As doenças mais comuns em cada raça de cachorro

Você já deve ter ouvido que se casar com primos é ruim porque os filhos podem ter problemas genéticos, certo? Pois o mesmo acontece com os animais. De acordo com a revista Superinteressante, há 300 doenças genéticas causadas por cruzamentos forçados (sim, este é mais caso em que os animais se dão mal por conta das estranhas manias humanas). Então, se você tem um cãozinho de raça (ou pretende ter um), confira aqui as principais doenças dentre as raças mais conhecidas:

Labrador

Este cachorro brincalhão tende a ter problemas ósseos e insuficiência renal. Mas um problema ainda mais comum que pode levá-lo à morte é a torção gástrica. Quem leu o best-seller Marley e Eu, de John Grogan, deve se lembrar que o peludo sofre deste problema em determinado momento da vida.

São-Bernardo

Esse gigante que pode pesar cerca de 90 kg costuma sofrer com dilatação gástrica. O estômago se estende devido ao acúmulo de gases. Pode se dilatar a ponto de fazer uma torção sobre si mesmo, prejudicando o suprimento de sangue e alimento para os órgãos do sistema digestivo.

Dobermann

Nessa raça, os ventrículos do coração se dilatam e o músculo cardíaco enfraquece na hora de contrair e bombear o sangue. Isso leva a insuficiência cardíaca e acúmulo de líquido no pulmão. A doença afeta até 40% dos dobermanns com mais de oito anos.

Rottweiler

A expectativa de vida do rottweiler é de 10 a 12 anos. A raça pode apresentar problemas no quadril ou de ligamento: displasia no cotovelo deixa as juntas inchadas e pode deixar o animal manco. Ele sofre também de alergias e hipotireoidismo (diminuição da produção dos hormônios da tireóide que afeta toda a saúde do animal).

Buldogue Inglês

O macho é pesado e compacto. Já a fêmea tem uma pelve estreita e fina, o que torna o acasalamento uma missão quase impossível. E como a raça consegue procriar então? Geralmente é feita a inseminação artificial. além disso, a maioria dos partos é feita por cesárea, já que a cabeça do feto é muito grande. Cá entre nós: pra que tanto esforço em gerar novos cães, se há tantos abandonados por aí, né?

Pug

Como seu focinho foi selecionado para ser muito curto, o ar não tem tempo de resfriar antes de chegar aos pulmões. Isso provoca o aumento da temperatura corporal. Quando o cão faz atividades físicas intensas em dias muito quentes, a crise pode ser fatal. Quem se lembra do pug que morreu de parada cardiorrespiratória em um vôo da Gol que sofreu atraso? Depois do ocorrido, a companhia aérea decidiu não transportar mais raças de focinho curto.

Golden Retriever

Como acontece com muitos cães grandes, a cabeça do fêmur não se encaixa bem na bacia. O problema, a displasia coxofemoral, prejudica a mobilidade das patas traseiras. Também é comum o desgaste da articulação do cotovelo.

Pastor Alemão

O problema mais comum na raça é a displasia coxofemural, um defeito na formação da articulação do membro traseiro; isso traz dores ao animal, que pode até não conseguir mais andar.

Pinscher

Luxação na rótula do joelho e necrose da cabeça do fêmur são comuns nos cães desta raça. Outras doenças da raça são epilepsia e sarna demodécica, também chamada sarna negra. Esta doença de pele não é transmitida a seres humanos, mas pode debilitar o animal.

Shih-tsu

Os problemas de saúde que a raça pode apresentar são úlcera de córnea, dor de ouvido, pedra nos rins, insuficiência renal e cherry eyes. Este último termo trata-se do deslocamento da glândula da terceira pálpebra, que é responsável pela produção de aproximadamente 30% da lágrima do olho. Isso cria uma bola vermelha nos olhos, que deve ser corrigida com cirurgia.

Maltês

Os problemas mais comuns de saúde deste pequeno cãozinho são nas articulações, no fígado e nos olhos.

Pit-Bull

As principais doenças que podem levar o cão à morte são alergias de pele e queimadura solar (nos animais de pele rosada na barriga e no focinho), além de fraturas dentárias. Os cães desta raça também podem sofrer com displasia coxofemural (um defeito na formação da articulação do membro traseiro que traz fortes dores ao animal.

Boxer

A raça pode desenvolver câncer, doenças gástricas e cardíacas, hipotireoidismo e displasia coxofemural: mesmo mal que acomete os pastores alemães e pit bulls.

Chihuahua

A pequena estatura está associada à hidrocefalia – o aumento dos fluidos no cérebro. O volume elevado aumenta a pressão no cérebro. Em alguns casos, a pressão pode causar dor, perda das funções cerebrais e morte.

Cocker Spaniel

As principais doenças que se desenvolvem no cocker spaniel são as de olhos, como catarata, atrofia progressiva da retina e glaucoma. Também são comuns a epilepsia, surdez, dor de ouvido e cardiomiopatia dilatada (doença do coração que pode matar o cão).

Dálmata

Você é fã dos 101 Dálmatas, mas duvido que saiba essa: esta é a raça mais atingida por surdez. Até 30% dos dálmatas ficam surdos de um ouvido e 10% de ambos. E dá para prever quem será afetado: quanto maior a extensão da cor branca, maior a probabilidade de perder a audição.

Basset

Os germes aproveitam suas longas orelhas para entrar no canal auditivo e causar inflamações. Além disso, o macho sofre: como é baixinho, comprido e pesado, não consegue montar a fêmea – e precisa de uma mãozinha do dono.

Poodle

O principal problema de saúde da raça é o câncer. No entanto, problemas de tireoide, pele e articulações também são comuns.

 

Vira-lata

O vira-lata, também conhecido como SRD (sem raça definida) nada mais é do que uma mistura de várias raças. Como geralmente não são originados de pais com parentesco próximo, não costumam herdar as doenças típicas de raças determinadas. No caso de cães que viveram nas ruas, eles tendem a ser mais resistentes porque são fruto de genes que já foram provados, testados e sobreviveram as condições precárias de alimento e abrigo.

 

Então, qual a melhor raça para se ter em casa?

Independentemente da raça, qualquer cão precisa receber todas as vacinas e visitar um veterinário regularmente – até mesmo os vira-latas, apesar de serem mais resistentes. Se você tem uma paixão especial por algum tipo de raça, prepare-se para gastos veterinários e tratamentos para os problemas mais comuns. Não que necessariamente vá acontecer, mas é sempre importante estar preparado – e o cãozinho é uma vida que está sob sua responsabilidade e merece todos os cuidados com saúde.

Nós amamos todos os cachorros, e por isso mesmo não gostamos muito dessa coisa de raça: elas são uma invenção dos homens que geralmente só trazem prejuízo aos peludos, principalmente os problemas de saúde que você viu aí em cima. Então, se você também ama cachorros e quer um peludo pra chamar de seu, dá uma olhada nos que estão aqui esperando por você.

Fontes:

Leave a Reply

17 Comentários

  1. domigos kalule maquina

    gostei de ver o dalmata, pastor e doberman

  2. Ana Martins

    Este artigo é um “abre-olhos” na vaidade das pessoas que escolhem raças em vez de animais.

    NÃO COMPRE, ADOPTE <3

  3. Helena Mansur

    Importante a informação!
    Quem ama não tem raça!
    Não compre adote.

  4. Wow, this paragraph is nice, my sister is analyzing these
    things, therefore I am going to tell her.

  5. O MEU CACHORRO É LHASA EO PELO DELA TA TUDO EMBOLADO E MINHA MAE NAO QUE DX EU LEVA ELA PRA TOSA MAIS EU POSSO TOSA ELA EM CASA

    • Fabiana Xavier

      Olá Geovana, o Lhasa é uma das raças que precisam ser tosadas com mais frequência, juntamente com Shih-tzu, Poodle e Cocker. Você deve tosá-lo com um intervalo de aproximadamente 45 dias.
      Se não puder levá-lo ao pet, faça em casa mesmo. No youtube existem vários vídeos que ensinam como fazer. Tem vários sites que disponibilizam tutoriais incríveis também.
      Tome cuidado para não cortá-lo. Vá com calma e se não conseguir fazer em um dia, faça em 2, 3… Caso note que o animal esta ficando estressado, é melhor ir com calma no início, com o tempo você pega prática.
      Uma coisa muito importante e que você pode fazer sempre, é escová-lo. Isso vai retirar os pelos mortos e não vai permitir que os fios deem nó ou embolem.
      Abraços.

  6. ANAHI JUSSARA BARBANT

    gostaria de mais informações sobre pit bull, pois fiquei sabendo que ele pode ter alzheimer, e o que leva o animal atacar e até matar seus donos?

    • Fabiana Xavier

      Olá Anahi, tudo bem?
      Eu não me sinto capaz de responder essa pergunta. Vou encaminhar sua dúvida para a seção “Pergunte ao Amigo” onde temos uma médica veterinária apta para responder com exatidão, tudo bem?
      Abraços!

  7. Paula

    Olá gostaria de saber se é comum a morte de São bernardo com 8 anos de problemas cardíacos e pneumonia? Minha filha morreu assim, aí uma amiga disse que é bem comum a morte por parada cardíaca. Por favor respondam minha pergunta. Aguardo obrigada

    • Fabiana Xavier

      Olá Paula, tudo bem?
      Eu encaminhei sua pergunta para a médica veterinária, Drª Letícia Maria Cma e ela me respondeu o seguinte: “Animais de grande porte morrem mais cedo, isso é fato. Então doenças que animais pequenos só teriam com uma idade maior, aparecem antes em animais de grande porte. Principalmente doenças cardíacas. Doenças cardíacas sim, mas pneumonia não. Ele poderia estar com algum problema cardíaco e sem tratamento, o que pode ter levado a uma queda de imunidade e a pneumonia.”
      Espero ter ajudado.
      Abraços!

  8. Luciano

    Gostaria de saber como faço Pra ensinar meu pastor a andar na coleira elle Ja tem 1.1/3 e não acceita coleira

    • Fabiana Xavier

      Olá Luciano, tudo bem?

      Existem diversos motivos para um cachorro não aceitar a coleira. Pra começar pode ser o tipo da coleira ou enforcador que ele não se sente confortável. Aqui tem umas dicas sobre coleiras: http://site.amigonaosecompra.com.br/qual-o-melhor-tipo-de-coleira-para-o-meu-cao/
      Outra coisa, poder medo. Se ele tiver medo da coleira, não vai aceitar. É preciso saber como você apresenta essa coleira pra ele, você fala alto, grita ou briga pra ele colocar? Não faça isso.
      Uma dica é associar a coleira a coisas legais. Comece colocando a coleira por poucos minutos e vá aumentando esse tempo. Não precisa sair todas as vezes que colocar, mas ofereça um petisco, brinque e o deixe relaxado. Retire a coleira antes de ele se estressar.
      Com o tempo e carinho ele vai aceitar e vocês poderão passear juntos por muitas e muitas vezes!
      Se tiver mais alguma dúvida, é só falar!
      Abraços!

  9. eliane

    gostaria de saber mais sobre boxer?
    sobre doenças que afetam os olhos desses animais?

    • Fabiana Xavier

      Olá, Eliane!

      Vou enviar sua pergunta para a médica veterinária voluntária que trabalha com a gente. Assim que ela responder eu retorno para você.

      Um abraço!

  10. Alessandra

    Ola, tenho uma pincher de 6 anos, 4k, ja fomos em alguns vets, ate especialista em gastrite apesar dos remedios para dor, antibioticos, exames para giargia, raçao especial, comida sem nada de corante, ela não melhora pelo menos uma vez por semana ela tem diarreia, vômito, chora acho q sente dor, e começou fazer xixi na propria cama, e sobe nas camas de casa pra fazer xixi tambem… situação desesperadora!

    • Fabiana Xavier

      Olá, Alessandra!

      Que situação complicada! É muito triste fcarmos de mãos atadas. Só restam as orações, independente da religião e continuar buscando novos especialistas.
      Vamos ficar na torcida para que encontrem os motivos e que ele fique bem, fique curado!

      Um abraço! _/\_

Next ArticleDepoimento: uma grande mudança no passeio com os cães!