Saiba tudo sobre doação de sangue animal

Todo mundo sabe que doar sangue pode salvar vidas, é um ato de amor ao próximo. Provavelmente você já presenciou alguém que precisasse de doação ou pelo menos ouviu falar.  Os bancos de sangue, pelo menos os do Rio de Janeiro, estão quase sempre vazios. Se os bancos de sangue humano quase não dão conta de manter os hospitais da região, já parou para pensar nos bancos dos pets?

Os animais também precisam de transfusão de sangue, você sabia disso? Fique até o fim e saiba tudo sobre o funcionamento de doação de sangue animal.

A primeira transfusão de sangue datada foi realizada por Richard Lower em demonstração realizada em Oxford, em 1665. Nos humanos foi realizada dois depois. Nesse período as transfusões eram realizadas sem compromisso de espécie, eram transferidas até de animais para humanos.

Felizmente com os passar dos anos, houveram mudanças, excelentes mudanças!

Algumas pessoas ficam receosas sobre doar sangue do seu peludinho, mas não se preocupe, seu animal não sofrerá nenhum efeito colateral pela doação.

Todo o processo da doação de sangue é feito de forma cuidadosa e obedece a critérios rígidos. Em cada doação é retirado só um pouquinho de sangue, num processo não doloroso e que também não demora mais que meia hora. É cortado um pouco de pelo na região do pescoço onde é efetuada a colheita, mas não se assuste, é o melhor lugar para fazê-lo.

Critérios para realizar a doação de sangue

Cachorros:

  • Saudável;
  • Calmo;
  • Peso superior a 30 kg (alguns médicos veterinários recomendam 25 kg, outros 27 kg);
  • Idade entre 1 e 8 anos (alguns médicos veterinários vão dizer entre 2 e 7 anos);
  • Sem doenças infecciosas;
  • Vacinado e desparasitado;
  • Não tomar qualquer medicação além dos desparasitantes;
  • Sem história de doença grave;
  • Não apresentar sopro cardíaco;
  • Não ter recebido transfusão de sangue;
  • Não ser obeso;
  • No caso das fêmeas, não podem estar prenhes;
  • Não podem estar no cio;
  • Não tenha tido carrapatos recentemente e serem negativos para hemoparasitoses (doença do carrapato).

Gatos:

  • Saudável
  • Calmo;
  • Peso superior a 3,5 kg (alguns médicos veterinários recomendam 4kg, outros 5kg);
  • Idade entre 1 e 8 anos (alguns médicos veterinários vão dizer entre 2 e 7 anos);
  • Ter criação totalmente indoor (gatos sem acesso a rua);
  • Apenas alimentado com dieta comercial;
  • Sem doenças infecciosas;
  • Vacinado e desparasitado;
  • Não tomar qualquer medicação além dos desparasitantes;
  • Sem história de doença grave;
  • Não apresentar sopro cardíaco;
  • Não ter recebido transfusão de sangue;
  • Não ser obeso;
  • No caso das fêmeas, não podem estar prenhes
  • Não podem estar no cio;
  • Não podem ser Fiv ou Felv positivo (saiba sobre fiv/felv aqui).

Como viram, pode haver um critério ou outro em que os médicos não cheguem a um consenso, mas em regra gerais são esses os pré-requisitos para doação do sangue.

Por que doar sangue?

Primeiro porque é um ato de amor e solidariedade a quem necessita de ajuda. A transfusão é um procedimento realizado em casos emergenciais e tenta corrigir uma anemia ou disfunção sanguínea severa.

As principais indicações para a realização de uma transfusão são:

  • Acidentes ofídicos (picadas por animais peçonhentos como cobras);
  • Atropelamentos;
  • Doenças transmitidas pelo carrapato;
  • Insuficiência renal
  • Pancreatite;
  • Intoxicações;
  • Coagulopatias (incluem distúrbios de coagulação e hemorragia. Nas hemorragias, o sangue não coagula rápido o suficiente, resultando em um sangramento contínuo ou excessivo. Nos distúrbios de coagulação, o sangue coagula muito rápido e pode resultar na formação de coágulos nas veias ou artérias.

Existem outros motivos que necessitam de transfusão também, mas esses são mais comuns.

Assim como acontece nos bancos de sangue humano, os bancos de sangue animal necessitam de doadores e vivem escaços e por muitas vezes acontece de um animal morrer por não ter sangue a disposição para transfusão.

É muito importante que o responsável pelo animal tenha boa vontade, seja solidário e caso o animal tenha condições, o leve para realizar doações periodicamente.

Benefícios para o animal doador

doação de sangue3

Foto: HCVB/Divulgação Site: g1.globo.com

As clínicas que realizam a coleta, colhem uma amostra e são feitos diversos exames e os responsáveis podem pegar os resultados depois, ou seja, além de ajudar um outro peludinho, você ganha um check-up para garantir a saúde do seu pequeno.

Além do exame clínico, que avalia as condições físicas do animal, o seu sangue passa por exames minuciosos. Os principais exames realizados de graça nos bancos de sangue são:

  • Hemograma completo;
  • Contagem de plaquetas;
  • Ureia e creatinina;
  • Brucelose;
  • Leishmaniose;
  • Dirofilariose;
  • Erliquiose;
  • Babesiose;
  • Doença de Lyme;
  • Febre maculosa;
  • FIV e FeLV (gatos);
  • Mycoplasma haemofelis (gatos).

Processo da doação

O processo todo costuma girar em torno de 15 minutos e em cães é retirada uma média de 450 ml de sangue já nos gatos gira em torno de 20 a 40 ml. A doação é totalmente indolor!

O responsável pelo animal que quiser incluir seu pequeno como doador, deve preencher uma ficha cadastral em um banco de sangue. Essa ficha é muito parecida à dos seres humanos é só  colocar as informações sobre a saúde de seu animal.

O processo de doação de sangue de animais é bastante similar ao dos humanos. O animal deve ficar quietinho durante a doação e, por isso, pode ser que se dê um sedativo bem leve para manter o animal calmo e tranquilo. O sedativo não é obrigatório: se o pet for tranquilo e cooperativo, não será necessário.

Com o doador sob efeito da sedação, é feito um acesso venoso, que pode ser no pescoço (o mais indicado) ou nos membros. Então, o sangue vai saindo da veia para a bolsa, que fica em constante movimento para que o sangue não coagule (similar as doações humanas).
O cão ou gato doador deve guardar jejum de 4 horas antes da doação. Quando a retirada do sangue terminar, no próprio banco de sangue irá oferecer uns petiscos, comidas e ração para que o bichinho não fique fraco.

As doações de sangue podem ser feitas a cada 3 meses e a cada doação são retirados, em média, 450 ml  de sangue nos cães e de 20 a 40 ml de sangue nos gatos. Todo o processo costuma durar por volta de 15 minutos. O efeito do sedativo leve passa bem rápido e não deixa efeitos colaterais.

Efeitos colaterais

Não existem riscos, mas o animal pode sentir um pouco de fraqueza e ficar meio quietinho nas primeiras 24h.  Durante o processo de retirada do sangue, o animal é acompanhado e observado e caso haja algum mal estar o processo é interrompido, mas isso é muito raro. Não há nenhum tipo de risco em doar sangue. O único efeito colateral que pode acontecer é bastante superficial e não dura mais do que 1 dia. Devido a retirada de sangue, o pet pode ficar mais molinho ou um pouco fraco. Isso é perfeitamente normal e passa bem rápido, mas não é comum. Se o seu animal apresentar desânimo, ficar enjoadinho ou aparentar fraqueza, basta que ele descanse e se alimente normalmente. Não esqueça de enchê-lo de beijos e afagos! Ele vai ficar bem!

Curiosidades

Os gatos podem pertencer a três grupos ou tipos sanguíneos, e os cães a seis grupos ou tipos sanguíneos.
No caso dos gatos, os grupos são divididos em tipo A, tipo B e tipo AB. O grupo A é o mais comum e os animais pertencentes a esse tipo correspondem a uma parcela entre 73 e 99,7% dos casos veterinários. O grupo B abrange a parcela de 0,3 a 26% e o grupo AB pode ocorrer em até 9,7% da população felina.

Diferentemente do que acontece com os cães, o risco de reação na primeira transfusão é muito alto e por isso é necessário realizar testes de compatibilidade e/ou tipagem sanguínea antes da primeira transfusão.

No caso dos cães, já foram catalogados mais de 20 grupos sanguíneos caninos, porém apenas seis DEA (sigla em inglês para Dog Eritrocyte Antigen, ou “Antígeno Eritrocitário Canino”) apresentam importância na medicina transfusional (DEA 1.1, 1.2, 3, 4, 5 e 7). Dentre esses, o DEA 1.1, 1.2 e 7 são os que apresentam maior risco de reação hemolítica, com maior ênfase aos DEA 1.1 e 1.2. Os cães podem expressar mais de um antígeno na superfície de suas hemácias, ou seja, eles podem apresentar antígenos DEA 1.1 e 7, sendo, portanto, DEA 1.1 e 7 positivos. Cães de uma mesma raça podem ter tipos sanguíneos diferentes, assim como cães de raças diferentes podem ter o mesmo tipo.

Armazenagem do sangue

A coleta é realizada em bolsas de sangue contendo uma solução anticoagulante CPDA1. Esse produto é chamado de sangue total refrigerado e tem validade de até 35 dias se armazenado de 1 a 8oC. O sangue também pode ser centrifugado e processado logo após a coleta e gerar até 3 hemocomponentes distintos: o concentrado de hemácias, que também tem validade de até 35 dias; o concentrado de plaquetas, que tem validade de até 5 dias; e o plasma fresco congelado, que, quando armazenado a -18oC, é válido por até 1 ano.

Por isso a importância em realizar doações periódicas, o sangue tem uma validade pequena e os animais que precisam de doação por vezes vem a falecer por falta de doadores.

Onde Doar

Não é porque o processo é algo simples que vocês podem levar seus peludinhos a qualquer lugar não hein! Precisa ser um lugar sério com profissionais competentes, pensando nisso, listamos alguns lugares que vocês podem realizar suas doações:

São Paulo

Hospital Veterinário da Universitário Anhembi Morumbi
Rua Conselheiro Lafaiete, 64 – Brás
Tel.: (11) 2790-4693 / (11) 2790-4642 / (11) 2790-4642

HOVET – Hospital Veterinário da USP
Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva, 87 – Cidade Universitária
Tel.: (11) 3091-1248 / (11) 3091-1364 / (11) 3091-1244
Site: www.fmvz.usp.br/hospital-veterinario

Hemovet – Laboratório e Centro de Hemoterapia Veterinária.
R. José Macedo, 98 – Parque São Lucas
Tel.: (11) 2918-8050 / (11) 2918-0082 / (11) 3567-9801 / (11) 3567-9802/ (11) 99655-1583
Site: www.hemovet.com.br

Pets & Life – Banco de sangue de cães e gatos e Laboratório de análises clínicas veterinário
Rua Araicas, 35 – Jaguaré
Tel.: (11) 3624-3958
Site: www.petsandlife.com.br

Banco de Sangue Veterinário
R. Desembargador do Vale, 196 – Perdizes
Tel.:  (11) 3476.9461 / (11) 99824-3995
Site: www.bsvet.com.br
E-mail: contato@bsvet.com.br

Bauru
Centro Veterinário de Bauru
Endereço: Av. Getúlio Vargas, 15-28, Jardim América, Baurú / SP
Tel.: (14) 3224-3183 / (14) 3202-9657

Rio de Janeiro

Hemopet – Hemocentro do Rio de Janeiro
Rua Ipiranga, 53 – Laranjeiras
Tel.: Luciula (21) 7855-8898 id: 83*31055; Roberta  (21) 7854-5433 / (21) 7854-5433 id: 83*30226
Site: www.hemopet.net

Hemoterapet
R. Barão de São Francisco, 56, Vila Isabel
Tel.: (21) 3286-8888 / (21) 3286-8888
E-mail: contato@hemoterapet.com.br

Pernambuco

Recife

Hospital Veterinário da UFRP (Universidade Federal Rural de Pernambuco)
Rua Dom Manoel de Medeiros, s/nº – Dois Irmãos, Recife/PE.
Telefones: (81) 3320-6401 / (81) 3320-6000
Site: www.ufrpe.br/fale

Bahia

Itapetinga

Polivet
Rua Min. Esaú Corrêa de Almeida Moraes, 134 – Vila Rosa
Tel.: (15) 3272-6992 / (15) 3272-6992 / 3272-1991
site: www.polivet-itapetininga.vet.br

Salvador

Banco de Sangue Veterinário Hemodog
Rua dos Radialistas, 209 – salas 1 e 2 – (2º andar da Clínica Veterinária Diagnose Animal) Pituba
Tel.: (71) 3011-6846 / (71) 3011-6846
Plantão: (71) 9978 -2188

Rio Grande do Sul

Porto Alegre

Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Faculdade de Veterinária da UFGS
Av. Bento Gonçalves, 9090 – Bairro Agronomia
Tel.: (51) 3308-6095 / (51) 3308-6095

Bluts Centro de Diagnóstico Veterinário
Rua Dr. Florêncio Ygartua, 427 – Rio Branco, Porto Alegre (RS).
Tel: (51) 3072-0427

Minas Gerais

Belo Horizonte

Pronto Socorro Veterinário
Rua Jacuí 891, Bairro Floresta, Belo Horizonte, MG
Tel.: (31) 3422-5020 /

Life Hospital Veterinário
Rua Platina, 165 – Prado – Belo Horizonte (MG).
Tel:. (31) 2552-5694 / (31) 3588-5694

Uberlândia

Hospital Veterinário da Universidade Federal de Uberlândia
Av. Mato Grosso, 3289 – Bloco 2S Campus Umuarama
Tel.: (34) 3218-2135/2196
Fax.: (34) 3218-2242
E-mail: hvet@umuarama.ufu.br
Site: http://www.hospitalveterinario.ufu.br/

Paraná

Curitiba

Hospital Veterinário da UFP – Universidade Federal do Paraná
Rua dos Funcionários, 1540
Tel.: (41) 3350-5663 / (41) 3350-5664
Site: www.ufpr.br/portalufpr/hospital-veterinario
E-mail: hv@ufpr.br

Londrina

UEL – Universidade Estadual de Londrina
Tel.: (43) 3371-4269 / (43) 3371-4269
Rodovia Celso Garcia Cid – Pr 445 Km 380, s/n – Campus Universitário, Londrina
e-mail: dir.hv@uel.br
Site: www.uel.br/hv

Uma única bolsa de sangue canino pode salvar a vida de até 3 cachorros! Pense nisso!

Doe, porque fazer o bem é bom! Leve seu peludinho para doar e aproveite o embalo  e se informe sobre doação de sangue humano também! Vamos juntos fazer uma corrente do bem e ajudar a quem precisa, seja ele de 4 patinhas ou 2 perninhas!

Seu peludinho já é um doador? Conta pra gente sua experiência!

E aí, gostou do post de hoje?

Deixe suas dúvidas e depoimento nos comentários, vamos adorar ler!

Semana que vem a gente volta com mais dicas e cuidados para vocês, até lá! 💝💖💞

Fontes:

  • http://www.prosangue.sp.gov.br/artigos/estudantes
  • http://www.oncoguia.org.br/conteudo/hemorragias-e-problemas-de-coagulacao/210/109/
  • http://www.mundodosanimais.pt/animais-estimacao/animais-dadores-de-sangue/
  • http://idmedpet.com.br/bem-estar-caes-e-gatos/banco-de-sangue-animal.html
  • http://www.turismo4patas.com.br/htms/novidade.asp?id_novidade=681
  • http://www.bolsademulher.com/pet/doacao-de-sangue-animal-seu-pet-pode-ajudar-a-salvar-uma-vida
  • http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2015/06/hospital-veterinario-em-blumenau-recebe-doacao-de-sangue-de-caes.html

 Banner Amigo adotar

Leave a Reply

5 Comentários

  1. Levei ontem meu gatineo pra doar sangue para a gatinha de uma amiga. Correu tudo muito bem, ele ainda está molinho e preguiçoso, mas sei que é normal, pq em seres humanos também é assim. Sou doadora de sangue há anos também. É bom demais fazer o bem.

    • Olá, Juliana!

      Muito legal seu depoimento! Prova que não há problema algum em doar sangue, tanto para pessoas quanto para animais!

      Um abraço!

  2. Juliana christine

    ou seja cachorros de pequeno porte nao podem doar sangue? eu tenho uma cadelinha q pesar 5 quilos e e de pequeno porte gostaria de saber se ela poder doar

    • Fabiana Xavier

      Olá, Juliana!

      Infelizmente não. Somente os cães com peso igual ou superior a 25 quilos (alguns médicos só aceitam com 27 e outros com mínimo de 30 quilos).
      Esse é um motivos de termos tão poucos animais aptos para doação de sangue, no entando, essa norma é pensando na própria saúde do animal.

      Um abraço!

  3. Pingback: Doação de sangue para pets, já ouviu falar? | Calbos

Next ArticleTudo o que você precisa saber sobre ração vegana