Mário Grey e o homem que não gostava de gatos

Leandro Moreira de Farias era um rapaz que não gostava de gatos. Por que? A princípio, porque aqueles que moravam perto da casa dele, roubavam comida. “Uma vez, voltando pra casa do supermercado, deixei as bolsas na porta do prédio e me afastei para me despedir do meu irmão. Quando voltei até as sacolas, um gato estava dentro de uma delas comendo a linguiça calabresa.” conta ele.

Nesse momento, você amante de gatos está pensando: “ohhh que gracinha, tão esperto esse gatinho arteiro!” (pelo menos foi o que eu pensei ao ouvir a história). Mas acontece que pra quem não gosta dos felinos, o “gatinho arteiro” não passa de um meliante safado.

Bom, e o que fazia com que Leandro não achasse aquele furto uma gracinha? Além do motivo óbvio – ele ter ficado sem a calabresa que ia fazer a pizza do lanche – o outro é que ele nunca havia convivido com gatos. Sim, isso mesmo! Quando ele esbarrava com um, botava logo o ladrãozinho pra correr. E assim foi até a idade adulta. Leandro casou-se e teve uma filha que, por ironia do destino, vivia pedindo um gatinho de estimação.

Apesar de anos de insistência, a filha de Leandro nunca teve seu pedido atendido. Até que ela mesma casou-se e o insistente pedido passou a ser direcionado ao marido. Aí ficou tudo mais fácil (você sabe, em uma relação conjugal a última palavra é sempre do homem: “Sim, senhora“). E lá foram a filha de Leandro e seu marido ao Campo do Santana adotar um gatinho branco e fofo, que viria a se chamar Borges (sim, é o Borges, o Gato, que tem seu próprio blog e que escreve aqui no Amigo de vez em quando! Mundinho pequeno, esse, né?).

Mas além de ser pequeno, o mundo também dá muitas voltas. Leandro sempre ia visitar sua filha e, ao conhecer o gato Borges mais de perto, foi perdendo o preconceito com os gatos em geral. “Até que um dia a Louca dos Gatinhos [apelido carinhoso que Leandro deu à sua filha] encontrou um mendiguinho na rua e nos trouxe, pois era um filhotinho tigrado como minha esposa queria” conta Leandro, que a essa altura não pôde mais resistir ao encanto felino.

Hoje o mendiguinho tigrado chama-se Mário Grey e recebe muito carinho do Leandro e sua esposa. E os dois hoje são grandes amigos: além de dar muito carinho ao gato, Leandro também luta UFC com ele e até mesmo compõe musiquinhas. E esta história é a prova de que as pessoas que não gostam de gatos pensam assim simplesmente porque não os conhecem o suficiente!

Ah, você ficou curioso pra ouvir uma das musiquinhas? Eu também. Só que o Leandro é tímido e guarda suas composições a 7 chaves. Então que tal se a gente insistir muito aqui nos comentários, ele não rompe mais essa barreira e dá uma palhinha pra gente?

E enquanto ele toma coragem, você pode passar o tempo dando uma olhada nos peludos que ainda esperam por um lar!

Momento brincadeira entre Leandro e Mário Grey

 

Leave a Reply

34 Comentários

  1. Ana Elisa

    Ahhh que lindo!! Os gatinhos conquistam o coração de qualquer um!
    Gostaria de contar a minha história tbm!!!
    Resumindo: eu tbm não gostava!! Mas só neste ano, adotei uma gatinha… depois um gatinho… depois uma gatinha prenha que deu 6 filhotinhos!!!!
    Encaminhei 5 pra adoção e fiquei com uma filhote! Não resisti! Agora, tenho 3 gatos no apartamento!!! Só alegria com esses felinos!!

    • Daniele Costa Gomes

      Nossa, sua história é idêntica a minha, rs

    • Glaucia

      Ana Elisa, agente passa a entender o diferente e gostar dele, pq para a maioria gato é diferente. Fora q eles realmente roubam nossos corações. Tudo pra eles é incrivel, aposto q deve ser uma farra só na sua casa quando a turma pega fogo. Eu tenho trigatos, e os amos perdidamente. Os animais em geral melhoram agente!

  2. Oinnnn…parabéns!
    Eu como sempre fui apaixonada por felinos – graças a uma avó maluca pelos bixanos – não sei o que é não gostar de gatos. Tive o Franky que se foi aos 14 anos de muito companheirismo e hoje tenho o Amendoim, com 6 meses. Além disso colaboro com Ongs e benfeitores dos gatos. ;)

  3. Jackeline

    Minha história tb foi assim, nunca gostei mto de gatos, meu marido q é apaixonado, me convenceu a adotar uma, o amor foi crescendo, crescendo… hj, ela não está mais comigo (roubaram há 1 mes), mas tenho fé que o meu bebe vai voltar.

  4. cecilia pinheiro

    Ah, mas para não gostar de um tigrado lindo de morrer, como o Mario Grey, só se fosse ruim da cabeça ou doente do pé. Sou apaixonada pela família do Borginho :-)

  5. Glaucia

    Já diz o ditado que agente não deve julgar sem conhecer, e é isso msm, os gatos ainda são muito humilhados pela sociedade, por isso ver o Borginho cada vez mais famoso e levando a familia inteira, conquistando fãs, enfim é otimo! As pessoas precisam saber que gatos são apaixonantes, e que qd vc tem um, vai querer ter mais. Eu tenho três, são a minha vida, me divirto com a bagunça e as atrapalhadas deles, tudo que eles fazem para mim é lindo!

  6. luciana

    meu marido tbm tinha um certo ‘preconceito’ com os gatos…sempre tivemos cães, mas minha paixão sempre foi os gatos…há alguns anos, num dia das mães ele e minhas filhas me deram um pretinho, lindo, assustado e muito carinhoso de presente…pronto…virou o caçula da família…um ano depois achamos uma gatinha na rua, quase morta…pronto…paixão de novo e hj eles dormem com ele, fazem pãozinho, etc…é muito lindo ver os tres hj…

  7. Vinícius Antunes

    Meu sogro num post de gatinho. Isso é espetacularmente engraçado, vai entrar para a posteridade. hahahahaha.

  8. Pingback: Família que pega carona na fama ou sou um gatinho bom que divulga os outros « Borges, o gato

  9. Aqui em casa foi a mesma coisa com o meu marido….ele ñ gostava de gatos e tal….hj, tem vezes que acho que ele gosta mais da gata do que de mim…..kkkkkk…bjs pro pessoal do Amigo ñ se Compra, pro Borges, pro Mario Grey, pra Christie!!!!

  10. Ahh agora eu fiquei super curiosa pra ouvir uma das músicas dele!!
    Eu era daquelas que sempre amou cachorro mas nunca tive muito apreço por gatos, até que uma gatinha tricolor procurou abrigo no lugar aonde eu trabalhava em e conquistou instantaneamente. Hoje aqui em casa somos em 4: eu, Luna e Anabel (as gatas) e Dara (a cachorrinha)

  11. Claudineia

    Que história linda, espero poder ouvir as músicas.

    Eu também tinha pavor de gatos, não podia ver um, até que um dia comecei a namorar o meu noivo que tinha duas gatas pretinhas (lindíssimas) , mas mesmo assim tinha pavor de gatos, mas como todo gato adora um colo, elas insistiam em ir no meu colo.

    Até que um dia (3 anos mais tarde) eu coloquei na cabeça que queria uma gata preta para chamar de minha – rsrsrs, sou possessiva mesmo – o destino me trouxe um gato peludo, tigrado, a coisa mais linda do mundo que dei o nome de Stallone, e adivinhem só eu queria tanto uma gata preta, que acabei sendo adotada por uma, minha princesa chama-se Beyonce, gostaria muito de adotar um alaranjado, mas minha mãe deixou claro que era eu ou os gatos, ah mas quando tiver meu próprio teto, eu vou ter um alaranjado.

    Não preciso dizer que sou louca por gatos, conhecida no trabalho como cat lady, e que me orgulho muito de amar os felinos, se eu pudesse, teria um sitio cheio de gatos para eu amar e ser amada por ele, sim, porque eles amam muito seus donos.

    Como diz meu noivo ele criou um monstrinho louca por gatos…. rsrsrsrsr….

  12. Ah adorei saber a história do Mario Grey…e super me identifiquei com a mãe do Borges.

    Curiosa pra escutar uma das musiquinhas.

  13. Natalia Kelbert

    Puxa pessoal, que bacana ouvir todas essas histórias de vocês! Que bom saber de tanta gente que descobriu o lado encantador dos gatitos… :)

    Ahhh e uma boa notícia: vai sair uma das benditas musiquinhas! E o mais divertido é que poderemos participar de um clipe colaborativo: olha só: http://borgesogato.com/2012/11/16/contrucao-do-clipe-colaborativo-cocar-gatinho/

    Tem que mandar as imagens coçando seu gatinho até amanhà, 17/11!

  14. Pingback: Coçar gatinho é muito bom, coçar gatinho « Borges, o gato

  15. Leni Penachio

    Realmente, esses felinos nos conquistam. Hoje, infelizmente, mataram um dos meus bebês: o Mancha. O nome se dá ao fato dele ser todo negro. Ele era castrado, mas infelizmente gostava de passarinhos, e acredito ter sido essa “quedinha” que o matou.Hoje tenho a Silvia, que é branca, com manchas pretas e caramelo. E tenho um inquilino novo, para quem estou tetando arrumar um lar. Parabéns pela sua atitude, e por entender o mundo felino. Ah, tenho uma cachorra, que convive muito bem com eles.

  16. Fernanda

    Eu gostava d gatos,mas não pensava em ter um.Até visitar uma amiga que tinha 2,me apaixonei,e começei a insistir c/ a minha mãe,que não era muito fã,e sempre ouvia um não.Até que minha mãe começou a trabalhar em um lugar que tinha um gatinho,detalhe ele não desgrudava dela,e até miava o nome dela,rs.Mprima quis um,e minha mãe ajudou ela a adotar.Aí eu ltei na história do “Quero meu Gatinho”,ela cedeu e hoje temos 3,isso pq ela disse que seria só 1.E ela ama os gatinhos e eles até dormem com ela! Gatos são apaixonantes <3

  17. Vivi

    Eu cresci em volta de 18 gatos, morava com meus avós, eu estava muito enjoada de gatos, como convivia com tantos, com 12 anos fui morar com minha mãe que nunca gostava de animais, cheguei a adotar um cachorro que logo morreu e assim fui fazendo o coração da minha mãe amolecer, mas ela dizia que nunca teria gatos pois transmitia doenças e aquilo que o povo fala. Então desisti de ter companheiros. Aos 19 anos me casei, com um homem que ama animais assim como eu, mas eu queria um cachorrinho e adotei 2, depois de 4 anos uma senhora me ofereçou um gatinho, quando eu vi me apaixonei, ele frajolinha o nome spilber, e assim adotei mais um que era especial blad que infelizmente desapareceu, e seis meses atrás achei o chiclete meu neguinho nas ruas. Como não temos filhos, eles são nossos filhos. Ah! minha mãe hoje não vive sem eles, ama muito fala que é avó deles.

  18. Reynaldo

    é com pesar que anuncio para vc´s aqui que o sr Leandro, vovô do gato Borges faleceu ontem, estamos muito aborrecidos pois sabemos o qto ele era amado pela familia e pelos amigos….que sua vida prroxima aos gatos sirva de exemplo.

  19. Elise

    Como se parece com minha história…
    Meu pai nunca gostará a ponto de adotar, mas já respeita esse meu amor, a ponto de ficar com as chaves de minha casa para cuidar deles quando preciso viajar. E ainda confere se ninguém escapou (tenho vários rsrsrs). Minha mãe sempre dizia que esse amor “doentio” é castigo. Além de não gostar, ela soltava ou envenenava os que eu pegava quando criança. Mal sabem eles a preciosa “troca” que perdem, mal sabem que esses bichanos salvam minha vida todo dia.

    • Elise

      Deus abençoe o vovô. Paz, luz e muitos carinhos felinos em sua nova morada.

  20. Vitória

    Ai que fofa essa história! Realmente só quem não conhece os felinos podem pensar assim deles! Ei Leandro mostra uma palhinha da musiquinha pra gente,por favor?

  21. Natalia Kelbert

    Pessoal, infelizmente o Leandro faleceu no último domingo. Sua perda está sendo muito sentida por sua família, amigos e, claro, pelo Mario Grey. Mas o céu ficou mais animado e os gatinhos de lá já estão recebendo coçadinhas e aprendendo as musiquinhas. :)

  22. Daniela F Gama

    Sempre tive e amei cachorros, até que um gatinho me arranhou, (mas tbm eu estava parada bem no lugar que ele usava pra pular pra rua ) fiquei com medo dos gatinhos me arranharem de novo, mantive distância dos pobres gatinhos hahha ……..mas aí depois de um bom tempo, o meu amado Juninho apareceu aqui em casa e me fez amar os gatos..ele ficou conosco por 1 ano, até que apareceu morto na calçada aqui perto, que triste foi ! A gente ama os gatos, mas não sabe, pois é preciso a convivência para aprender a amá-los.
    Ahh vovô Leandro, que bom foi coçar gatinho, rsrsrs. Descanse em paz !!

    **** Sou do RJ, e na rua onde moro tem vários gatinhos, e uma em especial a Valdirene, uma gata magrelinha marrom com riscos amarelos, que está grávida, e essa não é a 1ª gravidez, e um de seus filhos era o Tapioca que apareceu aqui em casa, um bebê de 1 mês, desnutrido , fraco, cheio de pulgas . viveu por mais 4 dias. :(

    Bom, tenho medo de seus filhotes nascerem desnutridos novamente, e ficarem ao léu aqui na rua, penso que tenho que fazer algo perante a eles…e com a Valdirene penso em levá-la para castrar depois do nascimento dos filhotes e desmame .
    Alguém conhece um lugar, que possa levar os gatinhos para castrar de graça ? Aqui na rua tem vários gatos, e eles tão brigando com os cachorros. Alguém já foi levar um gatinho para castrar na Suipa ????

  23. Bia

    ah que lindo! Conhecendo mais um pouco da família do Borginho, leio seu blog há anos, desde que adotei minhas primeiras gatinhas… Bom saber mais da história do Greyzinho, e agora eu também tenho um tiguinho pra chamar de meu! Owm…. S2 S2 S2 S2 S2 um coraçãozinho pra cada gatinho da família: Borges, Christie, Grey, Herminia e agora Pessoa!

  24. Pingback: Os animais e as redes sociais

  25. Pingback: Os animais e as redes sociais – cachorroderuasite

Next ArticleComo parar latido de cães?