se a partir daqui só houver uma degradação da qualidade de vida, sinto que tenho a responsabilidade de lhe dar um final de vida digno e sem sofrimento. Estou sem chão, acho que já não me sobram lágrimas, mas a minha consciência está tranquila. Força a todos que estejam nesta situação!

  18. Sónia Henriques

    É horrível quando temos de chegar à triste solução … retirar uma vida … tentamos aceitar que é o melhor … que um dia iria acontecer a dolorosa separação …
    Eu sempre digo para mim mesma : Tenho de me preparar para a perda, mas hoje não ….Ando nisto à anos ….o tal hoje chegou e não estou preparada… a dor , a culpa, as mãos atadas, a perda, tudo me destrói por dentro.
    O acreditar que se talvez fizéssemos isto ou aquilo para amenizar a dor que sinto… isso é ser egoísta … tenho de pensar no bem estar da minha SPOT, ela é que importa.
    A esperança sempre a querer surgir na minha mente , de novo para aliviar minha dor , de novo a ser egoísta…
    A minha Spot é um anjo de quatro patas em forma de cadela, que existe na minha vida à 13 anos.
    Hoje o destino dela foi traçado. Não sei o resultado. Mais uma vez egoísta, deixei a minha outra metade , junto com o VET, que a acompanhou desde os 3 meses, 100% saudável, até a dez 2017, verificarem o melhor para ela.
    Confio em ambos, sei que a decisão que tomaram foi a melhor. Estou em lágrimas sem coragem de ligar a saber da decisão…. proibi de me informarem…. ( de novo a ser egoísta, a querer proteger o meu coração) enfim quando chegar a casa logo saberei …
    A minha mente sabe que a vida é assim mesmo, mas o meu coração , a cada ano que passa, não quer aceitar este tipo de perda …
    Um dia eu me preparo, mas hoje não 🙁

    • Sónia Henriques

      Já soube da decisão …. a minha adorada, amada, preciosa SPOT já se encontra no seu eterno descanso, sem mais dor … deixou em mim um aprendizado lindo , de muito amor, de muita paciência, foi uma honra partilhar contigo estes 13 anos , perdoa-me, de ti não tenho nada a perdoar, foste perfeita digna de um amor sem tamanho.. amo-te muito …até um dia minha preciosa ….. 🙁

      • chico

        A todo os animais estou grato pelo aprendizado na elevação de consciência.

  19. claudia

    meu aumor está com 20 anos um poodle amigoa parceiro mas estou vendo ele sofrer muito chora no meio da noite com picos de dor na coluna.Está parando de comer não enxerga bate a cabeça em tudo machuca suas verrugas só fica mão quieto no meu colo.Nao sei mais o que fazer preciso de ajuda

  20. Cristiane Garcia Leiva

    Boa noite
    Hoje estou arrasada assinei a autanasia ,minha cachorrinha estava muito ruim Insuficiência renal convulsões a veterinário conversou é falou que não tinha mas geito, resolvi fazer a eutanásia, gente me sinto muito mal,cruel,foi um momento triste ,não consigo me perdoar ,foi hoje dia 6/7/2018 o dia mas infeliz de minha vida.
    Espero que eu é quem tiver que optar por esse modo se supere se perdoe é que minha Dulce Maria me desculpe por não ter conseguido salvar .
    Amei muito minha cachorrinha

  21. Ma

    Eu tive que fazer isso ontem. Se eu pudesse voltar no tempo, voltava e não fazia. É a coisa mais horrível de se fazer, tirar uma vida. Eu nunca vou me perdoar por isso. Sou a pior pessoa do mundo, um ser humano podre, fraco, vil, covarde. Esgotamos os procedimentos e os medicamentos já não faziam efeito sobre os 3 tumores cerebrais do meu cachorrinho, mas eu não tinha o direito de tirar a vida dele. POR FAVOR, QUEM ESTA EM BUSCA DE CONSELHOS, OUÇA: não façam a eutanásia. NÃO FAÇAM. Vocês não vão conseguir conviver com a culpa. Agora, a cada minuto, eu peço desculpas a ele por ter feito isso. Nem sei como vou conseguir, se é que vou conseguir, viver com isso. Sou um ser humano lixo. Já pedi a Deus (se é que ele existe) que me leve. Não tenho mais nada a fazer nesse mundo.

    • Matheus Borges

      Colega ,eu também queria que Deus me levasse ,só que ele não me levou nesse dia ,pois ele me deu uma missão a cumprir ,eu tenho certeza que ,ele não te levou pois falta algo na sua vida e uma missão para ti

  22. MÁRCIA PIRES FERNANDES

    Oi! Acabei de ler, passei por isso hoje. A algum tempo tenho acompanhado meu cachorrinho Dengo em sua jornada final, seus pelos embranquecendo, pernas fracas, rabinho abanando com muito custo, dentes infeccionando, medo e insegurança ao dar uma corridinha ou de passear na rua (a paixão dele), latidos roucos, surdez, cegueira e finalmente leucemia, até que suas perninhas bambearam e ele não conseguia mais se levantar, nem latir, beber, comer ou defecar. No silêncio da noite e em vigilia eu ouvia o fraco chiado em sua garganta gritar de dor, e com as mãos em sua cabecinha, coração apertado decidi chamar o veterinário na manhã que já despontava. Foi um momento triste, mas meu Denguinho não merecia sofrer mais, seu ciclo chegou ao fim. Ele sempre foi dengoso e não perdia a chance de se aconchegar em.meu colo e ficar ali como um bebê curtindo o colo da mãe, não sei se ele percebeu, mas me despedi em seus ouvidos lhe enviando muito amor. Se podemos abreviar um sofrimento, principalmente quando sem saída melhor, porque não? Afinal, dor extrema já é um fim.

  23. Beatriz Silva

    Minha felina Mônica tem 5 anos, depois de 20 dias de vários diagnósticos diferentes, foi detectado que ela está com PIF. Estou arrasada, sem saber o que fazer.
    O médico nos falou sobre a eutanásia, mas meu esposo é contra.
    E eu estou perdida, vai ser muito triste perder ela.

  24. Flavia

    Estamos passando por isso! O Piqueno tem 18 anos e não enxerga mais, não come sozinho e sente muitas dores de dente. Não podemos mexer nos dentinhos dele porque estão muito sensiveis! Para mexer, ele precisaria tomar uma anestesia geral…mas nessa idade e com os problemas de coração que ele tem, ele não aguentaria 🙁
    Eu não sei o que fazer. A ideia da eutanasia doi demais. Ele está conosco desde que tinha 1 mês de idade. Difícil demais.

  25. Miriely Ferreira

    Ontem junto com meu marido e minha filha de 16 anos tomamos a decisão mais difícil da nossa vida.
    Optamos pela Eutanásia em nosso cavalo.
    Ele trincou a pata e fizemos o possível e impossível para curar,mais como é um cavalo de grande porte alto e extremamente saudável, começou a debilitar devido ñ poder mais ir pastar sozinho,só ficava na cocheira comendo no cocho.Devido a isso ele só foi engordando e estava atrofiando seus nervos e foi ficando com a imunidade bx aonde começou a sair feridas horríveis q ñ fechavam com tudo ser dado antibióticos,inflamatórios sem interromper um dia o tratamento.
    Medicamentos para dor injetáveis e mastigaveis e mesmo assim ele sofrendo e aí começou a perder peso e sofrer,foi onde o veterinário indicou a Eutanásia pra ele pq ele estava começando a sofrer ja..
    Foi uma difícil decisão,uma dor inaceitável ao ❤.
    Mais só o fato de saber q foi constatado por um profissional que só estaríamos prolongando cd vz mais o sofrimento dle,é algo q conforta em.saber q agora ele descansou
    Pq ele aguentaria apenas mais uns 2 meses de vida é iria sofrer muito ainda com td ñ deixarmos faltar a ótima alimentação dle e a medicação..
    Mais estou em pz pq sei q foi a melhor decisão.
    Foi uma decisão por amor,pq o amor é tanto por ele q jamais iremos esquece lo e ñ queríamos mais vê lo sofrer..

  26. Iveli Haimoff

    Olá meu amigo Paco um labrador de 16 anos está muito velhinho , j,a não anda sem ajuda tenho que carregá-lo . Faz as necessidades todas deitado, é assim come e bebe água . seu olhar está opaco , triste , porque não consegue mais correr brincar com os outros cães que tenho . Não sei o que fazer. Muitas vezes me vejo pensando na eutanásia, mas depois mudo de ideia. O veterinário disse que não tem o que fazer e aguardar a hora. Será que devo antecipar este momento ?

    • Danielle

      Iveli, estou na mesma situação com um Labrador. Coração apertado de ver ele assim e tb apertado em pensar na eutanásia.
      Meu cao esta ainda com artrose e perdendo os movimentos das patas traseiras. Mal fica em pe, faz xixi e coco deitado e chora… temos que ajudar a levantar a todo momento. Momento muito difícil mas estou achando que a eutanásia e melhor pra ele e nao vou suportar ver ele piorando e sofrendo mais. Triste demais!

    • Maria

      Eu fiz e estou muito arrependida e agora esta culpa me persegue. São 21 dias de tristeza e saudades. Se eu pudesse voltar no tempo traria ele para a casa e deixaria ele ir no tempo dele; ele tinha problemas neurólogicos, estava cego mas comia muito; fiz pela tamanha insistência da veterinária; até hj me pergunto o que aconteceu comigo; já que sempre disse que “Deus dá a vida e ele tira a hora que ele quiser”.

  27. Andrea

    Estou passando agora por isso e com o coração dilacerado. Minha gatinha Gigi de 11 anos, teve câncer de mama; foi operada, mas durante a realização de exames descobriu-se que seus rins também não estavam bem; não chegava a ser renal, mas o oncologista, apoiado pela veterinária de nossa confiança, nos alertou dos riscos em submetê-la a uma quimioterapia. Sem a quimioterapia, o câncer voltou, cerca de um ano após realizada a cirurgia. Realizamos imunoterapia, mas ainda assim não conseguimos evitar a metástase que ocorreu rapidamente, tendo afetado especialmente os pulmões. Tratamos com corticoide que garantiu sobrevida com qualidade. Hoje, entretanto, decidimos por realizar a eutanásia depois de observar impotentes algumas crises de falta de ar, com início de convulsão. Gigi tinha apetite, mas não conseguia comer, não estava bebendo água e também deixara de evacuar.
    Escrevo esse texto na tentativa de enfrentar a sua perda e de compartilhar a dor por ter de interromper a vida de um ser tão amado, sem saber, ao certo, se fez o melhor que podiapor ele. Eu ainda não sei, mas Gigi estava sofrendo muito, embora ainda existisse vitalidade em seu olhar e interações tímidas conosco.
    Gigi, vai em paz. Que meu pai e tia Ivone te recebam em seus braços.
    Espero me recuperar disso tudo, o que agora parece impossivel.
    Minha solidariedade e compaixão àqueles que atravessam a mesma jornada.
    Com amor e dor,
    Andrea

  28. FATIMA AP.NASCIMENTO

    OLÁ, ESTOU PASSANDO POR ESSE MOMENTO DIFICIL. TENHO UM GATO DE QUASE 18 ANOS QUE É MEU FILHINHO DE QUATRO PATAS. AMADO POR TODOS DESDE UM MES DE IDADE. ESTÁ COM INSUFICIENCIA RENAL E TAMBÉM COM ANEMIA E HIPERTIREODISMO. ESTÁ MUITO DEBILITADO. TOMANDO SORO DIA SIM, DIA NÃO E A CADA QUATRO DIAS UMA INJEÇÃO PRA ANEMIA. ELE SE ALIMENTA E TOMA AGUA, MAS ESTE APETITE É UM SINTOMA CARACTERISTICO DO HIPERTIROIDISMO… JÁ ESTAMOS PENSANDO NESSE ASSUNTO (EUTANÁSIA)…. TODOS AQUI EM CASA ESTAMOS MUITO DIVIDIDOS… AS PATAS TRASEIRAS ESÃO SEM SENSIBILIDADE MAS ELE AINDA CONSEGUE SE MOVIMENTAR BEM DEVAGAR, AS VEZES FALHA E ELE CAI…. NÃO QUERO VER ESSE BICHINHO TÃO AMADO SOFRER… CONVERSO SEMPRE COM ELE, DIZENDO QUE SE ELE ESTIVER CANSADO DE LUTAR QUE ELE PODE PARTIR QUE VAMOS AMÁ-LO PRA SEMPRE… HÁ DIAS QUE SÓ SEI CHORAR PQ NÃO SEI SE AUTORIZO OU NÃO ACABAR COM ESSE SOFRIMENTO!!!!

  29. Maria

    Fiz no meu cãozinho poodle de 18 anos que estava cego, com problemas neurológicos, não andava e dormia pouco . Fiz pq a veterinária insistiu muito. Na hora não senti muito, saí chorando; mas a ficha caiu no outro dia e hoje posso te dizer uma coisa: estou muito arrependida, são 21 dias de choro, angustia e saudades, deveria ter medicado e trazido para casa para que morresse com a família. Eutanásia não deve ser decidida na hora; e num impulso só porque a veterinária insiste. Quando ela me disse: ” se fosse meu eu faria” deveria ter virado as costas e ido em outro veterinário.

  30. Maris

    Maria nem me fale estou na mesma situação foi feito eutanásia na minha cachorrinha a uma semana, mas a dor e arrependimento é tanto. Ela estava com tumores nos rins e fígado, o veterinário disse que ela sentia muita dor e era o melhor para ela pois não aceitava mais comida a 4 dias estava só no soro e muito fraquinha, mas me culpo se ela deveria seguir até chegar a sua hora tô arazada

    • Day

      Imagino Maris, meu filho tb estava muito debilitado, sem comer, sem andar e tendo convulsões a cada meia hora.Já não via brilho em seus olhos e sentia que cabia a mim ajudá-lo nesse momento.Tento pensar que escolhi por ele por um momento de paz para ele e descanso.Procure pensar dessa maneira, que pelo menos ela hoje esta descansando em um lugar muito melhor.

  31. Marcos Antônio França de Oliveira

    Mas o mais confortante para um animal de estimação de boa convivência é a morte natural, sem ser provocada: uma marte matada, mesmo programada “sem dor”, mas a dor de ter o médico veterinário sugerir a Eutanásia. Quando a função do médica e o de salvar a vida, não de tirar avida, mesmo a vida de um animal, por mais que justifique.

  32. Day

    Olá para todos!!
    Buscando consolo a minha dor , encontrei esses comentários:
    Meu filho de 4 patas se foi ontem, o nome dele è (sim, ainda vive em mim) Pingo, da raça poodle, com 15 anos e 8 meses, sofria de cardiopatias, estava tendo convulsões, parou de comer, beber e andar, ficou internado por 3 dias e não respondeu ao tratamento, foi ai que a veterinária me indicou a eutanásia, então pedi para leva-lo para casa e em casa não houve melhora, convulsionou muitas vezes e senti que ele estava morrendo lentamente, corri com ele para o hospital e la novamente me indicou novamente a eutanásia e então eu aceitei com o apoio de minha irmã.Não quis acompanhar o procedimento e me arrependo muito, pois sinto que não estive com ele no último momento, tenho sofrido muito, em casa sinto um vazio e não consigo nem dormir.
    Essa decisão foi a mais dificil da minha vida, um misto de arrependimento, com culpa e saudades , penso que ele estava sofrendo e que ele não era mais um cão feliz.
    Para aqueles que estão na mesma situação, vou deixar o que meu sobrinho de 10 anos me disse e que me ajudou e quem sabe não ajuda a quem esta sofrendo tb: o pingo não tinha pecado, então já esta com DEUS.

  33. Mônica

    Já passei por essa situação tem 1 ano,até hj meu coração está partido,era uma vira lata,de 15 anos,perdi para o câncer,minha familia ainda esta arrasada,mais fiz o que era certo no momento q vi ela chorando,sem poder andar,então me coloquei no lugar dela,fizemos tudo para q ela ficasse confortavel,me despedi,só nao aguentei ver quando ela se foi,mais foi em casa no lugar dela sei q era assim q ela queria,hoje ela esta no céu brincando e sem dor,sigo uma missão que é ajudar os peludos q moram na rua,e Deus enviou uma gatinha chamada Tita pandora q esta me ajudando a cada dia.

  34. Alessandra Cristina Costa

    Estou vivendo este momento agora!!! Está sendo a decisão mais difícil da minha vida, realmente estou perdida sem saber o que fazer!
    Meu bebê (pudlle) de 16 anos já é completamente cego e surdo há 3 anos, mas de uns tempos pra cá começou a sofrer de Alzheimer, travou as patinhas de trás, só se arrasta, não come mais, não dorme, faz xixi e cocô em qualquer lugar e deita e dorme por cima! Não aguento mais ver o sofrimento dele!!
    Antes de ontem ele teve duas convulsões, uma esquemia e, só tem piora!
    Ele está internado em uma clínica veterinária desde segunda feira e, só piora. Fica sedado dia e noite.
    O veterinário apresentou a Eutanásia como uma solução, já que o caso dele é irreversível, progressivo e, está trazendo angústia e sofrimento a ele!
    Mas realmente, não sei o que fazer, queria que ele partisse de forma natural, mas não consigo suportar o sofrimento dele! Está sendo uma decisão muito sofrida e difícil, pois a responsabilidade por essa ” morte” será minha para sempre!!!!!
    Estou sofrendo muito e, sem saber o que fazer!!!

    • Maria

      Alessandra, é uma decisão difícil, o meu poodle estava com os mesmos sintomas do seu, não dormia, fazia as necessidades e depois caia encima, se sujava todo, usava fraldas, dávamos 40 gotas de dipirona e ele não dormia, fora os remédios para oxigenação no cérebro e tantos outros. Depois de quase 6 meses ( conto no calendário – dia 7 de agosto são 6 meses); eu ainda choro. No dia, a minha mãe foi comigo, mas até hoje carrego está culpa porque dizem que somos 100% responsáveis pelas nossas atitudes, no começo coloquei a culpa na veterinária por ter insistido. Mas não consigo me perdoar, o sentimento de culpa e arrependimento é muito grande, que já fui até no psicológico. Quem sabe um dia eu me perdoo.

  35. Vera

    Boa tarde , estou muito triste pela que fiz com minha cachorrinha pincher de 16 anos , ela ficou cega e surda e com problemas neurológicos a cerca de 3 anos , de 1 mês para cá começou a ter convulsões que ia piorando a cada dia , eu vivia 24 horas do seu lado pois ela não podia sair sendo que perdeu todos os movimentos só ficava deitada, , levei ao veterinário ele optou por deixar ela com calmantes 24 horas , até agora não entendi aonde tive forças para obtar pela eutanásia, vai fazer 1 mês e todo dia Me culpo por isso , me arrependi demais , como queria que o tempo voltasse, acho que preferia ela do meu lado mesmo dormindo 24.horas , estou muito muito triste me sentindo no fundo do poço.

  36. Débora

    Boa tarde.
    Passei por isso, nossa lhsa Apso filha canina , de 15anos começou com problemas renais, e logo em seguida pneumonia,ficou internada com os leucócitos muito altos, deram alta e levamos para casa, mal conseguia respirar, comer sem posição, tomando antibiótico injeções, Tramal para dor, foram 3 dias de muito sofrimento, aí uma madrugada teve uma hemorragia interna, fomos para a clínica e foi atendida e consegui estabelizar, voltamos para casa e ela não dormiu, sem condições de sobreviver, voltamos para a clínica hospital, fomos atendidos pelo veterinário que conversou muito com a gente, esse momento é muito tenso mas acabamos aceitando a eutanásia devido ao grande sofrimento. Assistimos tudo mas confesso que o dói muito deixar ir a nossa mascote, até hoje choro muito. Saudades imensas dela.
    Mas sei que não sofre mais o que fica é essa saudade que doi. Como são puros esses seres iluminados ❤

  37. Raquel Lara

    Não tenho coragem, não foi eu quem deu a vida para ele então não posso tira-la. Respeito a opinĩao de quem pensa ao contrário. Meu gatinho está com PIF, estou triste demais.

  38. Diva

    Minha iliasa apso tem 17 anos e meio tem varios problemas incontroláveis com medicamentos mas o disturbio cognitivo esta acentuado demais ela chora, grita e late .
    Só para qdo dorme e pela madrugada acorda gritando, fica no mínimo duas horas chorando
    Acho que chegou ao limite, mas tô sem coragem. Não sei o que fazer.

  39. thiago

    Tomei essa decisão dia 26 De Julho…
    um mês antes descobrimos que ela estava com linfoma, no pulmão, agressivo. O que colaborou com isso foi sua condição de Felv positivo. Contraiu da mãe.
    Sofremos muito durante o mês que se passou, iniciamos o tratamento na oncologista com quimioterapia, ela teve que drenar liquido dos pulmões devido ao liquido expelido pelo tumor, desde então ela lutou bravamente contra o tumor, mas nos exames de sangue suas plaquetas estavam caindo drasticamente, devido a Felv ja eram baixas, com a quimio reduziram a metade.
    Sabíamos que as chances de cura eram mínimas, mas ela ainda estava “bem”, tínhamos que deixa-la lutar, e lutamos com ela.
    Mas infelizmente, chegou ao ponto que ela não aguentava mais andar, com dores, tantos remédios, anemia, vômitos. ela estava com tanta dor que gemia quando a pegavamos no colo, mesmo com todo cuidado, diversas vezes suas garras saiam e cravavam no meu braço em resposta a dor que sentia .
    escrevo esse comentário chorando, não foi fácil. Sofremos durante o mês no seu tratamento e agora depois de sua ida.
    fazem 6 dias da eutanasia e ainda choro e sinceramente não sei quando vou parar de chorar.
    Pensando nela, suas travessuras, carinhos, pedidos pra sair e ver os cachorros no quintal(ela gostava de cachorros e os cachorros dela), ospedidos dela pra beber agua da torneira, pra abrir a janela e ficar olhando os pombos no telhado, suas mordidas no meu pé a noite, acordar pela manhã e ver ela dormindo no travesseiro da minha esposa.
    Agora só resta as lembranças e saudades dos 11 meses que ela ficou conosco.
    espero um dia me reencontrar com ela, no lugar que não tenhamos mais que nos preocupar com a dor da separação.

    • Maria

      Thiago é muito difícil, estou há 6 meses passando por isto. Fiz eutanásia no meu poodle lindo de 18 anos ( o mais triste é que ele fazia aniversário no mesmo dia do meu). Que tristeza, saudades, eu pegava ele no colo e ficava dançando na cozinha , a primeira coisa depois que ele partiu, foi doar o rádio da cozinha. Estou escrevendo e chorando de soluçar, um dia esta dor , saudades e arrependimento , vão passar.

  40. Roberto

    Hoje deixei a Mel, com 15 anos, descansar. Ela tinha disfunção cognitiva a algum tempo ja com todos os sintomas. Cega, surda, desorientada, defecava em qualquer lugar, muitas vezes nela mesma, desorientada, andava em circulo batendo a cabeça o tempo todo se perdendo pela casa, arriava as patas traseiras sem conseguir levantar, “chorava” muito especialmente a noite e já não reconhecia mais absolutamente ninguém. Se já não fosse suficiente, o problema na vertebra da coluna fazia ela se locomover mancando com muita dificuldade (em circulos), até arriar denovo e “chorar”. O efeito de toda medicação já era limitada. Tenho convicção que fiz o melhor pra ela. O que gostaria de deixar aqui é minha opinião de que tomem a decisão do que acharem ser o melhor para seu pet, tentando se colocar no lugar dele. Isso passa por convicções próprias, crenças, visões de vida próprias. Não tenham dúvidas, é duro e é uma decisão muito solitária. Estou destruído mas me botando no lugar dela fico bem com a decisão.

    Para os que tem pet com degeneração cognitiva, aproveitem ao máximo enquanto ele tem lucidez. Eu demorei a ter o diagnóstico e quando percebi minha Mel já não estava a cabeça entre nós. Levem seus pets para aqueles lugares especiais e ver os amigos o máximo que puderem. Quando cabeça dele for embora no estágio avançado, será muito duro, especialmente a despedida sem conseguir interagir para deixá-lo calmo.

    Abs a todos e força

    • Maria

      Gostei de ler teu post…Meu caso´é bem parecido. Meu dog tem 16 anos e não sabe mais onde está, pupila bem dilatada, não caminha, não toma água, (só no soro), come com minha ajuda, não dorme sem remédios, usa andador, mas não sabe desviar dos obstáculos, machuca as patinhas…
      Interessante tua colocação de se colocar no lugar deles. Sem dignidade e completamente dependentes, isso dói. Ao mesmo tempo me sinto covarde. Preciso ter coragem pra decidir a eutanásia.

  41. Glaucia

    O meu cachorrinho está com melanoma na boquinha,ele é meu melhor amigo e eu estou sofrendo muito com isso.Mandei operar o tumor e depois o tumor voltou,o veterinário disse que tinha que operar novamente e retirar mais da metade do maxilar e não me deu nenhuma garantia que o tumor não voltaria.Decidi não operar e ele está aqui em casa com um tumor enorme que sangra muito,mad está comendo com minha ajuda e forte.Nao tenho coragem de matar meu filho peludinhos e não sei mais o que fazer.Estiu mirrendo junto com ele.

  42. daniele

    acabei de passar por isso hoje, e estou destruída. Meu gatinho romeu, um persa de 2 anos e 8 meses, tínhamos diagnosticado ele em janeiro, descobrimos cálculos nos ureteres que não seriam possíveis a retirada pois era somente cirúrgico e nenhum veterinário recomendou. fez um tratamento em casa melhorou, voltou a comer, engordar, brincar, vida normal,agora no ultimo domingo ele ficou muito mal, acabei correndo com ele para o Veterinario de madrugada, ele internou, fez exames na segunda, na terça ele piorou. Ontem acabei trazendo ele para casa, pois fiquei com muita do de deixa-lo la sozinho sentindo tanto mal, e sem melhora nenhuma, dormiu aqui essa noite, quando acordei cedo ele estava tendo convulsoes, completamente apático, nao levantava, só ficava deitado, ou ficava com o rostinho dentro da fonte de agua….aquilo acabou comigo, acabei tomando a decisão, e fizemos a eutanasia hoje pela manha. porem estou me sentindo muito mal, muito culpada. apesar de outros veterinarios concordarem, pq ja estava bem avancado e ruim os exames dele.

  43. Andrea

    Olá,
    Há pouco menos de um mês meu gato Dodi, de 8 anos, apresentou edema pulmonar e emagrecimento significativo. Ficou internado por uma semana e a hipótese diagnóstica era PIF Efusiva.
    Optamos por realizar os cuidados paliativos em casa, na medida em que buscávamos tratamentos alternativos, medicamentos em estudo (chegamos a adquirir autorização para importar o Interferon Omega Felino), mas o acumulo de líquido no pulmão persistia e as punções pleurais se tornaram cada vez mais frequentes. Dodi, que antes era um gatão, continuou a perder peso, apesar da ingestão calórica diária e pesava como um filhote. O AD era administrado várias vezes ao dia, de modo forçado, além de fígado e outras rações úmidas. Ontem, depois de mais uma punção, ele se manteve ofegante, já não aceitava alimentos e miava, aparentemente de dor.
    Diante desse quadro, hoje procedemos com a eutanásia e ele se foi. Estamos devastados, mas segundo os veterinários, não havia mais recursos terapêuticos disponíveis para aliviar seu sofrimento. Foi a segunda vez que tomamos tal decisão, a primeira com uma gatinha que apresentou metástase pulmonar, após enfrentar um câncer de mama.
    É devastador, mas quero crer que realizamos o possível, que tomamos a melhor decisão.
    Espero ficar em paz e desejo a todos os visitantes do site, que estão enfrentando situação semelhante, que também apaziguem seus corações. Amém!

  44. Maria

    Autorizeia aeutanasia do meu gatinho que estava com problema renal, já não comia mais, não tinha refelexos, estava com gilcemia baixa e não mantinha a temperatura corporal, me falaram que não tinha mais nada o que fazer, e falaram da eutanasia, ai autorizei chorei muito, muito mesmo e às vezes me sinto mal por ter autorizado o que faço?

  45. Verônica Regina

    Boa tarde, hoje tive que optar pela vida de meu peludinho, foi horrível, ele a 3 meses atras fez uma cirurgia de um tumor maligno e agressivo, na língua, fiz a cirurgia dele mais depois de 3 meses de operado voltou, levei a veterinário e o veterinário me deu duas opções operar e voltar de novo e ter que submeter ele a uma quimioterapia ou a eutanásia, o tumor era maligno e muito agressivo então não tinha jeito, não tinha mais o que fazer, ele já não estava se alimentando direito. Foi ai que pedi forças para Deus e optei pela eutanásia. Foi muito dolorido, mas para acabar com o sofrimento dele. Estou arrasada. Assisti a tudo com muita coragem, fiquei o tempo todo ao lado dele.

  46. PAULO CEZAR SANTOS ANDRADE

    Meu Deus eu estou sem chão a minha melhor amiga e companheira está definhando diante dos meus olhos e eu não consigo fazer nada para ajudá-la meu coração está em pedaços pois fui pego de surpresa mau tive tempo de reagir agora só me resta deixá-la ir embora não sei como vai ser quando eu chegar do trabalho e não a ver no portão me esperando para me dar as boas vindas em casa como fazer para superar tanta dor.

  47. Maria

    Gostaria de saber se alguém já teve cão com encefalopatia hepática?
    E queria opiniões sobre esta doença, pq meu cão não tem mais qualidade de vida. Não come, nem bebe sozinho, tem 16 anos, só dorme com remédios, não caminha sozinho, usa andador e não sabe desviar das paredes (Machuca as patas pq fica patinando para desviar). Além disso, se urina e toma soro com agulha, ou na seringa pq não quer beber água.
    Seria caso de eutanásia? Penso nisso,mas ao mesmo tempo, penso que pode ser covardia…

    • Mehr

      Não conheço sobre essa doença, mas só pelas condições que citou, parece suficiente concluir que esse ato não seria uma covardia, mas um refrigério. Precisamos exercer a empatia e o amor, que não é egoísta, que deixa ir, pois se pensa mais nas necessidades do outro ante as suas próprias de querer sua companhia, sem pensar em como está sendo pra ele. Seu amigo sabe que é amado. Eu deixei o meu ir ontem. Senti culpa, mas foi passageiro porque ao lembrar de como ele estava incomodado, senti mais alívio do que culpa. Os cães são muito melhores do que nós. Não tem esses questionamentos. Lembro dele sempre com alegria porque assim ele era e sempre será. Foi sereno, sem dor. E cheio de carinho.

  48. Camila Pereira

    Sinto que está chegando a hora da minha gatinha passar por isso, ela tem ossosarcoma.

  49. Denise

    Já aconteceu 2 x, tive q tomar essa difícil decisão com meus pets em pouco mais de 1 ano de diferença, sendo o ultimo há 2 semanas. Sofro muito de saudades, vivendo o luto do último, a dor que gera arrependimento a cada vez, mas sinceramente sei que fiz o melhor ! Eu os amo e fiz além de minhas possibilidades físicas e tbm financeiras, hoje eles descansam em paz e no meu coração! Sei que a dor vai passar no seu tempo certo. A primeira minha poodle estava com qs 19 anos, sendo tratatada já há anos, e há uns 4 anos foi ficando mais difícil, já havia tirado tetinhas, útero, queimado verrugas senis, e também tinha degeneração cognitiva. Dos seus 12 kg estava com 6kg no final. Parecia q ia quebrar qd pegavamos no colo, pois ficou com os ossinhos pontudos Estava sempre sendo carregada embaixo do braço, usava fraldinha, andava perdida pela casa, ceguinha, acordava muito a noite etc. mas fui levando porq ainda comia e segundo eu não sofria! Será?? Durante o dia precisava deixa-lá só porque trabalhavamos e assim foi passando. Até q chegou ponto de não querer comer nem parar em pé. Um dia cheguei estava numa poça de xixi e sangue (as verrugas agora eram grandes estouravam e sangravam), os vets não queriam mais queimar pois ela não aguentaria anestesias. Na segunda vez chegando do trabalho ouvi urros dela, estava novamente tentando levantar de uma poça de xixi, fezes e sangue, não sei há quantas horas estava naquela situação. No mesmo dia levei a clínica e foi feita eutanásia. Sofri muito, mas tenho convicção q foi o melhor, COM CERTEZA ela merecia o repouso e a paz!!! A dor passou e hoje ficaram as boas lembranças. As vezes sinto de ter ido tão longe e deixado ela sofrer tanto! Concomitante com isso nosso rotweiller q estava com qs 9 anos, com 50kgs. Ele já tinha problemas de articulação (comum nesta raça) e sendo tratado) rompeu os ligamentos da perna e não andava mais. Levamos em veterinário fizemos exames, tudo q foi possível Pelo porte dele passavamos dificuldade para deslocar, tentar levantar o mesmo, era de 2 a 3 pessoas e infelizmente ainda qd sentia dor e ficavamos manipulando ele ficava bravo, era dificil mexer, embora fosse 1 amor de cão, amoroso e queridão, dengoso mesmo!! Após isso 3 vet indicaram eutanásia pois para idade e porte não teria retorno, mesmo assim insisti e me indicaram um quarto vet anjo que o operou. Depois o internamos em quem fizera com ele no passado adestramento, pois trabalhavamos, e ele precisava ser levantado e ajudado na recuperação.. e não tinha nem condição física nessa fase, ele vinha para casa aos finais de semana qd estavamos e tinha mais gente. Assim passou 6 meses e ele retornou p o lar. Ficou uns 6 meses mais relativamente bem, após começou a cada 3 meses entrar em tratamento veterinário p dor. Na verdade nunca recuperou 100% e foi ficando mais velho. No final não levantava mais sozinho e nem dormia a noite, ficava no chão do meu quarto e eu precisava levantar várias vzs a noite p ajuda-lo a levantar e trocar posição. Levantavamos ele eu e minha filha, não tinha dia nem noite. E se eu saia do campo de visão dele ficava nervoso e chorão. Nem menciono a parte financeira, foi surreal, mas fiz porq ele era E É muito amado por nós!! Esse quadro foi agravando e era uma gritaria qd o levantavamos. Mas ficava em pé andava e comia bem. Tentamos por peiteira p ajudar levantar mas ele não aceitava, ficava bravo, era difícil porq era um cão forte e com dor ele reagia. Tomava remédios específicos tbm para regeneração. Numa das últimas crises chamei um vet em casa e conversei sobre eutanásia. Ele ainda propos um tratamento a base de corticoide, tramadol, remédio p neuropatia, dipirona, protetor de fígado, remedio p coco pois ficava constipado e assim foi feito, por duas semanas, melhorou alguns dias e decaiu muito, isto com 8 medicações diárias. O vet propôs eu chamar fisioterapeuta em casa pelo porte, p uma tentaitva de ajudar melhorar (caso conseguissem o manipular pois ele era bravo qd com dor) e sinceramente não tinha mais condições $$ de verdade. Rezei muito, pedi aos espiritos de luz me orientar se eu continuava ou o libertava. Daquele dia em diante ele piorou MUITO. Ultima noite eu praticamente o mantiva dopado, dava de 2 em 2 horas remedio p dor, doses altas e dormir nem pensar, ultimos dias eu andava qs um zumbi, mas é uma dificil e dolorida decisão! Optei pela eutanásia. Me doeu e dói muito ainda. Sei q ele viveria talvez ainda mais alguns meses, embora para a raça já bem idoso e as medicações ainda atacaram seu sistema digestivo, estava sempre meio engasgado, chorando ou deitado num canto. E era um gigante, diferente da mana poodle dele. Ele sabe o quanto foi e é amado e q eu sua “mãe” humana jamais faria mal a ele. Meu coração ainda não entendeu isso muito bem, mas vai passar e vão ficar as lembranças boas do meu negão! Não é fácil nem nunca vai ser. Mas amar não é necessariamente ver os nossos bichinhos se esvair em sofrimento. Eles são uma consciência diferente da nossa humana e que está na nossa guarda para evoluir, sem tantos débitos qt os humanos. Sei que fiz o meu melhor sempre!mudei de casa mais de 1 vez por eles.. fiz sempre o melhor ao meu alcance! o grande problema são nossas culpas, deixamos de ver como vai ser melhor para ELES e passamos a enxergar só a nossas culpas e medo da saudades!! Mas não é fácil MESMO! Paz e luz para todos que atravessa esse mesmo caminho!!

  50. Ana Luiza

    Meu gato que teatro como filho é Felv leococica positivo e com tumor no abdômen, pulmão e com líquido e baixo imunidade . Não come e não bebê água, tem muita dificuldade para respirar e andar. Meu coração está partido pois não deixe drenar o líquido do pulmão a veterinária falou que não tem cura e vai morrer agora ou podia protelar o sofrimento dele. Dói em mim a sensação de inércia de vê meu filho nessa situação e saber que não posso fazer nada. E nem um veterinário aceitou fazer a autanasia. Nem durmo mais direito com medo dele morrer e eu não está ali do seu lado, mais estou cuidando todos os dias como se fosse o Último.

  51. Léia

    Como foi bom ler seu blog, estou mais calma agora, passei por isso hoje, minha labradora de 11 anos vem lutando contra um câncer grau III, ela veio piorando a cada dia, e hoje revolvi fazer eutanásia, meu coração está quebrado, agora só ficou as fotos e lembranças de tantas alegrias que ela nos proporcionou ao longo desses anos.

  52. Janaina Leite

    Boa noite

    Busquei essa matéria pq ja fiz a escolha, sei agi certo mas mesmo assim bate as vezes a pergunta. Será que era hora mesmo??

    Minha rottweiler viveu bem ate os 9 anos. Dois meses depois de completar seu Nono aniversário começou a mancar. Quando levei ao PS nao identificaram algo significativo. Apenas algumas alterações na ossatura, mas não dizia muita coisa. Tomou uma injeção de tramal com Anti-inflamatório e Ficou bem. Praticamente parou de mancar.

    Apos o protocolo de tratamento ela voltou a mancar e eu a levei em um ortopedista que a atende desde novinha. Com exame fisico e ultrasson, identificaram uma tendinite. Também foi tratada com anti-inflamatório é analgésico junto com acuntunpura. Quando terminou a medicação a cachorra voltou a mancar. Voltei no ortopedista e após um exame de raio x, foi diagnosticada com osteossarcoma. Um mês depois teve a pata amputada e 40 dias depois uma metástase pulmonar. No pulmão tinha uma suspeita de carcinoma.

    Tinha efusa Pleural todos os dias, sendo necessário passar pelo procedimento de drenagem com agulhas, as vezes ate mais de uma vez por dia. Foi tentado corticoide, quimioterapia e nada fazia o quadro dela melhorar. Por conta da drenagem ela estava perdendo hemácias. Estava internada ja a uma semana e se saísse do hospital tinha risco de óbito. Foi quando o veterinário do Hospital Rebouças falou que o melhor era ela descansar. No dia seguinte a onco disse a mesma coisa. A noite fui para coloca-la para dormir. Fiquei 3 horas conversando com ela e disse para que fosse tranquila que ficaria tudo bem. E assim foi feito.

    Claro que estou triste e a cena dela fechando os olhos não sai da minha cabeça. No fundo seu que agi certo, mas as vezes sinto culpa. Será que era o momento certo mesmo? Acho que todos nos temos esse sentimento no fim. Nada mudou o amor incondicional que sinto. Preferi lidar com sua ausência que ve-la sofrer. Hoje é uma linda estrela que brilha no ceu dos cachorros e tb No meu coração.

  53. Julia

    Eu estou passando por isso, meu bebe esta com Limfoma em estagio 4 há 8 meses atrás, estava medicado e bem, mas nas ultimas duas semanas ele tem sofrido muito, parou de comer , e sente muita dor, o veterinário q estava levando para receber o tratamento não pratica eutanásia e quer deixa-lo morrer em casa, mas eu nao consigo mais ver meu Bb sofrendo desta maneira, estou a ponto de procurar outro profissional e pedir pelo amor que acabe com o dofrimento do meu bb!

  54. Elaine

    Sim
    Foi hoje e está sendo horrível isso ,mas ela esta lutando algum contra o câncer maligno. Tentamos com Químio mas nao estava tendo resultados positivos.E o veterinária nos chamou novamente a perguntar se ja tínhamos pensado sobre a altazia,ela estava conosco a quase 15 anos.Mas a nossa Babalu foi uma querreira ,alegre,carinhosa e companheira

  55. Silene

    Sim estou tendo que tomar está decisão com muito sofrimento, pois meu armarinho está sofrendo já n dorme direito e sente muita dor já tem 16 anos.
    Foram momentos de muito Amor com ele estou sofrendo muito com essa decisão.
    Vai passar!!

  56. MAURÍCIO

    AÍ MEU DEUS TIVE QUE FAZER EUTANÁSIA NA MINHA GATA AGORA À POUCO ESTOU MORRENDO DE TRISTEZA E PEDINDO PERDÃO À DEUS. ME AJUDEM POR FAVOR.

  57. Maísa Santiago

    Estou passando por essa situação. Segunda a noite, minha gata brincando tentou subir na tábua de passar roupa e a tábua caiu por cima dela. Levamos ela ao veterinário e ela está internada, mas não tem reagido aos medicamentos pois afetou a parte neurológica dela.
    Hoje eu fui visitar ela e o veterinário disse que ela não teve nenhuma melhora, que ela está a um passo do coma. Minha filha não se mexe, não pisca, só faz movimentos espontâneos, como respirar, colocar a língua pra fora (sua boca está toda branca). Eu estou totalmente sem chão, estamos com ela 1 mês e 7 dias e de vida ela tem mais ou menos 2 meses e meio, me apeguei tanto a ela. Amanhã será o último dia de internação e como o veterinário disse, caso ela não vá a óbito natural, ele indica a eutanásia porque o caso dela não tem jeito. Meu coração está em pedaços, só consigo chorar, eu sei que ela nesse estado, só sentindo dor, sem se alimentar, é a única solução, mas não imaginava um destino tão ruim principalmente com ela tão jovem.

  58. anna lucia cogo

    Valeu!
    Achei boa a forma como abordaram a questão da eutanásia em nossos bichinhos queridos.
    Grata

  59. Matheus M Santos

    Ola, tenho uma gatinha de 6 meses. Adotei quando ela tinha 2 meses e desde então ela passou sempre com febre e sem ânimo. Na primeira semana que ela passou cmg ja levei no veterinário e nisso eu fiquei 2 meses, sempre dando antibiótico e muiti vitamínicos, mas sempre voltava a ficar ruinzinha… Resolvi pegar uma segunda opinião e me foi falado que ela teria herpesvírus e que nao tem cura. Estou cuidando dela por 2 meses depois de receber essa notícia e a cada 2 dias tenho q retornar para dar injeção nela para melhorar da febre (que é recorrente), tenho dado comida e água sempre com colher, praticamente por uns 3 meses. E infelizmente de uns dias pra cá ela começou a andar sem equilíbrio e cambalear as patas de trás, impedindo que ela se locomova sem ficar caindo. Não sei se eu questiono o veterinário para fazer eutanásia, fico mal por pensar dessa forma, mas nao consigo ficar vendo ela sofrer e viver dessa forma… Eu percebo que ela n está bem e não tem o que eu possa fazer para deixar ela bem. A eutanásia seria indicada?

    • Thamires

      Estou morrendo junto com minha cadelinha Mel, uma Yorkshire, de 13 anos. Há 2 meses atrás ela começou com falta de apetite e vômito. Primeiro pensei que fosse problema nos dentes. Levei na veterinária ela fez exame de sangue e ultrassom. Disse que o problema era na vesícula biliar e no fígado. Receitou remédio e disse que a cirurgia era inviável por conta da idade dela. Os dias foram passando e ela começou a vomitar todos os dias, várias vezes, teve diarréia, urinou sangue, começou a sair uma secreção amarelada da vulva, ficou com a gengiva pálida, tinha sede em excesso, a urina era bem clara e em bastante quantidade, já não comia absolutamente nada. Pesava só 2kg. Fez fluidoterapia subcutânea e logo após teve sua primeira convulsão. Depois teve outras duas. Levei em outro veterinário e ele disse que a creatinina e a ureia estavam muito altas (196 / 6,0). Então, veio o diagnóstico de insuficiência renal. Fez fluidoterapia na veia. Trouxe para casa e ela entrou em estado vegetativo. Não anda, não late, não come, não consegue tomar água sozinha, faz xixi na caminha, vomita sangue e fica caída em cima do vômito. Algo muito dolorido. Um sofrimento muito grande para ela. A doença está muito agressiva. Evoluindo muito rápido. Ela está internada na Clínica. E eu estou aqui, em casa, lendo sobre outros casos, vendo as opiniões de cada tutor. Nem sei se o veterinário dela faz eutanásia, não perguntei e ele também, por enquanto, não me disse nada. Minha Mel não quer se entregar. Está lutando para viver.

  60. Renata

    Ai gente tenho o meu vira lata em casa, ganhei ele quando ele tinha 3 meses e agora já está com 20 anos. Tem problemas de coluna, já não ouve e não encherga direito. E de uns 4 dias pra cá está inchando todo, quer beber muita água, levei no veterinário e ele acha que está com um tumor no baço. Não sei o que fazer, me dá muita dó ver ele assim, pois sempre foi muito ativo.

  61. Rosaneti

    Tenho uma gata de 16 anos, qdo ela chegou aqui em casa, como presente pra o meu filho , ela era muito bebê, cuidei, dei mama e ela vingou…ficou um gata linda branca, conxita. Há um ano mais ou menos apareceu uma feridinha no fucinho, narz. Levei na veterinária foi constatado câncer. Tratamos por um tempo com medicamento. Porém não adiantou. Chegou o ponto de retirar o tumor. Depois disso do piorou.ela ficou sem uma pedaço do nariz…ficou um tempo bem…agora faz uns dois meses o câncer avançou e não tem o q fazer. Tomou conta do nariz e do olho. Não sei o q faço… eutanásia?!?! Deixo sofrer?? Não segura mais xixi e fezes…comida tem q dar na boca. Mas ajudem…. não sei o w fazer…me sinto culpado só de pensar eutanásia, por outro lado sinto q ela não está tendo vida…sme ajudem

  62. Raquel

    Estou passando por essa situação nesse momento. Minha Cachorrinha Pituca, uma Yorkshire com 12 anos, está com tumor que está pressionando o coração e outro no fígado. Vai todos os dias à clínica e fica internada na parte da manhã (o que ela odeia) e toma 12 remédios por dia. Não está se alimentando (só por soro e vitaminas), o que é um sofrimento enorme pois sempre amou comer (era a alegria da vida dela comer) e fica deitada quietinha o dia todo e eventualmente com vômito e diarreia. Não tem mais qualidade de vida mas eu e meus pais e pegamos no colo, levamos para passear no colo, fazemos de tudo o que ela gosta mas infelizmente ela não tem mais brilho no olhar. Há alguns dias, quando estava muito mal e com dificuldade de respirar, a levei na clínica aos prantos e decidida a acabar com o seu sofrimento através da eutanásia mas ela não tirava os olhinhos de mim, e acabei desistindo. O quadro dela não melhora e não há nada a mais a ser feito, a não ser paliativos para evitar o sofrimento e a dor. Mas a alma dói em pensar em ser a responsável pela sua partida mas dói também ver a melhor amiga, sempre alegre e companheira, neste estado, definhando a cada dia.

  63. Marcelo

    Estou passando sério problemas com meu amigo bily, ele já tem quase 18 anos, passou a ter convulsões de 2 anos pra cá, o médico na época disse que era sinomose, mas como um grande guerreiro que sempre foi sobreviveu mas teve a convulsão como sequela. Mas após a convulsão ele fica perdido, andando sem rumo, batendo em todos os lugares, isso quando ele consegue andar, as vezes fica 2 3 dias sem conseguir andar direito, asezes 2 3 horas. Antigamente dava 1 vez por mês, depois passou a dar a casa 15 dias, 1 semana. Aí entramos com o tratamento diário com gabapentina mas mesmo assim na última quinta ele teve convulsão e passou a apresentar tremores no corpo e cabeça, não consegue mais dormir bem devido a esses tremores e está sempre girando de um lado pro outro quando deitado, apesar de ainda conseguir comer e beber ele está sofrendo muito, chora e uiva algumas vezes, a decisão é difícil, mas irei conversar com a veterinária dele.

  64. olivia rodrigues correa

    estou passando por isso meu shitzu esta com os 2 rins comprometidos e nao ha mais nada a ser feito .os medicos me aconselharam fazer a eutanasia mais meu coracao doi so de imaginar que estou acabando com a vida do meu filhote meu cachorro que dei tanto amor ,carinho cuidei como o filçho que nao tenho ! Que Deus me de sabedoria e disernimento para que eu faca o melhor pra mim e pra ele pq todos nos estamos sofrendo!

  65. Ieda maria

    Olá sim , tive que gader a eutanásia na minha mel cofapinha devido a cinomose sofremos muito aqui em casa por esta perda . E hoje me encontro novamente nesta situação minha Belinha de 13 anos esta com cancer e ja foi retirado uma bez e voltou ela nao aguentou as quimioterapia e o tumor e na perninha esta muito grande, nao sei o que faser ela teve cinomose quando bebê e depois na adolescência teve que tirar o utero o ano passado sofreu muito com uma pneumonia e doença do carrapato me ajude por favor.

    • Fabiana Xavier

      Oi, Leda!

      Que decisão difícil! E como a Belinha sofreu, ainda bem que teve em você o conforto e amor para passar por essas batalhas da melhor forma possível. Tenho certeza que ela sabe o quanto é amada e querida e o quão difícil é para você esta situação. Ouça a orientação médica e siga seu coração para agir conforme for melhor para ela e para você.

      Um abraço!

  66. Meu cachorro se foi, hoje, pela eutanásia. Como foi difícil aceitar esta separação. Decidimos hoje de manhã, pois ele estava sofrendo muito. Ele tinha quase 16anos.já não comia e nem bebia água.seu corpinho já estava com escaras, pois ele não se levantava mais.ficava em uma posição, só.Foi difícil tomar esta decisão, pois me sinto o pior dos seres humanos.Como superar essa dor e essa culpa??????

    • Fabiana Xavier

      Oi, Eliana!

      Meus sentimentos! Infelizmente, não tem fórmula para não sofrer, mas vai passar. Um dia você vai ter as boas lembranças dos momentos que tiveram juntos, mas sem a dor que sente hoje.
      Mas respeite seu momento de luto. Chore mesmo, sofra. É seu direito sofrer pela grande perda que esta passando.
      Daqui, envio boas vibrações para que seu coração se aqueça e a dor possa ser suportável neste momento tão sofrido.

      Um forte abraço!

  67. Natacha alves

    Eu estou exatamente nessa situação agora! tenho um cachorro de três anos que está com cinomose em um estagio muito avançado da doença! Ele já não anda, não come nem toma água sozinho, não me reconhece mais, faz todas as necessidades na frauda, ta com a respiração muito ofegante, tem crises de comvulsão e o corpinho dele já está ficando com feridas devido aos tics que a doença causa e ele fica roçando o braço no chão.
    E eu não tenho muitos recursos financeiros para custiar uma internação pra ele e onde eu moro não tem nenhuma clinica gratuita!
    Enfim tenho pensado seriamente em eutanásia mais não está sendo uma decisão fácil pois eu amo muito meu doguinho, e esse é o tipo de descisão que agente tenta fugir a todo momento!

    • Fabiana Xavier

      Olá, Natacha!

      Sinto muito pelo momento dolorido que você esta passando, infelizmente, nada do que eu disser vai fazer você se sentir melhor. 🙁
      Eu, opinião mega pessoal tá?, penso muito no “se fosse comigo, será que eu gostaria de viver assim sabendo que não tem cura ou melhora?” O sofrimento esta valendo o tratamento?

      Desejo, de coração, que você tenha muitos amigos para abraçar e ombros para chorar. Quando a hora chegar, vai precisar de todos por perto. Conte com as nossas energias positivas, para que seu coração seja aquecido nesse momento tão doído.

      Forte abraço!

  68. Natacha alves

    Muito obg de coração,suas palavras me ajudaram muito!

  69. Santos

    Passei por isso faz 5 dias não me consigo perdoar ainda , foi a decisão mais difícil que tive de lidar, o meu cachorro estava comigo há 15 anos apesar de não saber a idade certa dele , mas tudo indica uns 18 aninhos , Ele teve a ultima crise em Agosto (ele era doente renal ) , passado 2 semanas voltou a ficar doente até agua ele vomitou , até que esta semana e deixou de mexer as patas traseiras e a dor devia ser tanta que ele não gania ele berreva e se atirava contra as coisas com muita força tentei os medicamentos e não fizeram efeito foi ai que decidi pela eutanásia eram 3h30 da manhã quando fui para o vet fiquei até ao fim tá a doer até agora mas não podia ser egoísta e deixar ele a sofrer mais , ainda não me perdoei , os veterinário já me tinham avisado para me preparar porque estava perto , mas sinceramente não há como nos prepararmos . força a todos que têm de passar pelo mesmo

  70. Suzi

    Entrei aqui hoje para ler mais sobre isso, nosso gato está magro, já extraiu praticamente todos os dentes da boca, porém a gengiva está exposta de um lado e tem tipo uma necrose feia do outro lado da boca, ele se alimenta com dificuldade, está fraco, estamos dando remédio a base de codeína para aliviar a dor, porém a necrose está afetando o olho, rosto inchado, não sei mais o que fazer, amanhã vai a vet novamente para consulta, mas dói ver ele perdendo a visão, fraco, magro e com certeza sente muita dor, ele tem 10 anos, sempre foi muito mimoso, ativo, hoje encontra-se em estado crítico, não sei o que fazer, vou escutar a opinião da médica amanhã para saber quais serão os próximos passos a serem tomados. Rezem por nós!

    • Fabiana Xavier

      Oi, Suzi!

      É muito difícil ver quem amamos definhando aos poucos. Existem doeças realmente cruéis e fazem tanto o enfermo, quanto quem esta a sua volta, sofrerem muito. Independente do que você decidir, ele sabe que é amado e jamais será esquecido. E sim, estou rezando por vocês, para que passem por esse momento sofrendo o mínimo possível. /\

      Um forte abraço!

  71. Fernando

    Agora. Tá acontecendo agora. Estamos lutando uma luta desigual. Minha cachorra, Pipoca, é forte, luta muito, mas está sendo vencida. Eu hoje estive no limite para autorizar e autorizei, só que qdo trouxeram ela para me despedir, ela veio andando e balançando o rabo. Desisti na hora. Sei que a decisão foi egoísta, sei que não tem jeito. O veterinário foi sincero, mas não tive coragem. Sempre defendi a eutanásia, até me deparar com essa situação, de uma amiga de verdade te olhar dentro dos olhos e mostrar que quer viver. O câncer é altamente maligno, sem chance, mas fiquei sem ação. Decidi opera-la pela terceira vez, é o que poderia fazer por ela. Se tiver que ir, vai tentando lutar pela vida. Me fez repensar sobre a eutanásia e agora penso diferente e a tristeza é enorme. Já tive muitos cães e pipoca vivia com a mãe e a irmã, que morreram há pouco mais de um ano do coração. Foi terrível. Essa doença dela é injusta, não dá chances iguais. Mas minha decisão foi de ir até o último suspiro com dignidade. Por ela. Talvez esse texto sirva para alguém, esse testemunho real, pois acabei de voltar pra casa para esperar a cirurgia. Enquanto isso vim para internet buscar algum testemunho e vi esse texto acima, que me ajudou. Vamos cuidar dos nosso amigos, que muitas vezes são mais do que muitos seres humanos. Mas, estou muito triste e sei que daqui algum tempo a saudade virá com as lembranças. Te amamos pipoca.

    • Fabiana Xavier

      Olá, Fernando!

      Infelizmente, a vida nos apresenta muitas situações ao qual não temos o menor controle. Concordo que essa doença é muito injusta e traiçoeira também. Acredito que decidir ficar ao lado dela já foi grandioso e uma das maiores demonstrações de amor que podemos ter. Digo isso, tanto no momento da eutanásia, quando para seguir com o tratamento.
      Poder se tratar e partir, quando for o momento, com dignidade e sabendo que sempre foi amada. Não é isso que queremos para nós também?
      Espero que encontre nos seus amigos afago e muito amor para conseguir lidar com tudo isso. Sobre a Pipoca, eu sei que ela sabe que é amada!

      Um fortíssimo abraço!

  72. Ana Carolina Souza

    Olá. Estou numa situação difícil. Meu Spike, srd, 12 anos, começou com alguma crises no qual perdia os movimentos das patas traseiras e logo retornava. Na segunda crise que deu, levamos ao veterinário que passou remédio para dor, vitamina, ração senior e uma recomendação a uma consulta com um neuro-ortopedista. Demos os remédios, trocamos a ração e fomos atrás da consulta. Consulta que só achamos numa clínica de um neuro recomendado por todos os veterinários que procuramos, ou seja, já imaginávamos que a consulta seria bem salgada. Antes de marcar a consulta,Spike teve uma convulsão. Foi horrível! Pensei que ele estava morrendo. Não sabia o que fazer. Isso vou no domingo. Na segunda, teve três outras crises pela tarde e a noite. Estamos para levá-lo no médico na mesma semana. Só tínhamos que conseguir o valor da consulta. Na terça, ele teve convulsões das 23:00 até quando conseguimos o valor da consulta de emergência e o transporte, por ele ser grande, nenhum transporte aceitou levá-lo. Uma vizinha, que também tem pet, conseguiu pra nós. Mas crise após crise, ele ficava desorientado, andando em volta da mesa, parecendo não enxergar nem ouvir. Chegando na Clínica, logo foi atendido, chorando, teve outra convulsão e o Dr. correu para seda-lo. Enquanto isso, pedíamos dinheiro emprestado para pagar os exames. Foi descartado cinomose. Mas há uma quase certeza de tumor. Para ter certeza, precisa fazer uma tomografia. Minha mãe está desesperada. E ele também, pois não consegue nos ouvir, perdeu a visão, não consegue comer sozinho. Beber água também precisa de ajuda. Spike tentar se levantar, não conseguir, não latir mais, só fica deitado de preferência apenas de um lado. O outro não se sente confortável. A comunicação dele conosco é através do choro, pois só consegue isso. Faz as necessidades deitado e carregamos ele para outros lugares. Estamos auxiliando da melhor maneira que podemos. Está sem crises e pra que continue assim toma omeprazol, gardenal, tramadol (pra dor), Predsim, clindamicina além de um suplemento alimentício. É tanto remédio que não sei como ele suporta. Ele era um daqueles cães serelepes, corria para o portão quando alguém chamava, ainda brincava apesar de idoso, corria atrás dos gatos que invadiam o quintal. Espera minha mãe no portão quando ela saia. Estamos com medo, tristes e desesperados. Não sabemos quando poderemos fazer a tomografia. Ele está aéreo. A nossa vida, principalmente a dele, mudou em menos de uma semana. Não sabemos se ele consegue nos reconhecer pelo olfato, já que esse sentido também foi afetado. Minha mãe pensa em conversar com o veterinário para fazer a eutanásia. Não sei o que fazer! Pois ele confirmou que a situação de Spike é bem delicada e deu a entender que seria o melhor a se fazer. Já chorei tanto e tenho medo de tomar uma decisão errada.

  73. raq

    Fiz isso em 2015 e ate hoje eu choro, é horrivel. eu fico pedindo pra Deus me levar embora dessa vida pra reencontrar com minha cachorra 🙁 . sinto vontade de encontrar ela e pedir perdao e abraçar ela e dizer que a amo e senti muita saudades. Eu queria muito poder voltar atras, é horriveeeellllllll genteeeeeee. Ela estava sofrendo , sentindo dores, tinha convunçoes, dependia de remedio todos os dia. Mas dói muito fazer a bosta da autanasia. o coração dela ainda estava bom, eu choro muitoooo.. é horrivel. me senti uma assassina.. uma monstro., Vejo a foto dela e caiu em prantos. Eu queria tanto voltar atras , ;;; sera que vou conseguir ver ela em outra vida meu Deus. Eu nao consegui me desfazer de nada dela, brinquedos, roupinhas, lacinhos, o urso que ela amava , esta tudo guardado. Parece que foi ontem . quanto mais os anos passam pior é minha saudade e minha dor de culpa, de incapaz.

  74. Adriana

    Meu pet Bingo, tinha 14 anos. Ontem tomei coragem e autorizei a Eutanásia nele. Não andava, água e comida em sua boca, estava tomando vários medicamentos, problemas neurológicos e hepáticos irreversível, no domigo teve um AVC. Estou me sentindo péssima, não consigo ir no quintal e não encontrá.lo, mas a dor é imensa, Qdo passa é horrível

  75. Claudia

    Estou passando por um momento muito dificil, com uma gatinha adotada com todo carinho! Primeiro ela teve que fazer uma piometra, e estava se recuperando bem da cirurgia, quando de repente veio uma outra tempestade, foi diagnosticada com fiv e felv, leucemia e aids fenina. Ambas muito grave! Aí veio o sofrimento, no inicio do tratamento até reagiu, mas quando estava para ser liberada para casa, teve uma recaída fatal. Não conseguiu reagir e o quadro da doença se agravou. Veio a anemia, a falta de apetite e a fraqueza. Restando somente a eutanázia. Não devemos deixar nosso peludinho em sofrimento. Qualidade de vida vem em primeiro lugar na vida de qualquer animalzinho. Estou muito triste! Mas confiante em Deus!

  76. Tenho uma Pincher vai fazer dezoito anos. Cega ,surda e com problemas cognitivos..não come e nem bebe água sozinha,precisando dar na boca o tempo todo. Dorme o dia todo acorda às cinco e meia e vai até onze..meia noite as vezes até às 2 da manhã..Não adianta acordar ela de dia,já tentei várias vezes e nada.do que eu faço da jeito. Ela só não chora quando está dormindo, pós assim q acorda começa a chorar e andar em círculos sem parar. Faz cocô e xixi em qualquer lugar. Toma remédios controlados e vitaminas. Já não aquentou mais essa situação pois ninguém me ajuda a cuidar dela e se saio tenho que voltar antes das cinco da tarde porque ela acorda e começa a latir alto e incessante. Isso já está mexendo com meu emocional. Já faz um ano que estou nessa. Por favor preciso de orientação
    Muito obrigada. Valéria. Região dos Lagos.

  77. Isis Almeida

    Estou em uma situação difícil com o meu cachorro de 16 anos, ele é cego desde que nasceu, ficou com o movimento das pernas traseiras ruim e está muito fraco, não come quase nada mesmo eu alimentando ele com a seringa, bebe água mas está muito caidinho, estou dando vitamina, remédio para artrite e artrose, remédio pra dor, mas mesmo assim ele ainda está muito malzinho. Eu achava que era um pouco de maldade da minha parte se deixasse que dessem eutanásia, mas eu vejo que ele está muito mal e que não tem melhora, que já cumpriu sua função aqui na terra e que vai sempre estar no meu coração.
    Vi essa semana que na escala canina de grande porte, cães com 16 anos possuem 120 anos humanos, fiquei feliz por ele ter vivido esses 16 anos bem e saudável, agora no finalzinho que é normal ele ficar malzinho…
    Bem, obrigada pelo carinho escrito em cada palavra e o cuidado com o leitor, suas palavras me foram reconfortantes ❤️

  78. Daiane

    Hoje, 29/10/2020, minha filhinha Kelly (pinscher, 13 anos) luta contra um tumor abaixo do baço. Está com uma vesícula biliar gigante (cheia de cálculos biliares), não consegue caminhar, está cegando de um olho, urina deitada, sofre com constipação (causada pelos opioides, medicamentos que controlam sua dor). Se alimenta através de uma seringa, recusa carne e todos os demais alimentos. Toma muitos medicamentos por dia… e os odeia! Eu não consigo ver mais minha kellynha de antes. Ela amava carne, amava passear e era tão companheira! Me seguia para todos os lados da casa, nunca me deixava sozinha. Eu prometi que nunca iria abandoná-la e que não deixaria nada fazê-la sofrer. Estou com muito medo. Pode ser que eu esteja sendo egoísta. Mas eu insisto em acreditar que ainda há como revertemos isso. Tenho esperanças de que talvez ela ainda tenha alegria de viver novamente! Mas pode ser que eu esteja sendo egoista. E me dá muito medo!

  79. Patricia Alejandra

    Eu tinha um cachorro, chamado Tutty, que na verdade, minha filha q ganhou, quando ainda morávamos com minha mãe.
    O amável Tutty chegou em nossas vidas com apenas 3 meses de vida.
    Quando ele estava com 6 anos, eu e mi há filha fomos morar em outra casa e a pedido da minha mãe, o Tutty ficou morando com ela, pois ela teria mais condições financeiras de proporcionar uma melhor vida para ele.
    Hoje, o Tutty tem mais de 13 anos e tanto ele, como minha mãe, precisam de cuidados especiais, e quem cuida de ambos é minha irmã, que mora com minha mãe.
    O Tutty, não enxerga, quase não escuta, tem câncer no reto e sente muitas dores.
    Ele toma várias medicações e mesmo assim sente dores dores.
    Ele se suja sempre que urina ou defeca e assim, minha irmã tem q dar banho e secar, para q não fique sujo e sujeito a mais doenças.
    A questão é:
    Eu penso q é a triste hora de uma eutanásia, mas a única vez q toquei nesse assunto com minha irmã, ela não aceitou bem.
    Não sei como fazê-la entender que ele eata sofrendo e que provavelmente essa decisão, por mais dolorosa que seja, deve ser levada em conta.

  80. Estou agora chorando pq acabei de autorizar a eutanásia na minha cachorrinha ( 16 anos). Estava com encefalopatia hepática em estágio avançado. Estava tratando a meses e gastando em média 700,00 por mês em tratamento sem ver melhoras significativas. Ela estava com o sistema nervoso completamente comprometido, precisando de ajuda para comer, beber, já não ficava mais em pé e praticamente só mexia muito pouco o lado esquerdo do corpo. Chorava praticamente o dia todo. Estava cega e com um dos olhos com uma grave lesão devido ao avanço da doença e TB era surda, nas enquanto deu eu fiz o que pude e hoje decidi por um fim no seu sofrimento e TB no meu. Estou me sentindo culpada, arrasada, mas por hora penso ter sido o melhor por mais que me doa e dói, dói muito mesmo. Mas creio que Deus me perdoa, pois sabe das intenções do meu coração e agora sei que vai descansar finalmente e que sempre, sempre vou amá-la.

  81. Wagner

    Infelizmente tive que tomar esta terrível decisão na última quinta-feira ( 29/10/2020) … o sentimento de culpa ainda me invade … as vezes me sinto culpado por ter pedido ao veterinário por ter feito isso .. meu amigo tinha 17 anos e até uma semana antes de fazer a eutánasia mesmo com toda idade e com catarata avançada era muito ativo, pulava, brincava me beijava, enfim … num período rápido de aproximadamente 10 dias tudo aconteceu … ele começou a se queixar de uma pequena dor ( eu imaginava que fosse dor na barriga ) … ao descer os degruas aqui de casa que ele fazia com facilidade ele começou a se queixar de dor e gemer de dor … no ínicio imaginei que fosse algo simples, no meu entender poderia ser um mau jeito, uma dor de barriga, um incomodo na pata ou qualquer outra coisa de fácil resolução … desse primeiro dia de queixa do meu cachorro as dores começaram a se agravar de forma rápida e daí por diante foi sofrimento para ambos ( eu e meu amigo ) … estive por diversas vezes em clínicas veterinárias e emergências tentando amenizar a dor do meu amigo com antiflamátórios e analgésicos … por último o veterinário que o acompanhava solicitou um raio X do meu amigo … eu deveria aguardar 48h para que saisse o resultade do raio X … durante todo esse período eu via o meu amigo gemendo de dor e me doia na alma vê-lo naquele estado … Após 48h após o exame eu recebi o laudo do seu raio X e por não entender eu encaminhei o mesmo para o veterinário que havia solicitado …
    Se passado uns 15 minutos após o envio do laudo para o veterinário eu liguei novamente para ele que me deu uma notícia que “quebrou minhas pernas ” : ele disse que meu amigo estava com 3 vertebras comprometidas e tinha atingido a médula … na mesma hora no desespero dei um grito dentro de casa e falei : ” não tem mais jeito !!!” e meu amigo ali na minha frente ainda gemendo de dor … foi uma coisa horrível ver meu amigo sofrendo e eu com aquele diagnóstico terminal … desesperado , eu o peguei no colo e levei para uma emergência afim de que ele pudesse amenizar sua dor com alguma morfina ou algo que parasse aquela dor …
    Chegando naquela que seria sua última consulta eu vi aquele olhar opaco dele e aquele sofrimento sem esperanças de melhoras … eu estava colecionando remédios e exames que de nada faziam efeito para ele … foi uma decisão que até hoje me culpo e me questiono ser foi a melhor … eu pedi que fosse feita a eutanásia nele … dele só guardo boas lembranças de um amigo que nunca tive … quase 50% da minha vida ele esteve ao meu lado .. .
    Sei lá, talvez você que esteja lendo isso esteja na mesma dúvida que eu estive naquela sala sombria do consultório onde eu tive que optar por deixar o meu amigo viver sofrendo ou optar por ele descansar sem sofrimento … Peço que Deus me perdoe por ter pedido para que ele fosse de forma humana e não natural … é muito doído !!! é uma escolha que não pretendo ter nunca mais na minha vida … Já se passaram quase uma semana da sua partida e tudo lembra ele … eu não perdi um simples cachorro como alguns pensam, eu perdi o meu amigo BAIXINHO …

  82. Maria José Lima Feitoza

    Meu cachorrinho floquinho,tinha 16anos e teve um AVC.
    Gritava muito,tb tinha outras complicações como,cegueira, não ouvia,uma lesão em uma glândula acima dos rins,anemia entre outras .
    Me aconselharam a eutanásia.
    Mandei fazer,e me arrependo muito.
    Estou me sentindo um mônstro.
    Acham que fiz o correto?

  83. MERCIA KATIA

    BOA TARDE,SIM DIA 17 DE JUNHO FIZ ISSO COM MEU AMIGO QUE IRIA FAZER 19 ANOS,AINDA HOJE ESSA CULPA ME ATORMENTA,COMO QUERIA VOLTAR ATRAZ,MEU AMIGO FIEL MEU JUJU,ELE NAO ANDAVA,NAO COMIA SO,NAO ENCHERGAVA GRITAVA DIA E NOITE SEM PARAR FIZ VARIOS TRATAMMENTOS,ELE TINHA UMA FALÇA MELHORA E COMEÇAVA TUDO,AI TOMEI ADECISÃO DE FAZER EUTANASIA CADA GRITO DELE DOIA MEU CORAÇAO,MINHA CABEÇA FICAVA A MIL DE VER TANTO SOFRIMENTO ,MESMO ASSIM ESSA CULPA ME ATORMENTA TODO DIA O QUE FAZER,

Next ArticleHospitais Veterinários gratuitos ou com custo reduzido