Precisamos falar sobre maus-tratos animais em 2021

É quase impossível começar um novo ano sem fazer uma reflexão do que vivemos no ano anterior, não é verdade? É muito comum também fazermos promessas e traçarmos novas metas para este novo ano.

Mas sempre fazemos isso em relação ao trabalho, coisas que queremos mudar no âmbito pessoal, mas que tempo é dedicado à causa animal?

Fazendo um balanço a grosso modo, no início da pandemia tivemos muitos animais adotados. Alguns protetores até zeraram os bichos que cuidavam. Mas aí, com o decorrer dos meses e com a flexibilização, o número de devoluções foi aumentando. Depois, tivemos um número crescente de abandono, por fim, redução nas adoções. Isso é muito sério.

Por que os animais ainda são tratados por muitos como um estepe? Como se fosse um pneu de carro? Até quando as pessoas vão se calar diante dos maus-tratos? O que acontece quando um vizinho se muda e deixa o cachorro na casa vazia? Só animais de raça merecem um lar?

Pandemia

Como eu falei, no auge da pandemia, tivemos muitos bichinhos adotados. E foi ótimo! Muitas pessoas se sentiram sozinhas e não tenho dúvidas que ter um bichinho melhora qualquer ânimo e nos ajuda a superar dificuldades, afinal, se a peteca cair, quem vai dar comida ao cachorro?

O problema? Bem, conforme as coisas foram se ajustando, as “férias” do trabalho viraram home office, o shopping reabriu, teve show no drive in, parques abriram, etc, os bichinhos foram sobrando na vida de algumas pessoas. Algumas, não. Muitas.

A adoção foi impulsiva? Faltou pensar no que seria quando a vida voltasse ao normal? Por que tanta gente devolveu os animais para os abrigos?

Animais de raça

Vindo nesta contramão de abandono, os animais de raça ganharam mais espaço. Infelizmente algumas pessoas má intensionadas, divulgaram um Lulu da Pomerânia aqui no site, mas não queriam doar, queriam vender. Como nossa política é contra a venda de animais, excluimos a divulgação e retiramos o vendedor da nossa plataforma. O anúncio ficou pouquíssimo tempo, mas recebemos quase uma centena de mensagens de pessoas interessadas e pedindo pelo amor de Deus que fosse doado porque PRE-CI-SA-VAM desse cachorro de raça, porque é sonho desde que era criança, porque o filho parou de comer desde que viu a foto, porque só serve ser for dessa raça, etc.

Então, como pode não ter mais espaço e tempo para cuidar de um vira-lata, mas tem espaço e tempo para cuidar de um cachorro de raça?

Por que os cachorros de raça não são abandonados com a frequência que os vira-latas? O que as pessoas buscam quando adotam um cachorro de raça? Esta compra tem a ver com companheirismo ou glamourização? Seria status social? E nesse ponto, você pode querer me perguntar: “Mas Fabi, a pessoa não tem o direito de querer ter um cachorro de uma determinada raça? Sou obrigado a ter apenas um cachorro vira-latas?” Não! O ponto é: por que uma pessoa PRE-CI-SA de um cachorro de raça? O que um cachorro de raça vai fazer na sua vida que o vira-latas não faria?

Novas metas para um ano novo

É comum no início de cada ano, traçarmos uma nova meta. Essa meta pode ser relacionada a saúde, comportamento, estudo, trabalho entre outros. Que tal colocarmos nesta lista mais atenção para a causa animal? Um pouquinho só! Não estou falando para você se tornar vegano, criar passeatas (não enquanto estivermos em clima pandêmico, ok?), resgatar todos os animais que encontrar pelas ruas e pôr em um apartamento de 50m2. Se fizer, boa! Mas o que estou dizendo é: Apoie um protetor que resgata e cuida dos animais; seja voluntário em abrigos; divulgue animais que precisam de um lar em suas redes sociais; viu uma pessoa agredindo um animal? Denuncie! Seu vizinho esta vendendo cachorros de raça e os matém em condições de maus-tratos? Denuncie! Como denunciar?

1- Junte provas

Tire fotos, faça um vídeo, tente um laudo veterinário, reúna testemunhas. Quanto mais provas você tiver, maiores as chances de conseguir que a pessoa seja julgada corretamente.

2- Junte informações sobre o agressor

Recolha todos os dados que puder: nome completo, profissão, onde mora, onde trabalha. Se presenciou um abandono ou atropelamento, anote a placa do carro. Essas informações são importantes para que a pessoa possa ser localizada.

3- Conheça a lei

Quem maltrata os animais é enquadrado no art. 32 da Lei 9.605/98 que diz o seguinte: “quem maltratar animais poderá ser preso, com pena de dois a cinco anos de reclusão, e ainda pagar multa.”

Clique aqui para informações sobre como denunciar os maus-tratos animais.

Canais de denúncia

As informações abaixo foram extraídas do site: worldanimalprotection.org.br.

IBAMA

As denúncias podem ser feitas pelo telefone 0800 61 8080 (gratuitamente) ou pelo email para linhaverde.sede@ibama.gov.br. O IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) as encaminhará para a delegacia mais próxima do local da agressão.

Telefones e endereços para denúncia

Note que o autor do processo judicial será o estado e não você. Sendo assim, não tema denunciar. As organizações não governamentais possuem um papel importante e insubstituível na sociedade. Porém, exerça a sua cidadania. Não se cale frente aos crimes contra os animais e o meio ambiente, e exija das autoridades responsáveis às providências previstas por lei.

Brasil

Região Sudeste

Espírito Santo

  • Delegacia de Proteção aos Animais – Delegacia de Meio Ambiente do Espírito Santo – (27) 3236-8136

Minas Gerais

  • Delegacia de Crime contra a Fauna – (31) 3212-1339ou (31) 3212-1356

Rio de Janeiro

  • Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais do Rio de Janeiro – site ou telefone: 1746
  • DEMA – Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente. Tel.: (21) 3399-3290 ou (21) 3399-3298

São Paulo

Região Sul

Paraná

  • Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente | DPMA – Curitiba – (41) 3251-6200
  • Web Denúncia – www.webdenuncia.org.br
  • Delegacia Eletrônica de Proteção Animal (Depa) – Site

Rio Grande do Sul

  • Delegacia Online do Rio Grande do Sul – Site

Santa Catarina

  • Delegacia Eletrônica de Proteção Animal de Santa Catarina – Site

Região Nordeste

Alagoas

  • Polícia Civil: 0800-2849390
  • Polícia Militar: (82) 3201-2000

Bahia

  • Disque Denúncia – (71) 3235-000 (capital) / 181 (interior)

Região Norte

Amapá

  • Disque Denúncia – 0800-96-8080 (Capital e Interior)

Amazonas

  • Disque Denúncia 0800-092-0500

Pará

  • Disque Denúncia – (94) 3346-2250

Rio Grande do Norte

  • Semurb – (84) 3616-9829

Roraima

  • Disque Denúncia – 0800-95-1000

Região Centro-Oeste

Distrito Federal

  • Disque Denúncia – 197
  • Delegacia do Meio Ambiente da Polícia Civil: (61) 3234-5481

Goiás

  • Disque Denúncia – 197

Mato Grosso

  • Disque Denúncia – 197

Mato Grosso do Sul

  • Disque Denúncia – 197

Um ano novo e melhor, depende de cada um de nós. Depende das nossas atitudes. Depende de defendermos quem não tem voz para isso.

2021 chegou, mas com muita tristeza do que 2020 deixou. No entanto, podemos fazer a diferença e tornar esse ano melhor. Vamos ser mais responsáveis com nossas atitudes. Converse com toda família antes de adotar, pense bem em como vai ser quando essa pandemia passar, use máscara, fique em casa quando possível e pense positivo!

Antes de eu ir, que tal você me falar um pouquinho do que traçou de novas metas para 2021? Deixa aqui nos comentários.

Até a próxima! 🥂

Leave a Reply