Queda de pelos nos pets: saiba quando se preocupar

Eu não sei vocês, mas ver os pelos dos bichinhos voando pela casa é uma coisa que me preocupa. Claro, não apenas por uma questão de limpeza, mas também porque acho que em algum momento os gatos aqui de casa vão ficar carecas! Mas espera, dá pra perder tanto pelo assim?

Assim como perder até 100 fios de cabelo por dia é algo normal para os humanos, os cães e gatos também têm uma queda que é normal. Naturalmente existe uma troca de fios durante todo o ano, mas em períodos específicos existe um troca maior, mas então como saber até que ponto é normal?

Bom, diversos são os fatores que podem ocasionar a queda excessiva dos pelos: má alimentação; alterações climáticas; problemas dermatológicos; alterações hormonais; parasitas e disfunções emocionais como estresse e ansiedade. Vamos falar um pouquinho sobre cada um desses fatores.

Desequilíbrio alimentar

É fundamental manter uma alimentação de qualidade, pois é ela que vai garantir todos os nutrientes necessários que vão cuidar não apenas de manter a pancinha cheia, mas também por garantir uma boa saúde, incluindo pelos saudáveis. Converse com o veterinário da sua confiança sobre qual a ração mais indicada para o seu melhor amigo, inclusive, pergunte sobre a quantidade ideal de alimento para o estilo de vida dele. Se for necessário, o especialista vai complementar com vitaminas.

Alterações climáticas

Estamos na primavera, a caminho do verão, percebeu um aumento na queda dos pelos por aí? Aqui já começou!

É comum acontecer a troca de pelos nos cães e gatos, mas há uma intensificada tanto no inverno como no verão, pois os pelos servem como uma proteção da temperatura corporal e precisam trocar para se adaptar às novas condições oferecidas em cada estação. Por isso, a cada mudaça de estação temos uma queda mais acentuada. É importante destacar que esse tipo de queda não causa falhas visíveis de pelos, como buracos. São quedas uniformes, puramente para adequação climática.

Problemas dermatológicos

Doenças dermatológicas são enfermidades da pele que podem afetar a pelagem como: fungos, sarnas, alergias ou dermatites. Dermatite é uma inflamação na pele que acomete várias áreas do corpo. Existem diferentes tipos de dermatite: dermatite de contato, dermatite alérgica, dermatite atópica, dermatite seborreica, entre outros.

Alguns sinais são indicadores de problemas dermatológicos que precisam de atenção especial, como:

  • Pelo tem forte odor
  • Pelos com falhas (buracos de pelos) visíveis
  • Caspas
  • Coceira
  • Feridas
  • Indicativo de sarna

Alterações hormonais

Quando foi o último check-up do seu amigão? Você sabia que alterações hormonais também podem ocasionar a perda dos pelos?

Tanto cachorros como os gatos, podem apresentar disfunções hormonais e, segundo o Portal Tempo Novo, as disfunções mais frequentes são: diabetes, hipertireoidismo, hipotireoidismo, hiperadrenocorticismo, hipoadrenocorticismo e alterações hormonais sexuais. Elas são causadas por uma disfunção em uma ou várias glândulas endócrinas levando ao aumento ou diminuição de hormônios. Mas não se preocupe, há tratamento e seu bichinho pode levar uma vida tranquila, dependendo do estágio em que for diagnosticado o problema. Por isso, não esqueça das consultas anuais!

Parasitas

As pulgas e os carrapatos também podem causar as temidas quedas dos pelos. Esses parasitas causam coceira, o que pode fazer com que os bichinhos arranquem muitos pelos ao tentarem se aliviar do incômodo. Hoje, temos diversos produtos no mercado que impedem a contaminação por parasitas: temos comprimidos, ampolas, sprays e mesmo coleiras, que particularmente, eu não gosto. A indicação clínica depende da apresentação e dosagem, por isso é importante conversar com o veterinário sobre o melhor período de reaplicação. Aqui em casa, eu tenho 3 gatinhos sem acesso a rua ou contato com animais externos. Eles usam medicamentos orais e o veterinário deles recomenda de 3 em 3 meses. Mas como expliquei, diversos fatores podem impactar nessa reaplicação, consulte seu médico veterinário de confiança.

Disfunções emocionais

Recentemente falamos detalhadamente sobre ansiedade nos cachorros, por isso não vou falar sobre as causas, mas recomendo que leia esse texto depois. Hoje, vou me limitar a dizer que um ambiente com pouco estímulo, seja por falta de brinquedos, passeios, atenção, mudança de ambiente, entre outros, podem levar ao estresse e a ansiedade. E assim como acontece com a gente, diante de um período maior atividade seja no trabalho, escola ou mesmo na vida pessoal amorosa, acontece a perda do pelo nos animais. Para esses casos, mudar a rotina, dar mais carinho, atenção, criar um enriquecimento ambiental, costuma solucionar, mas caso seja necessário, o veterinário pode entrar com alguma medicação, seja floral, uso oral ou mesmo aqueles sprays e difusores de ambientes que utilizam feromônios sintéticos que trazem sensação de conforto e bem-estar. Pode ser solidão também, neste caso, com toda a responsabilidade, você pode adotar mais um gatinho ou cachorrinho.

Uma vez identificado o motivo da queda, tratar fica bem mais fácil. Mas enquanto a queda não estabiliza, limpar a casa se torna um desafio. Mas calma, a gente também tem várias dicas de como retirar os pelos das roupas, sofá, almofada, enfim, clica aqui pra conferir tudo.

Como andam as coisas por aí? Seu bichinho também tem perdido muitos pelos? Conta pra gente aqui nos comentários.

Até a próxima!

Texto revisado pela médica veterinária voluntária, Drª Daniela Mol Valle CRMV- SP 19822.

Leave a Reply to Patrícia Cancel Reply

1 comentário

  1. Patrícia

    Oi, eu moro no Rio de Janeiro e estou buscando um adestrador. Adotei uma cachorrinha muito carinhosa, mas ela pula muito na gente e com suas unhas faz muitas feridas na minha pele, que é bem sensível. Obrigada!

Next ArticleUm animal de rua me mordeu. E agora?